IMG_8116w

 

Um professor, um designer e dois estudantes formam a Aleluia, Bitch, banda Indie de Bauru que toca há 1 ano e meio. Sim, você leu bem. A Aleluia é sim uma banda Indie e não tem o menor problema com essa classificação.

“A gente gosta mesmo dessa cara Indie. Somo isso. Gostamos muito do som do Brooklin (EUA), mais dançante, hip hop mesmo. Também curtimos o som inglês de bandas como Arctic Monkeys, Strokes, Franz Ferdinand e Kings of Leon. Quando começa o som, não conseguimos fazer algo muito tranquilo. Sempre vamos para um lado mais dançante”, conta João Ricardo, baixista da banda.

Viver de música ainda não é possível, já que o sonho dos caras é conseguir tocar as próprias composições. “O nosso maior problema é: sentar e fazer. Não temos esse tempo porque trabalhamos em outras coisas, temos outras bandas e fica complicado arrumarmos tempo. Além disso, ainda temos dificuldade em encontrar a identidade da banda nas nossas composições. Apesar de termos várias músicas prontas, nós acreditamos que elas não são a cara da Aleluia ainda. E pela falta de tempo, não conseguimos produzir mais”, completa.

Apesar de David, Gui, João Ricardo e Gustavo fazerem um som mais “alternativo”, os caras afirmam que não encontram dificuldade para tocar em Bauru. O maior problema mesmo é conseguir espaço fora da cidade, já que acreditam que o Indie é menos popularizado que em Bauru. A dificuldade também existe em encontrar espaço para divulgação nos grandes veículos de massa. Mas nada que desanime os músicos que planejam compor mais e gravar um EP, tudo com o próprio som e em breve!

A espontaneidade e a autenticidade da Aleluia, Bitch são marcas registradas da banda. Quem já curtiu um show deles sabe bem que, apesar de fazer mais covers, a Aleluia consegue imprimir sua identidade a cada música. E esta identidade já vem com o nome pra lá de original que esta banda tem. “Um dia eu estava assistindo a um filme francês e não estava entendendo nada. Mas no meio filme, o personagem principal achou uma mala cheia de dinheiro e falou para a namorada: ‘Aleluia, Bitch!’ Confesso que foi a única coisa que eu entendi! (risos). Aí eu comentei com os meninos e como eu queria colocar o nome de ‘cerrote’ e eles não queriam, acabaram concordando com este”, relembra Gustavo, guitarrista da banda.

E não é que o cara mandou bem mesmo?

A cara da Aleluia
Se pudessem citar uma música que é mais a cara da banda, qual seria?
“É uma música que a gente quase não toca, mas quando rola, todo mundo curte! É a Whoo!Alright! Yeah… Uh Huh da banda The Rapture”, conta João Ricardo.

E a Aleluia, Bitch gostaria de ser como qual banda?
“Ah, aí não tem um consenso! A Aleluia admira muitas bandas e gostaria de ser como várias. Quem sabe um dia…”, afirma David Calleja, vocalista.

E qual a banda de Bauru que mais admiram o trabalho?
“Acho que uma que é unânime na banda é a antiga Bonequinho. O som deles é incrível! Para a gente, é sempre referência”, fala o guitarrista.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Café e poesia: Grupo Expressão Poética vai realizar um sarau nesta quinta (17) em Bauru

Pega uma xícara de café e vem se reunir com o grupo Expressão Poética nesta quinta (17) em…