patinacao-bauru

Para quem não gosta de ‘puxar ferro’ na academia e quer começar a praticar algum exercício físico, a patinação pode ser uma ótima escolha. É que, além de promover o emagrecimento e fortalecimento da musculatura, você tem a opção de fazer os exercícios em locais abertos e de quebra, conhecer novas pessoas! E quem disse que em Bauru não dá para patinar?

Sem tempo ruim!
No domingo (30/03), aconteceu o primeiro encontro de patinadores In Line de Bauru, evento promovido pela WiseMadness. “Esse é um projeto totalmente gratuito que conta com oficinas culturais de dança, aulas de skate, stomp (percussão com materiais recicláveis), malabares com fogo e a patinação, entre outras”, conta Danny Pagani, responsável pela comunicação e marketing do projeto.

Além das oficinas, o projeto cultural tem uma parceria com a prefeitura de Bauru e a Sebes (Secretaria do Bem Estar Social) e oferece essas aulas a crianças. “Elas saem da aula e depois vêm para o nosso galpão para participarem de algumas oficinas. Por causa disso, a gente sempre faz arrecadação de alimentos para ajudar essas crianças. É um projeto muito bacana que a gente tenta, não só levar a parte cultural, mas uma mensagem diferente”, afirma Danny.
Com a vontade de voltar a praticar o esporte, algumas pessoas se juntaram e criaram um grupo para patinarem juntos e, é nesse galpão, que eles praticam quando está chovendo em Bauru. Os encontros acontecem duas vezes por semana, toda terça e quinta-feira. E qualquer pessoa pode participar, já que o projeto fornece aulas gratuitas para os iniciantes.

Quais patins escolher?
“Para começar, não tem um ideal, depende do que a pessoa quer. Tem gente que já quer entrar em corrimão e andar na quina da calçada logo no começo. Para isso, por exemplo, a pessoa deve escolher os patins street. Já quem não sabe muito o que quer, pode escolher o freeskate. Tudo depende do objetivo das pessoas”, conta o advogado Akira Kobayashi, que entrou no grupo há quatro meses. Ficou ainda mais confuso? Então conheça três tipos e suas funções:

Freeskate: é híbrido, ou seja, você pode fazer tanto um passeio com ele, quanto algumas manobras. Ele tem uma base mais reforçada que os outros e tem quatro rodas.

Patins Street: no meio, ele tem um vão e as laterais são mais largas, pois servem para encaixar no corrimão. Ele é para manobra, é mais reforçado e também é ótimo para fazer circuito de rua.
Patins Roller Clássicos: são patins com quatro rodas também, mas com bases mais largas e rodas maiores. São para passeios e para ter mais velocidade.

*Equipamentos: vale lembrar que eles são indispensáveis! Os principais são: capacete, protetores de punhos e mãos, joelheira, cotoveleira e os protetores de cóccix, que se parecem com uma bermuda. “Os protetores de cóccix são necessários, pois, dependendo da modalidade que o patinador pratica, os tombos geralmente são para trás, assim como o capacete que protege a nuca dos tombos”, diz o advogado.

patinacao-bauru5

É divertido!
Tudo bem que os tombos fazem parte do esporte, mas nada que seja perigoso ou arriscado. A prova disso é que nesse grupo até crianças estão participando! “Eu patino desde criança. Comecei vendo as pessoas andarem na rua da minha casa… aí, não parei mais! Hoje, a minha filha patina comigo. Ela tem seis anos e patina há seis meses. E uma das vantagens do esporte é essa: além de ajudar com o condicionamento físico, é um entretenimento que eu tenho com a minha filha. Ela usa todos os equipamentos de segurança e não tem perigo!”, afirma Mariana Petersen. E Akira completa: “além de ser bom para corpo, você se distrai e é muito divertido estar junto com o pessoal!”

Benefícios:
*Melhora o condicionamento físico
*Modela a musculatura
*Ajuda a reduzir o peso
*Fortalece as costas e o abdômen
*Alivia o estresse
*Trabalha o equilíbrio

Serviço:
Projeto WiseMadness, acesse: www.wisemadness.com.br
Grupo de patinadores: www.facebook.com/groups/214159012115295/

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Saúde e Esportes
...

Verifique também

Do diagnóstico ao tratamento: Tudo o que os bauruenses precisam saber sobre Alzheimer

Se você tem algum histórico de Alzheimer na família, mas não entende muito sobre o assunto…