resenhas-livro

Elas são bauruenses, jornalistas, amigas e amantes da literatura! E foi por causa dessa paixão que Isabela Zamboni e Melissa Marques resolveram criar o Resenhas à la Carte, blog com textos de diversos livros.

Ficção, biografia, romance, aventura – tudo ganha uma resenha escrita pelas duas para informar ao leitor da melhor forma possível. Apesar da correria do dia a dia, empregos e trabalhos extras que duas mantêm, Isabela e Melissa nem se importam em ter que ler e escrever quase diariamente para o blog. Na verdade, elas garantem que esta é a parte mais divertia da rotina.

“Ler pra mim é uma terapia, um jeito de esquecer da rotina pesada e poder relaxar. Sempre tento encaixar um horário para ler, nem que forem 10 páginas”, afirma Isabela.

Neste bate-papo com o Social Bauru, as jornalistas falaram mais detalhes sobre o projeto, a rotina do blog e o prazer que têm pela leitura. Confira:

Como começou a relação de vocês com o livro? Sempre gostaram de ler?
Isabela: Eu sempre gostei de ler, desde pequena. Minha irmã sempre foi uma consumidora ávida de livros e me influenciou pra esse lado. Lembro que teve um período de férias escolares da infância que cheguei a ler 20 livros! Pra mim sempre foi um momento gostoso, de relaxar, conhecer histórias incríveis e poder sonhar bastante.
Melissa: Já eu lia jornal desde criança, acompanhada do meu avô. Apesar de não entender as notícias, gostava de passar aquele tempo com ele. Além disso, minha mãe investia em alguns livros infantis – a maioria era da Disney, claro. Foi assim que começou, de fato, meu envolvimento com os livros. No colegial vieram os livros ‘obrigatórios’, e o meu interesse se dissipou completamente. Nos primeiros anos de faculdade, em 2009, passei a alugar livros de ficção na biblioteca da universidade. Os primeiros que despertaram novamente meu interesse foram: ‘A Menina que Roubava Livros’ (Markus Zusak) e ‘O Menino do Pijama Listrado’ (John Boyne). Depois desses, não parei mais.

E esse amor pela leitura foi o que uniu vocês duas? Como se conheceram?
Melissa: Nós nos conhecemos através da Editora onde trabalhamos. Sempre fomos colegas de equipe. Apesar disso, nunca havíamos conversado muito. Foi com o tempo – e com o amor pela cultura, num geral – que fomos nos aproximando e passamos a ser amigas.

Como surgiu o desejo de montar o blog?
Melissa: Tive a ideia de montar um blog de resenhas no geral. Foi assim que surgiu o nome “Resenhas à la Carte” porque você escolhe o que vai querer do nosso ‘menu’: discos, filmes, livros… Convidei uma outra amiga – que hoje em dia não faz mais parte do projeto – e resolvemos chamar a Isa. Com o tempo, resolvemos focar apenas em resenhas literárias. Então, ficamos eu e a Isa para tocar o blog.

Como ele funciona? Sobre o que vocês escrevem?
Isabela: A gente faz resenhas dos livros que estamos lendo no momento (escolhemos nós mesmas o que desejamos ler e, às vezes, resenhamos livros enviados por editoras parceiras) e também gostamos de escrever sobre curiosidades, entrevistamos autores, fazemos matérias divertidas, tudo sobre o universo da leitura: desde HQs até audiobooks. Enfim, tudo que achamos de interessante e ficamos com vontade de compartilhar com os leitores do blog.

E qual a rotina de postagens?
Isabela: Não tem uma rotina fixa. Nosso processo é bem livre! Sempre sugerimos pautas uma para a outra e assim que acabamos um livro, já fazemos a resenha e tiramos as fotos para os posts. Mas a regra é postar todo dia! Algum dia ou outro até acaba passando, mas nunca ficamos mais de dois dias sem escrever nada.

Ele tem algum retorno financeiro? Vocês têm a pretensão de torná-lo profissão?
Melissa: Por enquanto, não há retorno financeiro, já que – a principio – não é o nosso foco. O blog é feito com o intuito de pulverizar a cultura e o amor pelos livros. É um hobby, não uma profissão. Porém, se algo legal surgir pelo caminho, vamos estudar a possibilidade com carinho! (risos).

Vocês duas trabalham, certo? Como conseguem conciliar a rotina com a leitura?
Isabela: Sim, eu trabalho 6h e faço trabalhos como freelance na minha casa após o expediente. Apesar de bastante trabalho, sempre dou um jeito de ler. Leio bastante na academia – esteira é um ótimo lugar pra ler! (risos). Gosto também de aproveitar alguns minutos antes de dormir. Ler pra mim é uma terapia, um jeito de esquecer da rotina pesada e poder relaxar. Sempre tento encaixar um horário para ler, nem que forem 10 páginas. E de fim de semana dá pra ler bem mais!

Ao mesmo tempo que muitas pessoas falam que os jovens não estão lendo mais, o gênero infantojuvenil é um dos mais vendidos do Brasil. Vocês acham que os jovens estão lendo menos?
Isabela: Eu acho que não, acredito que os jovens de hoje leem muito mais do que antigamente. Quando eu era adolescente era bem raro ver gente lendo na escola, agora a gente vê jovens com livros embaixo do braço o tempo todo. Eu acho isso ótimo! Uma falha da escola é obrigar os alunos a ler livros clássicos e difíceis demais pra idade deles. Se você oferecer leituras mais leves, mas com conteúdo bom e que encante os jovens, eles vão criar o hábito da leitura e, futuramente, vão ter maturidade e mais clareza para entender Machado de Assis, por exemplo. Os blogs e vlogs também ajudam muito a incentivar o hábito e acredito que cada vez mais as pessoas vão ler, nem que seja textos curtos ou crônicas na internet.
Melissa: Pois é, os jovens estão lendo mais mesmo. Prova disso são as bienais e feiras literárias em todo Brasil: a maioria esmagadora do público é infantojuvenil. Ao meu ver, grande parte da responsabilidade disso vem de blogs e vlogs literários. Eles ‘falam a língua’ dessa galera, aproximam editoras, leitores e autores… E fazem toda a diferença na hora da escolha de compra desse pessoal.

Para quem não gosta de ler, qual o recado que vocês podem passar?
Isabela: Ler pode parecer difícil e cansativo no começo – já ouvi muita gente falar que ler dá sono ou dor de cabeça – mas assim que você cria o hábito, é incrível! Uma dica essencial é ler o que você gosta. Não adianta ler porque um amigo indicou, ou porque você viu em algum lugar…procure uma temática que tenha a ver com você e pronto! Fantasia, não ficção, crônica, poesia, não importa: desde que você sinta prazer na leitura.
Melissa: Outra dica é não ficar preso à plataforma. Além de livros ‘físicos’, existem e-books e audiobooks, por exemplo. Além disso, não se prenda à livros teóricos ou de ficção. Poesia, histórias em quadrinhos, mangás, crônicas… Também são literatura! E ah, encontre um tema que te instigue. Biografias, Segunda Guerra Mundial, Romance Policial? Escolha um tema e vá em frente!

Qual o livro que foi mais marcante na vida de vocês?
Isabela: É muito difícil escolher um só! (risso). Mas eu gosto bastante de ‘A Insustentável Leveza do Ser’ (Milan Kundera), ‘Cem Anos de Solidão’ (Gabriel García Márquez), ‘O Lobo da Estepe (Herman Hesse) e ‘O Oceano no Fim do Caminho’ (Neil Gaiman).
Melissa: Não consigo escolher apenas um. Mas indico de olhos fechados: ‘As Crônicas de Nárnia’ (C. S. Lewis), ‘Clube da Luta’ (Chuck Palahniuk), ‘Coração de Tinta’ (Cornelia Funke) e ‘O Oceano no Fim do Caminho’ (Neil Gaiman).

E qual o livro estão lendo agora?
Isabela: No momento estou lendo ‘O Zen e a Arte da Escrita’ (Ray Bradbury).
Melissa: ‘O Velho e o Mar’ (Ernest Hemingway).

Para saber mais, acesse: www.resenhasalacarte.com.br

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Cultura
...

Verifique também

Histórias em quadrinhos e a relação dos bauruenses com essa arte

Todo mundo, em alguma fase da vida, já abriu uma história em quadrinhos para ler, seja os …