designinbox-topo

Depois de várias experiências no mercado, Claudio Luongo decidiu apostar em uma empresa para chamar de sua. Assim surgiu a Design In Box, que está no mercado há dois anos, atendendo todo o país com logotipos, layouts variados e projetos gráficos em geral.

O Social Bauru conversou com o empresário para saber mais detalhes da empresa, sua trajetória e os desafios que enfrentou ao longo da carreira como designer. Confira o bate-papo:

Como funciona a Design in Box? E quais os serviços da empresa?
Claudio: A Design In Box é um estúdio de criação que atende em todo Brasil por diversos canais de comunicação. Desenvolvemos logotipos, layouts variados, projetos gráficos em geral, web sites, folders, ilustrações, mascotes corporativos, além de impressão e entrega de materiais como cartões de visitas. Operamos de forma simples, facilitando o acesso dos clientes, atendemos principalmente empresas em crescimento que querem se estabelecer no mercado e tornar-se mais competitivas.

E como surgiu a ideia?
Claudio: Após ter presenciado de perto várias atrocidades ao estudo do Design, decidi que estava na hora de abrir meu próprio negócio e fazer da forma correta. Hoje os designers são os únicos profissionais capacitados para diferenciar uma empresa de outra, já que existe muita concorrência e singularidade de serviços e preços. Dessa forma, nos resta apenas o formato da comunicação visual para diferenciar uma empresa de outra e transparecer as diferenças de cada corporação. O design é mais que uma mente criativa; nós profissionais possuímos conhecimentos de artes, design, publicidade e marketing. Nós aprendemos a pensar de forma dedutiva, analisando possíveis falhas, e buscando sempre a função aliada a forma estética.

Há quanto tempo a empresa existe?
Claudio: A Design In Box tem dois anos de existência, porém um ‘nou-rau’ de mais de 15 anos de atuação. Depois de eu ter trabalhado em várias empresas do ramo começando por baixo, até chegar a direção de arte em agências de publicidade, pude perceber que no interior existe um certo descaso com nossa profissão. Muitas empresas visam apenas o lucro e, por falta de conhecimento dos clientes, corrompem o mercado utilizando arquivos prontos baixados aos milhões em bancos de dados e realizando um serviço sem estudo ou estratégia, mantendo profissionais sem formação acadêmica para manter custos baixos e uma produção em massa, sendo que o fruto de nosso trabalho deve ser único. Quando desenvolvemos uma peça gráfica pensamos nas várias aplicações, nas cores e emoções que elas causam e a que tipo de público cada elemento comunica, também analisamos o mercado e suas tendências, assim como os concorrentes, tornando o resultado mais eficiente e assertivo.

Você é designer, certo? Como surgiu esta profissão na sua vida?
Claudio: Comecei a desenhar e a pintar quadros aos 13 anos, e percebi cedo que minha área de atuação teria algum envolvimento com o conhecimento artístico. Vim para Bauru aos 19 anos, onde comecei aulas de desenho e pintura com o professor Alcione e a cursar a faculdade de história por um ano. Era um belo curso, mas ainda não era a profissão que eu queria. Tentei, então, um ano de administração e de Publicidade onde acabei abandonando os dois cursos. Parecia que não me encontrava, após analisar minha vida, me permiti voltar a minha essência, nessa busca voltei e ter aulas de desenho, com o Professor Sergio Nakata, onde descobri o universo do design. Logo no primeiro ano de faculdade comecei a estagiar na área começando por baixo, no terceiro ano comecei a trabalhar no Jornal da Cidade. Foi um ótimo aprendizado, lá era design de anúncios e logo fui para o setor de infografia, pela minha habilidade como ilustrador. A rotina do jornal é pesada, fazer um exemplar por dia é uma tarefa árdua e exige velocidade. Em 2011 saí do jornal e fui para Florianópolis, onde trabalhei em grandes agências, primeiro como arte finalista, chegando em seguida a direção de arte. Passei dois anos lá e voltando para o estado de São Paulo me estabeleci em Catanduva, aqui no interior, onde trabalhei mais um ano em uma das mais tradicionais agência de publicidade da cidade. Em seguida, montei meu estúdio de criação.

Se você pudesse dar alguma dica para os designers, qual seria?
Claudio: A dica é: não se corrompam ao estilo de produção em massa, cuidado ao usar arquivos de bancos de dados ou os famosos templetes, valorizem o seu serviço e as horas de estudo investidas, prezem pela qualidade de seu serviço e não pelo preço. Lembrem-se, o design é um projetista, ele é um profissional capacitado para realizar projetos, seja no desenvolvimento de uma logo, embalagem ou produto.

E para os empresários?
Claudio: Na minha carreira, presenciei muitas empresas fecharem antes do segundo ano de atuação, não posso assegurar que tenham fechado suas portas por não terem uma marca forte compatível ao nosso mercado ou não possuírem o apoio de profissionais adequados para produzirem materiais sólidos e fortes, porém posso assegurar que o descaso com a imagem de sua empresa mostra um comportamento de risco, que pode se estender a outros. Dou um exemplo de uma fachada mal resolvida, mal cuidada ou que não comunica-se com o público certo isso repele os bons clientes, e lembrem-se que arte gratuita não traz retorno, é dinheiro jogado fora, não adianta investir capital em impressão, se vc não possui o material adequado para ser impresso, gráficas e empresas de comunicação visual, não vendem design e sim papel e lona impressa, por isso oferecem a arte gratuita, pois lucram com a venda de papel, lona, PVC, e placas de ACM, entre outros materiais, saibam que se sua empresa não possuir um projeto gráfico bem resolvido as chances de permanecer e prosperam em nosso mercado são reduzidas.

No último Social Bauru Fashion Show, a Design in Box participou, certo? Como foi esta parceria?
Claudio: A parceria com o Social Bauru foi ótima, fiquei feliz em receber o convite para desenvolver os materiais de divulgação do desfile. O Vinicius Fernandes (proprietário do Social Bauru) é o cliente dos sonhos, sabe a importância do nosso trabalho e confia as atividades, permitindo e respeitando, é um exemplo de empresário a ser seguido, não é de espantar o sucesso do evento, tal como o crescimento da empresa.

Para saber mais sobre a Design In Box, acesse: http://designinbox.net/
Contatos:
Facebook: https://www.facebook.com/Claudio-Luongo
Email: [email protected]/ [email protected]
Blog: http://lua8design.blogspot.com.br/

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios
...

Verifique também

Com 37 anos de história em Bauru, decoradora passa para filho o que aprendeu com o pai

As fotos desta matéria são um exemplo do cuidado da Ana Paula Domingues com a decoração. A…