A advogada Bárbara Dotti sempre se preocupa em proteger o Lucky durante as altas tempreaturas
A advogada Bárbara Dotti sempre se preocupa em proteger o Lucky durante as altas tempreaturas

O verão está aí e os bauruenses já começaram a sentir o efeito das altas temperaturas. E, não pense que só você está sofrendo com o calor daqui. Os animais de estimação também merecem atenção, principalmente no verão, como explica a veterinária Ana Cláudia Ferreira Martins.: “Muita gente pensa que não, mas os animais também sofrem com o calor. Por isso, sempre devemos ficar atentos aos sinais que eles dão para gente, como respiração acelerada ou quando ficam muito tempo sem apetite”.

Mas o que fazer para proteger aos animais, durante este período? Para tirar todas as dúvidas sobre o assunto, a profissional desvendou alguns mitos sobre os cuidados com os pets no calor. Confira:

O animais também podem ter câncer de pele.
Verdade. “Assim como nós seres humanos, o excesso de sol sendo agravado nos horário de pico é um dos fatores para o aparecimento do câncer de pele. Assim como nós, os animais de pele clara têm uma maior pré-disposição para o câncer de pele, por causa da falta de pigmentação protetora. Boxer branco e Pitbull branco, entre outras raças, têm mais possibilidade de contrair a doença. Vale lembrar que estes animais devem fazer o uso de protetores desenvolvidos para os animais, além de evitarem exposição ao sol em horário de pico.”

Os animais transpiram como nós.
Mito. “Os cães e os gatos possuem glândulas sudoríparas entre os dígitos, sendo assim, sua perda de calor se restringe à via respiratória. Devemos evitar locais abafados, sem ventilação e com exposição ao sol. E não podemos esquecer da hidratação, que é sempre muito importante.”

As chuvas podem trazer doenças aos animais, como leptospirose.
Verdade. “A chuva pode ocasionar algumas doenças, como leptospirose, mas não é a única causa. Vale lembrar que esta doença está presente na imunização feita por vacina, que deve ser feita logo aos 45 dias de vida e deve ser mantida regularmente, durante toda a vida do animal. A imunização, em conjunto com a ação de higiene e controle de roedores, diminui o risco da doença.”

Os bichos de estimação podem pegar dengue.
Mito. “Não, eles não podem pegar dengue, mas, assim como nós, também sofrem com as picadas de insetos. A preocupação é que ele pegue leishmaniose, que também é transmitida por um mosquito. É considerado uma zoonose, pois acomete o ser humano e outros animais. Hoje, existem no mercado alguns antiparasitários que são repelentes de mosquito. Porém, existe também a possibilidade de vacinar contra leishmaniose, diminuindo as chances do animal se infectar com a doença.”

+ Bauruenses comentam as vantagens de ter gatos em casa
+ Em Bauru, lei prevê multa para quem não recolher sujeira dos animais
+ Moradoras de Bauru montam projeto para ajudar animais abandonados

Doenças de pele são mais comuns nesta época do ano.
Verdade. No calor é sim mais comum que o animal tenha doenças de pele. Não podemos esquecer também das doenças causadas por parasitas, como pulgas e carrapatos, que também são comuns no verão. Devido ao calor e ao excesso de chuva, há maior incidência desses parasitas.

Todas as raças sofrem igualmente com o calor.
Mito. “Algumas raças sofrem mais com as altas temperaturas. Diferentemente do que as pessoas pensam, os animais de pelos longos, como Yorkshire e Spitz, por exemplo, não são os que mais sofrem com o calor. O pelo também serve como isolante térmico, como se fosse uma camada protetora. Lembrando também que a tosa é sempre uma boa opção para deixá-lo mais arejado. E, consequentemente, o dono fica mais feliz porque sente que o animal está se sentindo melhor.”

Animal de estimação pode ficar próximo ao ventilador.
Verdade. “Esta é uma forma de refrescar o ambiente, deixando os animais mais confortáveis. Também podemos programar o ar condicionado para que ele possa ligar e desligar em determinados momentos para o ambiente ficar mais frio.”

Os animais ficam mais estressados no verão.
Mito. “Na verdade, ele fica mais inquieto e menos ativo. É muito comum que o animal fique procurando locais frescos na casa, como o piso, para passar o dia. Também é comum que o animal coma menos nestas épocas. Lembrando que na veterinária não existe regra e o comportamento pode ser diferente para alguns animais.”

Algumas raças precisam de mais cuidados que as outras.
Verdade. “Sim, alguns animais que têm o focinho curto, como o Bulldog, Shit Izu e Pug, entre outros, são os que mais sofrem no calor. Devemos sempre ficar atentos aos sinais dos animais, como respiração acelerada, estar ofegante, sempre com a língua de fora. Não devemos deixá-los expostos a longos períodos ao sol. O ideal é que eles fiquem em ambientes mais frescos, com possibilidade de água abundante, porque eles são os que mais sofrem neste período.”

Mais dicas para ajudar aos animais
– Mantenha sempre a água fresca;
– Opte por bebedouros de barro que mantém a temperatura fresca por mais tempo;
– Coloque água em diferentes lugares da casa, porque alguns bichinhos têm preguiça de andar por toda a casa para beber água;
– Mantenha os animais em locais arejados;
– Respeite os horários de pico do sol;
– Não esqueça o protetor solar;
– Sempre utilize o controle de ectoparasitas e repelentes para evitar algumas enfermidades;
– Não exponha o animal em exercícios prolongados com o calor excessivo;
– Não saia de casa com o animal sem água. Mesmo que ele não caminhe, é importante estar preparado;
– Se for dar banho em casa, certifique-se que ele esteja bem seco para evitar as dermatites;
– O ideal é dar um banho por semana. Uma quantidade maior que esta pode retirar a camada protetora da pele que serve como uma barreira de defesa.

Serviço
Os interessados em produtos para os pets e banhos podem conferir todas as opções do petshop Tupet.
Local: Alameda Dr. Otávio Pinheiro Brisolla, 13-17, em Bauru.
Telefone: 3204-9448
Para saber mais, acesse: www.facebook.com/tupetpetshop

tupet

Compartilhe!
Carregar mais em Comportamento
...

Verifique também

Creche e hotel para cães em Bauru é alternativa para não deixar pet sozinho em casa

Ao lado do seu pet Nando, o bauruense Fernando Garcia nos conta sobre como criou o recém-f…