bazares-bauru

Buscar um consumo mais consciente, movimentar o mercado bauruense e expor produções artísticas de diferentes segmentos – famosos no exterior, os bazares de garagem já ganharam as casas e muitos moradores aqui da cidade. O ano passado, por exemplo, diferentes grupos realizaram edições em pontos da cidade para atingir público interessado em moda, arte, boa comida, desapego e economia. “Desde que eu comecei a organizar o bazar, eu mudei bastante. Antes eu mesma via bazar como um local onde eu ia comprar roupas para montar alguma fantasia pra festa ou pra alguma peça de teatro. Hoje em dia as coisas mudaram bastante e temos lojas incríveis que vendem roupas usadas e que são melhores que muitas lojas que vendem roupas zeradas. Sem contar que a crise chegou pra todo mundo, então acredito que esse seja um dos principais motivos de as pessoas deixarem um pouco de lado as compras de roupas novas e mais caras”, afirma Marcella Cabaz, uma das organizadoras do “Moda de Garagem”.

O Social Bauru conversou com outras organizadoras para saber sobre a moda já ‘pegou’ aqui em Bauru. E você, já aderiu a algum bazar?

 

Moda de Garagem
As organizadoras explicam que o Moda de Garagem é inspirado nas vendas de garagem já famosas nos Estados Unidos. Mas, diferentemente do que acontece lá, o foco dele aqui em Bauru é só a moda. “Recolhemos as peças em bom estado, etiquetamos todas, montamos um caixa improvisado e passamos o dia vendendo peças que não estamos mais usando”, dizem as organizadoras. A ideia surgiu a partir do interesse de Isabela Mastrangelli no tema ‘Slow Fashion’, tendência de moda sustentável e de uma forma mais consciente. “Aí, pensando na enorme quantidade de roupas que nós tínhamos guardadas e como a moda está sempre mudando, eu e a Marcella Cabaz resolvemos movimentar as peças que estavam paradas fazendo algo simples que trouxesse bons resultados. A primeira edição foi realizada por nós duas e a partir da segunda, nossa equipe aumentou com a colaboração das blogueiras Mirella Cabaz e a Jô Nascimento que adoraram a ideia”, conta. Até o momento, o bazar não tem uma periodicidade, tanto que, elas nem tinham a pretensão de fazer outros eventos. Com o sucesso e a crise econômica no país, repetir a dose ficou inevitável! “No final do ano passado, com a crise batendo à porta de todos, pensamos que seria uma ótima oportunidade das pessoas comprarem peças diferentes, por um precinho bacana. Esta também seria a chance de passar pra frente mais peças paradas. Daí organizamos a segunda edição, que fez ainda mais sucesso! E em janeiro desse ano acabou dando certo de realizar o Bazar em Avaí, que é uma cidade que eu e a Mirella (minha irmã e uma das organizadoras) já moramos, conhecemos bastante gente, então achamos que seria uma boa ideia. Enfim, fazemos quando dá vontade e quando dá certo, sem ficar planejando muito antes as coisas; é um evento esporádico”, conta.

 

Bazar Condomínio Jardins do Sul
Movimentar o mercado de diferentes empresários e ainda promover o networking – esses são os objetivos principais de Marisa Bicas, moradora do Jardins do Sul e organizadora do bazar que sempre acontece no condomínio, aqui na cidade. “Primeiro divulgamos em nosso Facebook e encaminhamos um email para os moradores. No total, são 226 casas, aproximadamente, pois algumas sempre estão pra alugar. Damos um prazo de inscrição para os interessados e marcamos uma reunião. A ideia do bazar no condomínio é ajudar os empreendedores que aqui residem, principalmente em meses de crise no comércio ou próximos a datas comemorativas”, explica. Este ano, o evento acontecerá a cada três meses, com a estimativa de participação de 500 pessoas por edição – o que comprova o sucesso e a aceitação do modelo. “As pessoas continuam consumistas, mas estão cada vez mais conscientes, buscando novas alternativas. Acredito que a crise econômica e a mídia contribuem para isso. As porcentagens de aumento abusivo dos produtos novos, não equiparam ao pouco aumento salarial. Nas redes sociais, podemos divulgar os produtos seminovos e bons serviços atrelados a baixo custo”.

 

+ Bauruenses aderem à moda dos restaurantes em casa
+ Bauruenses e os jogos de pôker
+ Moradores de Bauru testam delícias em casa e provam que são ótimos ‘chefs de cozinha’

 

Bazar na Varanda
Como Natália Nogueira costumava levar suas peças para vender na Unesp, onde estuda Artes, ela percebeu a quantidade de pessoas ao seu redor que também produzia muita coisa legal. Foi aí que deu um ‘click’: fazer um bazar onde todo mundo pudesse expor e vender as suas produções. A primeira edição do ”Bazar na Varanda aconteceu em 2013 e, de lá pra cá, são realizados dois eventos por ano. “A cada edição, abrimos entre 20 a 25 ‘lotes’ na varanda e sempre lota. A verdade é que falta espaço, pois hoje em dia recebemos cerca de uns 100 e-mail de interessados, cada vez que abrimos a chamada. E o que é legal: há sempre retorno de pessoas que participaram de edições anteriores”, comemora. Com todas as edição e tanta adesão – cerca de 1.200 visitas – Natália acredita que a população está cada vez mais consciente e interessada neste tipo de consumo. “Não é possível que iremos manter esse ciclo de descarte exagerado e efêmero. Que iremos perpetuar esse consumo baseado na exploração do outro. Para termos uma ideia, para produzir uma calça jeans vão 11 mil litros de água. Todos os dias são descartados 20 toneladas de lixo têxtil só no Brás e Bom Retiro, em São Paulo. Se vamos passar anos nesse mundo e trazer nossos filhos para cá, não podemos manter esse sistema”, diz.

 

Bazar do Desapego
Tamylin Silva e Mayra Ferraz uniram a amizade e a paixão pela moda para criar o ‘Bazar do Desapego’, evento que acontece em Bauru com vendas de roupas em bom estado com preços bem acessíveis. O ano passado, a edição do bazar ganhou uma novidade: a participação de quatro blogueiras que doaram cerca de 100 peças cada uma que serão vendidas com preço, a partir, de 5 reais. “As coisas estão absurdamente caras. Está todo mundo ganhando pouco em relação aos valores que encontramos nas lojas, então podemos perceber até as lojas investindo em bazar e outlet. Até mesmo as liquidações de coleção de inverno começaram antes do próprio inverno. As pessoas estão mais seletivas e mais espertas. Acredito que isso se dá graças aos bazares e sites de compra que dispõe ao consumidor comprar peças de tendência e muitas vezes de marca por metade do preço que encontramos nas lojas”, afirma Tamylin e Mayra completa: “Ouvi de duas clientes nossas essa semana que o evento tirou a má impressão sobre roupas usadas”. O evento deu tão certo, que além das blogueiras, as duas já fizeram parcerias com diferentes lojas da cidade para proporcionar opções mais baratas à população.

 

Para saber mais detalhes sobre os bazares, acesse:
Bazar do Desapego: www.facebook.com/BazaardoDesapego
Moda de Garagem: www.facebook.com/Moda-de-Garagem
Bazar na Varanda: www.facebook.com/bazarnavarandabauru
Bazar Condomínio Jardins do Sul: www.facebook.com/condominio.jardinsdosul

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Comportamento
...

Verifique também

Tatuador de Bauru “tatua” o corpo inteiro da apresentadora Mari Moon

Imagina se deparar com a mensagem de um famoso reconhecendo o seu trabalho. Pois é, isso a…