Pra muita gente, a parte mais legal de uma mudança é a decoração. Arrumar os móveis, pendurar os quadros e posicionar os objetos preferidos é muito importante para deixar a casa com cara de lar, um espaço aconchegante e confortável. Mas o espaço, quando é restrito como em kitnets, muitas vezes, dificulta o trabalho pra quem não conta com um profissional.

Por isso, conversamos com alguns profissionais de Bauru para saber quais as melhores opções para aproveitar ao máximo os espaços em lugares pequenos. Olha só quanta dica legal!

 

Priscila Cucci

Segundo a arquiteta, Priscila Cucci, o ambiente precisa ser funcional: “para decorar sua kitnet de forma criativa e dinâmica opte por móveis claros para que o espaço pareça maior e inclua objetos coloridos na decoração. Não existe espaço pequeno, e sim, espaço mal aproveitado. Aproveite os móveis existentes para formar diversos ambientes dentro da sua kitnet. Utilize uma estante para dividir o ambiente e ter mais privacidade”.

 
 

Aline Turini

“As kitnets estão cada vez mais presentes na vida das pessoas, principalmente dos estudantes ou no início da vida de um casal. Esses imóveis têm como principal característica a inexistência de divisões dos ambientes, sendo um único espaço, com exceção do banheiro, o que acaba deixando os futuros moradores um pouco perdidos de como começar a mobiliar e decorar. A principal dica é setorizar a área de acordo com suas funções ou determinar fluxos, criando divisões. Alguns elementos, como biombos, painéis, aparador ou até mesmo um tapete, criam uma ‘barreira visual’, diferenciando os espaços. As cores claras e o uso de espelhos deixam os ambientes mais amplos e ajudam a refletir a luz, deixando-os mais leves. Para trazer cor e vivacidade, o ideal é escolher uma única parede para receber essa tonalidade, de preferência a primeira que se vê ao entrar no apartamento, deixando a sensação de profundidade para o local. Em uma kitnet, o mais indicado é utilizar móveis planejados, que permitem aproveitar cada espaço e atender as necessidades do morador. Porém, caso não seja possível, por ter um custo mais elevado, é indispensável que antes de comprar os móveis sejam tiradas as medidas de cada cantinho, para conseguir o efeito e a organização desejada. Ao planejar os espaços, a escolha primordial é o local da cama, pois é ela quem vai determinar onde fica o quarto. Quanto mais longe da cozinha e da porta de entrada melhor, se possível, posicioná-la próxima à janela. É importante seguir um padrão de decoração, afinal a kitnet é um único ambiente, portanto utilize apenas uma cartela de cores e peças do mesmo estilo. Por último, aposte em móveis multiusos, é uma estratégia de aproveitamento do espaço, como utilizar cama baú, pufes com espaço de armazenamento ou aparadores que possam ser utilizados como mesa de escritório.”

 
 

Augusto Nebo

“O local onde moramos sempre foi uma das nossas principais preocupações. Como transformar o local físico em um verdadeiro lar, um lugar com ‘nossa cara’ e único? Eis a questão. Uma kitnet, em sua maioria, é moradia para estudantes, ou moradores de passagem, mas não é por esse motivo que a não pode ter a ‘cara’ e o ‘jeito’ de seu morador, para tornar-se um lar de fato. A decoração e layout merecem um certo cuidado pelo fato do espaço ser pequeno e, na maioria das vezes, integrados entre si, salvo o banheiro. Portanto, tudo tem que estar no seu devido lugar, de preferência com móveis planejados, utilizando-se de armários suspensos em média e elevada altura, além dos móveis que se encaixam, tais como, um puff ou banquinho guardado bem em baixo do rack da tv – que é um ótimo exemplo. O layout tem que ser prático, fácil, móvel e acessível. Locais de apoio são essenciais para se depositar chaves, carteiras, papéis, compras, etc. Uma boa mesa ou aparador nunca é demais, não esqueçam deles. Dê preferência para portas de correr nos armários, e nichos nas paredes, isso irá ajudar na circulação interna. Na parte da pia, reserve um lugar para preparar as refeições, podendo suspender o escorredor de pratos no gabinete suspenso. Essas são as principais dicas, fora isso, deixe seu lar a sua cara, inove, aposte, faça da sua maneira, cada um tem um jeito de morar, não é?!”

 
 

João Gabriel Felder

“Primeiramente, por se tratar de um espaço reduzido, o ponto principal é ter somente o necessário. Isso acaba trazendo um amadurecimento pessoal de filtragem do que vale a pena ou não levar para dentro de casa. Outro ponto é priorizar uma mobília lisa, sem muitos detalhes, frisos, ornamentos, etc. Esse tipo de coisa dificulta a manutenção do ambiente e, quando se tem móveis mais lisos e retos, a limpeza é mais fácil e demanda menos tempo para ser realizada. Isso possibilita mais conforto e praticidade. Ambientes pequenos também pedem cores mais neutras, como o branco, gelo, palha, fendi, etc. A cor clara não enjoa e dá a sensação de amplitude quando o espaço é desprovido de área. Dependendo do kitnet, existe a possibilidade de fazer uma subdivisão do espaço, através de biombos e elementos vazados. Isso é ideal para separar a cama da sala de TV/estar e de jantar. De um modo geral, o espaço deve ser sempre potencializado.”

 
 


Thamiris Suavi e Rafael Carvalho

“Nunca deixe de tentar imprimir seu estilo em qualquer espaço, por menor que seja. Às vezes, nos intimidamos com lugares poucos espaçosos. Metragens limitadas sempre nos assustam e fica difícil imaginar todos os nossos sonhos em pequenos ambientes, mas não se deixe levar por esse pensamento. Pequenos espaços pedem grandes soluções e o segredo para obter ótimos resultados trabalhando com espaços limitados, na maioria das vezes, é o bom senso na hora de decorar. Às vezes queremos colocar toda a nossa personalidade dentro de um único ambiente, como por exemplo referências de filmes ou livros que gostamos, nossa cor predileta ou algo que remeta a um hobbie ou esporte que praticamos. Porém, é importante levar em consideração que um espaço repleto de informações se torna cansativo aos olhos e, depois de um tempo, certamente, você irá se sentir desconfortável dentro de sua própria casa. Nossa dica é: Intercale espaços com informações e elementos que remetam à sua personalidade, com espaços neutros e limpos. Para exemplificar isso podemos pensar em um ambiente onde uma parede possua alguns quadros e enfeites que você goste e, em frente a essa composição, nós deixemos um espaço limpo, com paredes brancas e pouca decoração. Isso fará com que seu ambiente fique harmônico e coerente, sem deixar de lado toda sua personalidade e a individualidade que torna seu cantinho mais que especial.”

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Geral
...

Verifique também

Festival de Inverno do Villa Rondon em Bauru terá atrações como Léo & Raphael, Bruno Araújo e Dj Elieser

Nem só de Arraiá vivem os bauruenses! Mas, sertanejo nunca é demais, por isso, o Villa Ron…