dicas-inter

Você provavelmente já ouviu muitas histórias sobre os maiores jogos universitários da América Latina, “O Inter”. A novidade é que, em 2017, Bauru vai sediar esse evento que reúne mais de 10 mil pessoas, e, por isso, se você nunca foi a alguma edição, essa é a hora de aproveitar a oportunidade.

E, para quem não sabe como se preparar para a festa ou quem ainda está em dúvida se deve embarcar nessa aventura, nós conversamos com algumas pessoas bem experientes no assunto, que deram dicas para enfrentar quatro dias de festa!

Carol Firmino – 7 vezes no Inter
“Bom, eu sempre começo a pensar na minha mala um tempo antes, pra não esquecer nada, mas confesso que deixo a fantasia pra última hora. Antes, eu tinha mais criatividade, mas o tempo vai passando e a gente vai perdendo um pouco… (risos). Acho essencial guardar um pouco de ‘grana’, porque, por mais que você deixe pra usar um pouco do cartão, é no dinheiro vivo que você acaba gastando mais. Por exemplo: a comida é encontrada entre um ginásio e outro (pra quem curte ir aos jogos) e, a maioria, só aceita dinheiro. Outra dica é: vá aos jogos. As festas são sensacionais, mas são festas. Você ainda vai a mil festas na sua vida. Mas ir a um jogo, vestir a bata do seu campus, torcer pelo seu amigo atleta, comemorar um gol ou uma cesta junto com ele, vibrar com a torcida que te representa, são momentos únicos. Isso tudo é tão único que foi aí, onde eu fiz meus melhores amigos da universidade, aqueles que eu passo 365 dias do ano esperando pra reencontrar e dar muita risada. Então, essa é a minha dica: em especial para quem é da UNESP BAURU e ainda não foi pro Inter, vá pra quadra, com a ‘Febre Amarela’, com a ‘Naumteria’, com as ‘Texuguetes’. A essência do Inter é isso. E se der sono, dorme só um pouquinho e pede pro amigo te acordar pra curtir a festa durante a noite.”

Rafael Gonçalves de Oliveira – 6 vezes no Inter
“Psicologicamente, tento me manter calmo e desestressado, afinal, em grandes eventos sempre ocorrem alguns imprevistos. Financeiramente guardo um dinheirinho durante o ano e, principalmente, perto do evento. Penso em tudo que vou precisar e tudo (ou quase) o que levo estou disposto a arriscar e voltar sem eles. Mas acho que a principal dica é: vá! Menos é mais, tenha cabeça aberta, desapego de luxos, se jogue, se suje e se pinte. Respeito é sempre bom e tenha muita paciência porque sempre algumas pessoas ‘sem-noção’ que fazem brincadeirinhas que passam do limite.”

Nadia Nagel – 7 vezes no Inter
“Começo a me preparar no momento em que o Inter anterior acaba, tentando descobrir quais cidades vão se candidatar, pensando no clima da cidade, tamanho, etc. Uns quatro meses antes, começo a pensar na fantasia, tentar descobrir qual vai ser a festa do meio. Mas a preparação, oficialmente, é sempre duas semanas antes: pintar o cabelo com a cor do campus é um ritual que eu sempre fiz parte; pensar em como vou customizar a bata e começar a fazer mil listas de coisas para colocar na mala (que não são usadas). Essencial no Inter? Escova de dentes, que não dá pra pegar emprestado. Todo o resto você dá um jeito. Mas nunca fiquei sem dormir, sem comer, sem banho e sem roupa – não importa a situação em que me enfiasse. Uma dica é que ‘Inter não é micareta!’ Dá sim pra ‘pegar’ todo mundo, mas se você for só com essa intenção não vai aproveitar nem um terço do ‘rolê’. Você não vai conseguir ficar limpo e bonito o tempo todo, você vai voltar com o tênis/pé cheio de lama. Se não desencanar e aproveitar de uma forma mais tranquila e livre, você acabará não curtindo.”

Guilherme Ferrari Bevilacqua – 3 vezes no Inter
“Eu me preparo procurando coisas para fazer a fantasia da festa e checando com meus amigos o que cada um vai levar. Minha dica é, se você é fresco ou tem nojo de se sujar esqueça isso quando for ao Inter, porque as pessoas pulam na lama, se pintam, etc. Entao vá com a cabeça aberta e ignore o banheiro do alojamento. Isso é algo que você só vai ter que aturar por quatro dias e vale a pena pra participar do evento. Não vá só pensando só em festa e ficar ‘louco’ na tenda; os jogos são muito legais, assim como escutar a bateria tocando e torcer pelo seu campus.”

Thuany Gibertini – 2 vezes no Inter
“Como eu faço parte da Torcida Organizada, temos uma preparação ao longo do ano todo que vai desde estabelecer um contato com o campus chamando todo mundo pra ir com a gente pra quadra, organizar festas pra arrecadar dinheiro, além de estar sempre presente nos amistosos para acompanhar e apoiar desde o início os nossos atletas. Como estudante fora desse âmbito de instituições, junto aquela ‘grana’ para comprar o pacote, busco saber se temos gritos ou músicas novas para aprender, compro tudo o que é possível no meu orçamento de itens dos kits pra torcer por Bauru e compro muita pastilha pra garganta. Uma dica: não deixe ninguém cortar sua onda e curta muito. Descubra qual é sua vibe, se é tenda ou quadra, mas não falte em nenhuma festa noturna. Conheça todas as instituições e modalidades do seu campus no decorrer do ano, assim, você pode se identificar com alguma coisa e, particularmente, é uma experiência inigualável fazer parte de uma dessas loucuras. E a palavra de ordem é ‘integração’! É insano o sentimento unespiano que você encontra nesse ‘rolê’, como você faz amigos instantaneamente e brinca com as rivalidades entre os campus. Tudo isso é muito lindo.”

Felipe Xavier – 4 vezes no Inter
“O melhor para se preparar é se preocupar com as modalidades e sempre estar por dentro de tudo, para não ficar perdido quando estiver no Inter! Acho que as palavras essenciais são disposição e alegria. Temos sempre estar dispostos para acompanhar os jogos e essa maratona de quatro dias. Uma dica pra quem nunca foi é: não deixe de ir, principalmente nesse ano que o Inter vai ser em casa, a oportunidade de torcer pelo seu campus e sentir aquele frio na barriga é único. Então, a única dica que tenho é essa, não deixe de maneira alguma de ir no Inter!

Beatriz Motta – 3 vezes Inter
“A ansiedade já fica a mil um mês antes! Eu sempre tento ir organizando dinheiro e mala pelo menos uma semana antes, para não esquecer nada. Costumo comer bem antes de ir e tomar bastante água. Já nas festas em si, o essencial é levar documento, dinheiro e ingresso, nunca esqueça nenhum deles. A única dica que eu posso dar é vá e aproveite cada minuto! É incrível e você nunca vai esquecer dessas experiências.”

Edgard Schimidtt de Paula (Fúria) – 2 vezes no Inter
“Como integrante de uma bateria universitária, a preparação começa no início do ano, quando são ministrados os primeiros ensaios. Ao longo do ano, vamos praticando os gritos de guerra de Bauru e criando muita resistência para torcer no máximo de jogos possíveis e apoiar a cidade. Essa é a preparação do ponto de vista de um ritmista da bateria. Uma dica pra quem nunca foi: vá! É uma experiência impressionante, é uma integração maravilhosa. Você tem contato com pessoas de todo canto de São Paulo (e do Brasil) que estão na mesma situação que você e isso é mágico. Mas não é só festa, participe dos jogos (jogando ou torcendo). Você não faz ideia do quanto é importante a torcida nos jogos e a diferença que faz uma arquibancada toda amarela gritando e pulando por Bauru. No fim das contas, curta e aproveite esse evento ao máximo, conheça outras pessoas, sempre com muito respeito e responsabilidade. E vamos Bauru rumo ao 12!”

Luan de Souza Leite – 2 vezes no Inter
“Se preparar? Pra quê? Só se for financeiramente para guardar dinheiro, porque de resto, só vai! Não levar muita roupa, porque geralmente não se usa (experiência própria). Inter é um evento que todo unespiano deve ir pelo menos uma vez na vida. É difícil explicar a sensação de estar em um local que todo mundo tem algo em comum: o orgulho de ser unespiano. Costumo dizer que Inter é sofrimento (dificilmente você irá dormir muito no alojamento devida as condições do local.) mas é daqueles sofrimentos que valem a pena!”

Aline Zani – 2 vezes no Inter
“Eu me preparo em relação a quantidade de dinheiro que posso gastar com o evento! Tanto para comprar o pacote (que geralmente inclui o transporte, alojamento e as festas), quanto para comprar as refeições de todos os dias na outra cidade! E também de não esquecer nada que será necessário no uso do dia a dia, por conta de ser uma viagem. Como eu faço parte da bateria universitária, eu me preparo muito para o Inter por conta do desafio das baterias, tendo ensaios ainda mais frequentes perto do evento! Uma dica para quem nunca foi no Inter é aproveitar cada segundo, ir aos jogos mesmo estando cansado, pois é uma energia incrível e totalmente diferente de outros jogos que, pelo menos, eu fui. A energia unespiana que corre pelo ar não tem igual!”

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Geral
...

Verifique também

Como realmente funciona a previsão do tempo? Entenda!

Você já parou para pensar como realmente funciona a previsão do tempo? Muito vezes, preocu…