via-lactea-bauru

Com quase dez anos de experiência, o fotógrafo Gabriel Cabreira ousou no último final de semana. Depois de fazer algumas pesquisas e, claro, estudar muito, o bauruense achou o ponto exato para conseguir fotografar a Via Láctea. O resultado? Fotos impressionantes!

Nossa equipe bateu um papo com fotógrafo que falou um pouco mais sobre sua experiência, que aconteceu no último final de semana. Vem ver:

Onde e quando você tirou a foto?
Fiz uma sequência de oito fotos. Foram tiradas no sábado de madrugada em virtude a fase que a Lua se encontra e das condições necessárias para realização do trabalho. É uma junção: temperatura, fase da Lua e o local, que é preciso que esteja o mais escuro possível, sendo bem afastado de qualquer cidade.

Como você chegou neste ponto?
Eu faço pesquisas em alguns sites que mostram o índice de poluição luminosa, então consigo traçar exatamente um local que terá menos poluição. Aqui no estado São Paulo não é possível encontrar praticamente nenhum lugar 100% favorável, mas alguns possibilitam a realização da foto.

A foto mostra a Via Láctea, é isso?
A Via Láctea é visível a olho nu, contanto que esteja nessas condições que mencionei. Ela é um sistema espiral na qual o sistema solar faz parte, com trilhões e trilhões de estrelas. A vista dela é muito comprometida devido a poluições e as interferências climáticas.

E as fotos não têm tratamento, certo? Elas estão naturais?
As fotos têm tratamento sim. Quando trato uma foto, procuro deixá-la mais próxima do que eu estou vendo na hora. No caso destas fotos, eu utilizei 30 segundos de exposição e, distante desses 30 segundos, a câmera registra toda a luz que passa na frente, deixando o céu mais colorido. Neste dia ainda tinham algumas partes nubladas que, ao misturar com a luz, deram um efeito bem bacana. Mas as fotos são tratadas sim, porém sem nenhuma montagem.

Uma pessoa amadora consegue tirar esta mesma foto?
Eu acho que todos estão aptos a tirar qualquer tipo de fotografia ou realizar qualquer tipo de trabalho, contanto que estude muito para isso e corra atrás do objetivo. Toda fotografia noturna tem um nível de dificuldade a mais – essas mais ainda. Eu estudo faz uns três anos esse tipo de técnica e só agora que resolvi ir em busca dessa foto. Irei fazer novas saídas para ir cada vez mais aperfeiçoando a técnica. Dessa forma, o fato da pessoa ser amadora não significa que ela tenha pouco conhecimento de fotografia. Existem muitos profissionais que levam a fotografia como hobby e, por isso, ‘perante a sociedade’ são considerados amadores! (risos). Mas alguém que esteja começando na fotografia tem um certo caminho a percorrer, sim, pra conseguir efetuar esse tipo de foto. Mas nada é impossível, basta se dedicar.

E há quanto tempo você é fotógrafo?
Sou fotógrafo desde 2009, quando comecei como hobby. Estudei muito e mergulhei de cabeça na fotografia. Em 2014 comecei meus trabalhos como fotógrafo publicitário que durarão até 2094… (risos).

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Cultura
Comentários estão encerrados

Verifique também

Viver Escola Waldorf – Bazar Natalino