publieditorial

Para muitas pessoas, a perda involuntária de urina é um problema relacionado ao envelhecimento, mas o que poucos sabem é que ela pode acometer qualquer pessoa.

Segundo a coordenadora do curso de fisioterapia da FIB, Cintia Zacaib Silva, a doença diminui a qualidade de vida. “A disfunção miccional afeta dramaticamente as pessoas, causando problemas psicossociais, higiênicos e sexuais. Um grande número de pessoas que sofre com a perda de urina não procura ajuda profissional por vergonha ou por achar que esse problema é normal e se exclui do convívio social”, explica.

A boa notícia é que a solução para esse problema é simples, indolor, de baixo custo e está na fisioterapia uroginecológica. Isso se deve ao fato de a fisioterapia trabalhar os músculos do assoalho pélvico, que têm a responsabilidade de dar suporte e sustentação aos órgãos pélvicos como bexiga, útero e intestino. Assim, o tratamento promove a manutenção da continência urinária e fecal, além de favorecer as funções sexuais.

Tratamento em Bauru

Aqui em Bauru há atendimentos gratuitos em fisioterapia uroginecológica para a população. O tratamento é oferecido a homens e mulheres, adultos, crianças, gestantes e idosos, com qualquer tipo de disfunção miccional: perda de urina (incontinência urinária), urgência miccional, noctúria, enurese noturna, polaciúria, prolapso de órgãos pélvicos, pré e pós-cirúrgicos de câncer de próstata, histerectomia e de prolapso de bexiga, útero, reto.

O tempo de tratamento da incontinência urinária vai depender da avaliação para verificar o grau de comprometimento do períneo, causas e histórico da disfunção. Para isso, a professora Cintia Zacaib explica que é necessário comprometimento do paciente.

“Para que os resultados da fisioterapia uroginecológica sejam bem-sucedidos a longo prazo é necessário disciplina e comprometimento do paciente com os exercícios e orientações propostas, associados ou não a medicamentos. A duração média de tratamento é de um ano e é aconselhado que a paciente continue a realizar os exercícios semanalmente para diminuir a reincidência da doença”, diz.

Os atendimentos são realizados de terça e quinta-feira, das 19h às 22h, na Clínica de Fisioterapia da FIB e são coordenados pela Professora Dra. Fernanda Piculo, Mestre e Doutora em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia pela Faculdade de Medicina de Botucatu (FMB) -UNESP.

Para agendar é necessário apenas que o interessado ligue na clínica de segunda à sexta, das 8h às 22h, e tenha o encaminhamento do médico.

Técnicas utilizadas

As técnicas mais utilizadas pela fisioterapia pélvica para o tratamento da incontinência urinária são quatro. Confira:

– Cinesioterapia: o treinamento dos músculos do assoalho pélvico com exercícios específicos, denominados exercícios de Kegel, permite que o paciente consiga identificar essa musculatura e realizar o treino individualizado para a disfunção apresentada. O objetivo básico é o reforço da resistência uretral e a melhora dos elementos de sustentação dos órgãos pélvicos.

– Biofeedback: por meio de sinais auditivos ou visuais, é possível uma leitura e interpretação em tempo real da atividade elétrica das fibras musculares do assoalho pélvico, capacitando o paciente a identificar os músculos a serem trabalhados, aumentando a percepção sensorial, restabelecendo a coordenação e o controle motor voluntário, resultando em melhora funcional e consequentemente dos sintomas urinários.

– Eletroestimulação: utilizada no fortalecimento dos músculos de assoalho pélvico, melhorando a função urinária, aprimorando coordenação e força desses músculos e inibindo as contrações da musculatura detrusora, regulando o reflexo miccional.

– Cones vaginais: são pesos que variam de 20g a 100g para o treinamento funcional dos músculos do assoalho pélvico nas atividades diárias. A mulher pode melhorar o tônus da musculatura pélvica introduzindo cones de material sintético na cavidade vaginal, exercitando a musculatura do períneo na tentativa de reter os cones e aumentando progressivamente o peso dos mesmos.

– Terapia Comportamental: o paciente é orientado sobre a ingesta de líquidos durante o dia e a noite, alimentos e bebidas que irritam o músculo da bexiga, funcionamento intestinal adequado e intervalos regulares de micções, com uso do diário miccional se necessário.

Fisioterapia é na FIB

O fisioterapeuta é um profissional que atua na promoção de saúde, na prevenção, tratamento e reabilitação em nível individual e coletivo, tendo o movimento como principal objeto de trabalho. Sua atuação tem por finalidade favorecer, preservar ou restaurar a capacidade funcional do indivíduo, objetivando sua qualidade de vida.
A graduação em Fisioterapia na FIB, em Bauru, é nota 4 no MEC (Ministério da Educação). Além disso, é um curso com alta taxa de alunos empregados e que passam nas especializações e aprimoramento com bolsa de estudos em universidades como USP, UNICAMP, UNESP, CENTRINHO.

As inscrições para o vestibular agendado da FIB devem ser feitas pelo site www.fibbauru.br. A prova é composta por uma redação no estilo dissertativa. Além de contar com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), a FIB disponibiliza bolsas do Programa Universidade Para Todos (Prouni) e do Programa Escola da Família. Como forma de facilitar o acesso dos candidatos, a faculdade oferece também a opção de um financiamento interno de até 50% do valor da mensalidade (consulte o regulamento).

Serviço:
A FIB- Faculdades Integradas de Bauru – está localizada na Rua José Santiago, quadra 15, Jardim Ferraz, em Bauru (SP)
Mais informações podem ser obtidas também pelo telefone (14) 2109-62 06 ou pelo (14) 99822-3829 (WhatsApp)
Site: www.fibbauru.br
Facebook: www.facebook.com/FIBBauru

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Negócios
Comentários estão encerrados

Verifique também

FIB apresenta curso de Administração com foco em empreendedorismo

Um dos aliados na hora de abrir o próprio negócio é a base teórica e, para isso, o curso d…