publieditorial

Ainda quando morava na Bahia, durante a infância Moacir Santana e seus dois irmãos aproveitavam as inúmeras árvores frutíferas do orfanato onde moravam para escalar e pegar os frutos – um deles era o coco. O objetivo? Fazer cocada. As colheitas eram feitas na surdina, até que um dia os meninos foram dedurados por um vizinho. O castigo na cozinha, mais tarde, se revelou o ponta pé inicial para Moacir descobrir o talento gastronômico.

“Eu fui criado em orfanato, mas mãe sempre criou todo mundo como irmão né. Então eu comecei a ajudar as minhas tias a fazer comida para o pessoal com 14 anos. Eu cozinhava para mais de 50 pessoas. Nesse mesmo orfanato, a gente tinha uma padaria, onde fazíamos pão para a instituição e para a comunidade local”, relembra.

Muito do que o baiano aprendeu foi na prática e, com 17 anos, ele entrou no curso de gastronomia no Centro Universitário Jorge Amado. Hoje, ele coleta experiências cozinhando para grandes eventos como Stock Car, casamentos, formaturas, entre outros. Até em 2012, Moacir recebeu o convite de um amigo, o Guga, para chefiar a cozinha de um bistrô em Jau e veio parar no interior de São Paulo.

Chef baiano em cozinhas bauruenses

Depois de passar por dois restaurantes de Bauru, o chef está no comando de cinco cozinheiros no Bar da Rosa – local onde se encontrou gastronomicamente. “Aqui eu consigo fazer uma comida que eu cresci comendo, eu uso muitos ingredientes como a mandioca, o alho e o dendê. É uma comida mais caseira com sabor espetacular e sem muita pretensão, com preço justo”, diz.

O restaurante tem o cardápio direcionado para a comida nordestina, criações do chef que trouxe referências da infância na terra natal. Se no almoço, ele oferece pratos com carnes diversas acompanhadas do famoso arroz, feijão, farofa e vinagrete, no jantar a aposta são as porções. É durante a noite que a Bahia toma conta da cozinha do bar com petiscos de mandioca, tapioca, carne seca, batata com linguiça, entre outros.

Além disso, o cardápio também conta com novidades para o mês de dezembro com pestiscos, lanches vegetarianos e veganos.

Bauru baiano

Até o prato mais típico da cidade ganhou sabores nordestinos, mas não pense como uma afronta, a releitura do chef Moacir é uma singela homenagem do cozinheiro baiano que habita terras sem limites. Para ele o “Bauru” é maravilhoso e, diferente das outras receitas, foi uma comida que aprendeu a comer aqui. Antes de se arriscar no famoso pão, rosbife, queijo, tomate e picles, ele experimentou as receitas mais tradicionais da cidade.

Ficou curioso para saber o que tem de novo no velho Bauru? Segue a releitura do Bauru do Moacir: “o pão é o tradicional, mas o rosbife é selado e cortado em fatias bem fininhas. Já o queijo é uma mistura de qualho, mussarela e orégano e vai apenas uma fatia, é pra dar mais sabor. Os tomates são frescos e acompanhados do picles. Além disso eu acrescento a maionese da casa”.

Jantar a quatro mãos

Cozinhar é uma atividade ampla e ainda tem muito o que ser explorado. Apesar de todo o conhecimento adquirido com anos de experiência, Moacir acredita que ninguém sabe tudo. Para continuar aprendendo cada dia mais, o chef dá continuidade à tradição de cozinhar com várias pessoas para fazer parcerias com os chefs bauruenses. Tudo começou ao lado de Denise Amantini, chef no Grão 3 em Bauru e, com o tempo, outras parcerias foram aparecendo.

As colaborações são periódicas e seguem um cardápio pensado segundo a especialização do cozinheiro convidado. Moacir já cozinhou ao lado da chefs como Minda, com a cozinha mineira, Irwing Ivankio, com comidas alemãs, e Rodrigo Peters, especialista em hambúrguer. E muitas outras parcerias já estão programadas, nos próximos meses com churrasco texano, comida vegana e comida oriental.

O “Chef convida” é realizado as quintas-feiras, no Bar da Rosa, e para Moacir o evento é uma oportunidade para diversificar o tempero. “Eu deixo aberto para a pessoa fazer o cardápio porque foge um pouco da minha comida e é bem legal. Em outras casa eu sempre tive vontade de fazer isso e aqui eu tenho liberdade”, explica.

Trabalhos independentes

Moacir Santana também faz o “Chef em casa”, cozinhando na casa das pessoas. Na maioria das vezes, o serviço é contratado para uma ocasião especial, por isso, o chef sugere opções de pratos levando em consideração a opinião do cliente. Ainda em relação aos cardápios, ele também oferece consultorias aos restaurantes ajudando a montar a carta de pratos que serão oferecidos.

Não é só aos ingredientes salgados que ele se limita, o chef também prepara bolos caseiros com as frutas da estação. Mas esqueça aqueles bolos decorados com pasta americana, Moacir – que cozinha somente o que come – prefere receitas mais rústicas com um toque refinado, como os Naked Cakes.

Serviço
Você pode experimentar as delícias do chef Moacir Santana no Bar da Rosa, localizado na rua Aviador Gomes Ribeiro, 20-81.
Outra forma é contratando os serviços particulares pelo telefone (14) 98214-3373.

Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Negócios
Comentários estão encerrados

Verifique também

Prêmio que destaca empresas e personalidades de Bauru será realizado na próxima segunda-feira (18)

segunda-feira (18) Além de destacar empresários da cidade, o Prêmio Atenção também faz um…