Recentemente tive a oportunidade de ir à Colômbia, passando por Bogotá, sua capital, e indo posteriormente à cidade de Cartagena de Indias, um misto de Guarujá e Parati. Cartagena é um lugar que chama a atenção pela sua beleza e sua história.

Entre os séculos XVI e XVII, os espanhóis vieram para a América em busca do Reino de El Dorado e chegaram às costas colombianas do Caribe, na região da atual Cartagena de Indias, esta joia rara de arquitetura colonial. É uma dessas cidades onde a história fala abertamente, através de suas grandiosas igrejas, castelos, casarões, muralhas, construções fortificadas que contam uma história de árduas batalhas.

Cartagena de Indias, capital do Departamento de Bolívar, está localizada a pouco mais de mil quilômetros da capital Bogotá, e está situada às margens do Mar do Caribe, na Baía de Cartagena. É uma região predominantemente turística. A Colômbia é subdivida em 1.068 municípios, que fazem parte de 32 departamentos e quatro distritos (Bogotá, Barranquilla, Cartagena e Santa Marta).

A região metropolitana de Cartagena tem uma população de 1,25 milhões de habitantes e a cidade propriamente dita tem cerca de 1,1 milhões. É a quinta maior área urbana da Colômbia.

Fundada em 1533 pelo espanhol Don Pedro de Heredia, Cartagena foi assim chamada devido à cidade homônima da região de Murcia, na Espanha. A cidade foi construída com grande fortificação e conserva um conjunto arquitetônico maravilhoso. Em 1984, foi declarada Patrimônio Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, em virtude de seu porto, força e conjunto monumental e histórico.

A cidade consegue harmonizar seus atrativos históricos com os naturais, sendo motivo de grande orgulho por parte dos colombianos. Nela está localizada a casa que foi do escritor Gabriel Garcia Márquez, bem defronte às muralhas, de vista para o mar.

A cidade se divide em dois setores distintos: a histórica e a moderna. O setor histórico, ainda que um pouco distante da orla praiana, possui um atrativo adicional, pois está todo cercado por oito quilômetros de muralhas, construídas no período da colonização, com o objetivo de causar dificuldades de acesso aos visitantes inimigos, que possuíam claros interesses nas ricas atividades do comércio local.

As muralhas permitem atividade de caminhadas, podendo-se conhecer cenários incríveis. Do lado de cima das muralhas pode-se ver, de um lado, o mar do Caribe e a porção moderna cartagenera; do outro lado, pode-se contemplar a parte histórica, com seus casarios coloridos, com arquitetura importada da Espanha, dispondo de varandas e sacadas com muitas e variadas espécies de flores.

Pode-se afirmar que uma das características mais significativas da cidade é a sua arquitetura, que pode ser apreciada em suas edificações civis, religiosas e militares, que estão bem conservadas e possibilitam constatar a grande maturidade histórica de Cartagena. A arquitetura cartagenera pode ser dividida em três eras específicas, através do tempo: arquitetura colonial, republicana e atual.

O Frommer’s Travels Guide, um dos guias turísticos mais importantes dos Estados Unidos, recomenda Cartagena de Indias como um dos destinos mais atrativos para se visitar na America. O Frommers é uma referência para os turistas do mundo todo no momento de escolherem destinos para suas próximas viagens.

A fama das maravilhas cartageneras atraiu muitas pessoas ilustres, que a visitaram e manifestaram o seu encantamento, podendo-se citar: Bill Gates, João Paulo II, os reis de Espanha, Mel Gibson, Bill Clinton, Christopher Lambert. Algumas celebridades, com o objetivo de conviver mais tempo com suas maravilhas culturais, históricas, arquitetônicas, comerciais e naturais, adquiriram imóveis em Cartagena, também conhecida como curralito de pedra. Este é o caso de Gabriel García Márquez, Shakira, John Leguizamo, Julio Iglesias, dentre outras.

A Administração do Turismo de Cartagena resolveu, devido aos seus inúmeros atrativos, segmentá-la em cores, com o intuito de proporcionar comodidade aos turistas na determinação de um roteiro de visitas:

i) cor café, devido ao seu centro histórico, suas muralhas e fortificações;
ii) azul, pelo céu azul e brilhante e o mar de águas quentes que massageia suas belas praias;
iii) verde, por causa de suas reservas ecológicas e o encantamento das ilhas do Rosário e de Barú;
iv) róseo, pelos diversos eventos realizados ao longo do ano, como por exemplo, o Festival de Música Clássica, o “Hay Festival”, as Festas de La Popa e de Nossa Senhora da Candelária, os festivais do jazz e de bolero, o Festival Internacional de Cinema e as Festas da Independência;
v) violeta, pois a cidade é um ótimo destino para realizar compras, tais como as prendas dos famosos desenhistas, artesanatos e joias na zona comercial de Bocagrande ou no Centro Histórico;
vi) laranja, por causa de sua esplendida gastronomia, que usa desde frutos do mar até frutas tropicais, além de deliciosos temperos originados de diversas partes do mundo;
vii) branco e negro, devido à alegria que jorra na noite, em suas tradicionais festas, que tem como palco as suas dezesseis praças, nas extensões das muralhas ou ainda dentro das chivas turísticas (espécie de ônibus em carroçaria de caminhão) que percorrem as vias cartageneras;
viii) amarelo, por causa do seu Centro de Convenções, além de um grande infraestrutura que dispõe de hotéis para sediar os mais diversos eventos, congressos e encontros de chefes de estado, intelectuais, dentre outros, que não economizam elogios à pérola do Caribe;
ix) vermelho, associado ao amor manifestado pelos apaixonados que eternizam seus vínculos em igrejas e a catedral cartageneras para consolidar mutuamente seus amores.

Enfim, Cartagena de Indias é um exemplo de preservação histórica, cultural e arquitetônica, aliado às necessidades da vida moderna. Este é um dos lugares que valem a pena serem conhecidos.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Archimedes Azevedo Raia Jr
Carregar mais em Colunistas
...

Verifique também

Coluna Amanda Araújo: Você repara nas pessoas que andam pelas ruas de Bauru?

Oi, tudo bem? Eu sou a Amanda, editora do Social Bauru e, a partir de hoje, começo uma col…