A Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação da Unesp Bauru abre nesta segunda-feira, dia 08 de janeiro, as inscrições para o curso de especialização “Linguagem, Cultura e Mídia”. A especialização é voltada para profissionais da área da comunicação e graduados em Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e Linguística, Letras e Artes ou interessados pelas relações entre Humanidades e Comunicação.

A especialização propõe uma abordagem dos fenômenos da comunicação midiática (impressa, radiofônica, televisiva e digital) pelo viés das Humanidades. Assim, a proposta é descrever e analisar as implicações de ordem estética, linguística, discursiva, histórica, sociológica, antropológica, jurídica e filosófica, em uma perspectiva predominantemente interdisciplinar.

Os interessados podem fazer as inscrições pela internet no link a seguir:

www.propgdb2.unesp.br/latosensu

O curso tem o investimento de R$ 470 reais por mês e ainda prevê bolsa de 50% a 100% para os cinco melhores alunos.
Conversamos com a coordenadora do curso de especialização, Profª. Drª. Lucilene Dos Santos Gonzales, para saber um pouco mais. Confira o nosso bate-papo:

O curso é uma especialização, em que se diferencia da pós-graduação?
A especialização é um curso de pós-graduação lato sensu e, especificamente neste curso, o aluno sai especialista em língua, cultura e mídia. A diferença da outra pós-graduação, como o mestrado e o doutorado, é que estes são stricto sensu e tem foco na pesquisa.

No lato sensu, o aluno vai cursar as disciplinas por um ano e meio e, no final, vai fazer um artigo para concluir a especialização. Esse curso é uma atualização, porque ele cursa diferentes módulos e o foco é nas aulas. Nossa especialização é de 420 horas (o mínimo para este tipo de curso é 360 horas) e o corpo docente é 99% da Unesp e todos têm, no mínimo, doutorado.

Quem pode fazer a especialização?
O público-alvo são as pessoas formadas em comunicação social e ciências humanas. Então podem ser jornalistas, relações públicas, publicitários, radialistas e até quem graduou em cursos como geografia e história. O curso também é voltado para profissionais que estão na comunicação e todos que tiverem interesse pela área de mídia, cultura e linguagem.

Sobre o curso de especialização de “Linguagem, cultura e mídia”, poderia contar um pouco mais?
Essa especialização vai olhar para a comunicação e para a mídia e tentar descrever e analisar como está a comunicação na contemporaneidade, sob o olhar das Ciências Humanas, da Sociologia, da Antropologia, da Linguística e da Semiótica. Então é um fenômeno bem complexo, não é apenas uma área que explica, precisamos de todas as áreas da humanidade para entender a mídia, principalmente, agora no século XXI que a internet revolucionou todos os paradigmas da comunicação. O curso vai se focar nisso: em como a cultura, o social, o histórico e o econômico vão interferir na comunicação atual.

Cada pessoa pode analisar a comunicação levando em conta a especialidade dela?
Sim, ela vai compreender o fenômeno da mídia atual e tanto pode seguir o caminho de pesquisa, como pode levar esses conhecimentos para a área em que ela está atuando e buscar aperfeiçoar o que ela já faz.

Qual a duração da especialização?
São dois anos de duração começando no dia 02 de março de 2018 e finalizando em 29 de novembro de 2019. O aluno terá aulas durante três semestres às sextas-feiras durante a noite e aos sábados de manhã. Durante o último semestre, o aluno será orientado por um professor e vai escrever um artigo sobre um tema que ele gostou durante a especialização ou algum tema relacionado a alguma disciplina, podendo ser até mesmo algum tema na área de atuação dele.

O curso será na Unesp e, apesar de ser em uma universidade pública, ele tem uma mensalidade, por quê?
A taxa é cobrada para suprir os custos, pois a Unesp não oferece especialização, por isso, é necessário passar pela Fundação do Desenvolvimento de Bauru (Fundeb), que é o órgão que administra. Essa taxa é para cobrir os custos de administração da Fundeb, o material para os professores, para os alunos e o pagamento de hora/aula, porque não está previsto que o professor da Unesp dê aula de especialização. Uma porcentagem desse pagamento retorna para a unidade de Bauru em equipamentos. Apesar da taxa, a mensalidade é bem abaixo da universidade particular, já que é só para cobrir esses custos que não estão previstos para especialização.

E para quem não pode pagar, tem alguma bolsa para a especialização?
Tem. Se tiver 55 pessoas inscritas, é possível oferecer uma bolsa que varia de 100% a 50%, para os cinco melhores alunos. Haverá um processo seletivo e as inscrições serão feitas pelo site. Os interessados devem apresentar os documentos e eu vou analisar e fazer uma classificação desses alunos. Eu e a equipe iremos nos basear no currículo de cada um, mas essas bolsas vão ser liberadas apenas se tiver 55 alunos no curso.

O que a coordenação espera com o curso?
O que a gente pretende é, realmente, contribuir com as nossas pesquisas, porque damos aulas na graduação e nem todos os alunos estão no mestrado ou no doutorado. Então esse curso é uma contribuição da Unesp para os alunos e profissionais que querem agregar ao currículo essas pesquisas que fazemos na universidade. Para nós, é interessante porque conhecemos a realidade do mercado de trabalho que os alunos vão trazer e, para eles, é interessante porque estamos aqui estudando sob o olhar do pesquisador, da teoria, da crítica e da reflexão. Então existe essa contribuição tanto da Universidade para os alunos, quanto dos alunos para a Universidade.

Serviço
Curso de especialização “Linguagem, Cultura e Mídia” da FAAC, Unesp Bauru
Inscrições de 08/01 a 31/01 – www.faac.unesp.br/pos-graduacao
Unesp Bauru – Av Eng Luiz Edmundo Carrijo Coube, nº 14-01, Vargem Limpa
Outras informações:
Telefone: (14) 3103-6064
E-mail: [email protected]
Facebook: facebook.com/posunespfaac

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Geral
...

Verifique também

Hortas em casa: dicas para os bauruenses cultivarem temperos e muito mais!

Hortas sempre foram muito comuns, mas hoje em dia, por conta do grande crescimento das cid…