O verão é a estação do ano caracterizada pelas fortes chuvas, raios e vendavais. Com o objetivo de preservar vidas e reduzir danos materiais, a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC/SP) inicia a “Operação Verão” em todo o Estado, inclusive aqui em Bauru que se inicia em dezembro e se estende até o início de abril.

O projeto funciona com ações preventiva das equipes municipais de Defesa Civil, que acompanham a previsão meteorológica, a medição dos volumes pluviométricos e as vistorias técnicas de campo em áreas de risco, visando a remoção preventiva dos moradores das áreas em situação de risco iminente.

Em Bauru, as ações preventivas e de preparação são intensificadas visando prevenir ou minimizar as consequências típicas geradas pelas chuvas como inundações, alagamentos, escorregamentos de terra, vítimas de raios, vítimas de vendavais e granizo e prejuízos aos serviços essenciais (energia elétrica, água, saneamento, saúde e atendimento social).

O objetivo da Operação Verão é  antecipar situações de risco, articulando a participação das Secretarias Estaduais e Municipais envolvidas, órgãos de atendimento emergencial (Polícia Militar, Corpo de Bombeiros), equipes de Defesa Civil dos municípios e a própria comunidade. Dessa forma, a população pode seguir alguns procedimentos para evitar acidentes. Confira as dicas da Defesa Civil:

Nas vias de Bauru:

Nunca enfrente alagamentos, se possível, busque uma rota alternativa. Ao primeiro sinal de perigo ligue para o Corpo de Bombeiros pelo 193. Evite vias com riscos de alagamentos como os pontos a seguir:

– Avenida Nações Unidas, principalmente próximo ao Obeid Plaza, ao Sincomercio, ao Teatro Municipal, ao cruzamento com a av Rodrigues Alves e sob o pontilhão da ALL (linha férrea).
– Avenida Comendador José da Silva Marta, próximo à linha férrea e rua Benevenuto Tiritan.
– Avenida Alfredo Maia, entre as quadras 01 e 04, principalmente próximo ao viaduto.
– Avenida Waldemar G. Ferreira, no trecho da Elias Miguel Maluf até o viaduto da ferrovia.
– Rua São Sebastião, sobre o rio.
– Avenida Daniel Pacífico, sobre o rio.

Na rua:

– Não circule ou caminhe próximo a bocas de lobo e bueiros encobertos pelas águas.
– Não circule sobre áreas alagadas.
– Cuidado com a força da correnteza e com objetos por ela arrastados, que podem causar cortes e fraturas.
– Em caso de ventos fortes, evite proximidade das árvores, postes, semáforos, fios, toldos, marquises e coberturas metálicas, etc.
– Procure abrigo em locais altos e secos.
– Em ruas alagadas, procure andar junto a muros e paredes, observe, porém, se os mesmos não estão com problemas, com trincas, rachaduras ou com barrigas.
– Utilize calçado e calça comprida para maior proteção. Não utilize shorts e não fique sem camisa.
– Não se dirija para áreas de emergência, pois o excesso de pessoas sem necessidade dificulta as ações de socorro.
– Evite transitar em ruas de terra, em locais com princípios de erosão, quedas de barreiras, deslizamentos ou acúmulos de lama.

No Carro

– Conheça as alternativas para seus trajetos habituais: para trabalho, escola, creche, posto de saúde, supermercado, casa de amigos, parentes, etc.
– Verifique os freios, pois, se molhados, perdem a eficiência;
– Ande em marcha reduzida e evite cruzar grandes lâminas de água;
– Evite circular em áreas de risco. Não se dirija para áreas inundáveis, como as baixadas;
– Fique atento a fios caídos na via ou prestes a cair, com curto-circuito, semáforos com defeito, árvores e galhos caídos na rua ou pendurados nos fios e entulho na via;
– Procure um local seguro, estacione, espere a chuva passar e aguarde um tempo antes de sair novamente.
– Evite ruas e estradas próximas a morros com descidas acentuadas. Perigo de deslizamentos (perda do controle do veículo), quedas de barreiras, acúmulo de lama, erosões etc;
– Não tente salvar seu veículo se ele for arrastado pelas águas, vá para um local seguro, chame os bombeiros;
– Ao sair de uma área de risco, sinalize para os motoristas não dirigirem para esses locais. Se estiver em local seguro, não saia.

Em casa:

– Permaneça em sua casa, se possível.
– Mantenha produtos de limpeza, alimentos e objetos de valor fora do alcance das águas.
– Não coloque na rua sacos de lixo, entulhos e galhos.
– Ao sair de casa, desligue a chave geral de eletricidade e feche os registros de gás e de água, desligue os eletrônicos da tomada.
– Evite contato direto com água e lama da inundação. Use luvas e botas.
– Beba apenas água filtrada e fervida.
– Não utilize alimentos que tiveram contato com água da lama de inundação, inclusive enlatados ou em vidros, que ainda não foram abertos.
– Após a inundação, lave imediatamente as áreas atingidas: use um copo de água sanitária para 20 litros de água: não misture produto de limpeza.
– Não lance água da chuva na rede de esgoto, além de provocar tragédias pode gerar multas.
– Inspecione telhados, calhas, rufos e ralos, elimine possíveis entupimentos, antes da estação chuvosa.
– O contato com a água ou lama da inundação pode provocar leptospirose, diarreias, hepatite, cólera, infecções e problemas de pele. –
– Qualquer suspeita procure os órgãos de saúde e informe que você teve contato com água de enchente.

Quando houver raios:

– Evite abrigar-se sob árvores, postes e torres de comunicação.
– Evite ficar sobre lajes.
– Afaste-se de cercas de arame, alambrados e varais.
– Evite caminhar próximo à linha férrea.
– Evite subir em telhados para reparos.
– Durante a chuva, evite mexer em encanamentos metálicos.
– Evite consertar a rede elétrica, antenas de TV e goteiras em dias de chuva.
– Não empine pipas em dias nublados ou de chuva.
– Não jogue bola na chuva, ainda que o campo seja protegido com para-raios.
– Evite nadar em piscinas, rios e lagos em dias chuvosos.
– Afaste-se da praia durante a chuva.
– Afaste-se de estruturas metálicas.
– Não segure objetos pontiagudos ou metálicos. Não pesque em dias chuvosos, não manuseie barras de ferro em obras ou construções.
– Não fique próximo de tomadas, janelas e portas metálicas.
– Não utilize telefones ou aparelhos elétricos.
– Ao pressentir que o raio está próximo, não se deite no chão. Agache com os pés juntos e não coloque as mãos no solo.
– No carro, feche todos os vidros e portas, não deixe espaços.
– Evite ficar em locais descampados onde você se torna o ponto mais alto do lugar.
– Desligue os aparelhos eletrônicos da tomada.
– Não apanhe frutas em dias chuvosos.
– Não se utilize de barcos, canoas, bóias e pedalinhos.

Lembre-se de que o para-raios oferece certa proteção somente na estrutura em que está instalado. Fale somente o necessário no celular, verifique se a bateria não esta no fim. Lembre-se, mesmo sem crédito você pode ligar para o Corpo de Bombeiros e Polícia Militar. Evite circular pela cidade em dias de chuvas fortes, saia somente se for extremamente necessário, e evite locais com histórico de enchentes.

Em caso de vendaval:

– Verifique portas e janelas que podem bater em dias de ventos fortes podendo quebrar vidros e provocar cortes e acidentes.
– Observe as condições do seu telhado, verifique as condições principalmente das calhas, rufos e coletores de água que podem entupir.
– Telhas de fibrocimento ou amianto devem ser fixadas com parafusos, de acordo com a especificação do fabricante.
– Se objetos do telhado começarem a cair, saia de casa e procure um vizinho ou um local mais seguro.
– Observe se não há fios caídos e fique atento a crianças, idosos, pessoas com dificuldades de locomoção e animais. Galhos caídos podem esconder fios energizados.

As informação são da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Bauru.

Orientações e Emergências (24h)

Corpo de Bombeiros: (14) 3222-5553
Defesa Civil: (14) 99108-1200 ou 3235-1169
Policia militar: 190
SAMU: 192
Emergência: 193
Coordenadoria da Defesa Civil (COMDEC – Bauru) – Avenida Dr. Nuno de Assis, 14-60

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Geral
...

Verifique também

Será que é possível fazer as pazes com a ansiedade? Psicólogas de Bauru mostram que sim

Você sofre com a ansiedade? Bom, se a pergunta fosse para mim, a resposta seria “mui…