Isadora Venturini, bauruense e jornalista da TV Prevê me mandou este texto ontem à noite. Perguntou se poderíamos publicar aqui no Social Bauru e eu adorei a ideia. Neste texto, ela fala sobre romance, amor e como nós temos valorizar isso todos os dias na nossa vida. Enfim, tudo o que eu acredito. E talvez tudo o que você acredite também. Conta pra gente o que achou? Confira:

“Em tempos de internet e redes sociais, o contato físico ficou cada vez menos comum. As declarações de amor viraram os conhecidos textões do Facebook, disputando quem teria mais like ou amei.

Ou aquelas fotos que parecem ser uma pintura em HD no Instagram. Vivo num tempo em que as promessas tornaram-se palavras ao vento, palavras vazias e sem significado. Palavras de ação, mas sem emoção. Minha mãe já dizia, quem muito fala, pouco faz. E bem que ela dizia a verdade. Não que não possa se expressar com palavras, mas nada como um pequeno gesto ali, pessoalmente.

Um olhar, um carinho, um abraço, um beijo, um sorriso, um toque, um silêncio, uma dança no meio da loja , uma piada boba só para ver a pessoa feliz, um chocolate, ou simplesmente ficar sentados assistindo tv. Mas juntos.

Ao invés de compartilhar no Facebook, compartilhe as suas particularidades um com o outro. Leve ele ou ela para algo que você sempre fez sozinho ou sozinha, não tenha medo de se expor demais, tenha medo de acabar o amor, tenha medo de não sentir nada ao ponto de não se importar.

Seja você mesmo, mostre-se como é, despida-se, e alguém virá te amar assim, nu e cru. Pode demorar, ou você pode nem perceber , por que o amor, o verdadeiro amor, ele vem sutil e delicado como uma rosa, floresce aos poucos, só não esqueça que para esse amor florescer, ele precisa ser regado, tanto você por você , e o outro que está ao seu lado.

Eu achava que tinha trombado com meu amor, mas infelizmente ele saiu sem se despedir. Mas enquanto isso, farei igual a Cássia Eller… ‘ando por aí querendo te encontrar’ e quem sabe em uma dessas esquinas eu encontre o meu amor. Assim como você encontrou o seu. E se ainda não encontrou, não tem problema, não tem nada melhor que amar e namorar você mesmo, porque esse amor, ah meu querido, esse nunca faltará.”

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Comportamento

Verifique também

Ginecologia em pauta: bauruenses comentam sobre o uso de anticoncepcional

A pílula anticoncepcional, apresentada para as mulheres brasileiras na década de 60, se to…