Engana-se quem pensa que Kung Fu só existe em filmes de Hollywood! O esporte, ainda que pouco difundido na cultura brasileira, já é praticado por muitas pessoas em todas as partes do país.

A bauruense Marcela Polastri também achava que esse esporte era coisa de cinema, e hoje, ela já é pentacampeã brasileira Kung Fu!

Primeiros movimentos

Marcela relembra seu primeiro contato com o Kung Fu: foi na adolescência, quando ela ainda tinha 16 anos. Na época, a bauruense passava por um período de depressão, e mesmo fazendo o tratamento médico, a garota sentia que precisava encontrar algum esporte para poder ocupar a mente.

“Surgiu a oportunidade de fazer o Kung Fu por um convite de uma colega minha que fazia o esporte na época. Ela me perguntou se eu não queria fazer uma aula experimental para conhecer. Eu fui ver essa academia, como funcionava o treino, fui assistir uma aula, e eu já curti para caramba só de ver a galera fazendo vários movimentos com armas, bastões e tudo mais”.

Já na semana seguinte, Marcela já estava fazendo os próprios movimentos dentro do Kung Fu. Isso foi no final de 2006 e ela continua no esporte até hoje.

Mais uma medalha na estante

No começo de setembro aconteceu o XXIX edição do Campeonato Brasileiro, na cidade de Londrina, no Paraná.

A competição inovou ao seguir moldes de campeonatos mundiais e uma estrutura completa para os esportistas. Uma dessas esportistas era Marcela, que mesmo após retornar de uma lesão no tornozelo esquerdo conquistou sua quinta vitória no campeonato brasileiro!

“A sensação de ser pentacampeão é fantástica e eu sinto que eu estou no caminho certo dentro do esporte e todos esses anos dentro do Kung Fu não foram em vão”, conta Marcela.

kung fu bauru
Marcela durante o campeonato brasileiro em Londrina

E mesmo nos momentos de nervosismo durante a competição, a esportista conseguiu encontrar equilíbrio e trazer mais uma medalha para casa.

“O nervosismo e a ansiedade sempre acabam acontecendo, mas a gente tem que saber dosar. O que eu costumo fazer antes de competir é pensar em tudo que eu já treinei, tudo que eu já me privei, as dificuldades que eu já passei antes de chegar na competição, porque isso acaba me dando forças”.

Kung Fu profissional

Antes de ganhar sua quinta medalha brasileira, Marcela trilhou um longo caminho. A esportista conta que decidiu começar a competir em 2008, dois anos após ter começado a treinar Kung Fu.

Foi nessa primeira competição que a bauruense decidiu seguir a carreira profissional dentro do esporte.

No começo, Marcela competia sem muitas pretensões, apenas para saber como funcionavam as competições e se divertir, contudo, a atleta viu seu potencial e a capacidade que tinha de lutar de igual para igual com as outras esportistas.

Ela ganhou destaque e vitória, e em 2011, Marcela disputou uma vaga para competir pela seleção brasileira e conseguiu! Sua primeira competição como atleta da seleção foi para o Sul-Americano em Punta Del Leste.

Depois dessa, a bauruense só foi aumentando suas vitórias!

O esporte no Brasil

Ainda que Marcela continue firme e forte no Kung Fu, a atleta confessa que ser esportista no Brasil tem, sim, suas dificuldades.

“Os desafios de ser uma esportista no Brasil são muitos, eu vejo que não só eu, mas muitos atletas hoje em dia têm muita dificuldade com apoio e patrocínio. Isso dificilmente será vencido, mas nós, como amantes do esporte como um todo, tentamos a cada dia seguir em frente, correr atrás dos nossos sonhos, independente das dificuldades que aconteçam”, conta Marcela.

A bauruense conta que foram poucas as vezes em que conseguiu competir em um campeonato internacional com patrocínio. Muitas vezes Marcela teve que usar seu próprio dinheiro para pagar as viagens e defender a seleção brasileira. Ela já até fez vaquinhas pela internet, campanha de arrecadação online, rifas, bingos, chás beneficentes, tudo isso para pode competir.

kung fu bauru

“Mas o amor pelo esporte faz com que a gente arraste montanhas para conseguirmos alcançar nossos objetivos”.

Marcela ainda conta o que mais gosta dentro do Kung Fu:

“O que eu mais gosto no esporte é a filosofia de vida que o Kung Fu acaba ensinando para a gente com superação, autoconhecimento, irmandade, cooperação e respeito”.

Próximo passo
Com saldo positivo nas competições nacionais (ouro no paulista e no brasileiro), agora Marcela volta o foco e sua preparação para os campeonatos internacionais, como o Pan Americano que será disputado na Argentina no final de outubro e a Copa do Mundo que será realizada em Mianmar em novembro.

Para as próximas competições internacionais a atleta pretende incrementar sua apresentação com elementos mais difíceis e complexos. “Agora é hora de eu me desafiar mais como atleta; os movimentos que venho utilizando já estão bem consolidados, está na hora de subir meu nível em relação às competidoras internacionais aumentando o grau de dificuldade de meus saltos e movimentos”, finaliza Marcela.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Saúde e Esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Crianças precisam ir ao dentista? Saiba quando os pequenos bauruenses devem fazer a primeira visita

Você deve estar pensando que a melhor idade para levar seu filho ao dentista é apenas quan…