Com o ENEM há menos de 50 dias de acontecer, os vestibulandos começam a sentir o nervosismo chegar e a pressão de pôr à prova um ano inteiro de estudo pode deixar as pernas de muitos tremendo!

Mas calma, tudo vai dar certo! É só respirar e conferir o que esses alunos e professores contam sobre a preparação para o Enem e o que fazer para relaxar!

Nas palavras de quem estuda

Ana Julia Silvino é vestibulanda e está em seu primeiro ano de cursinho. A aluna tem a pretensão de prestar Radialismo, Cinema e Audiovisual e irá prestar o ENEM esse ano.

Para a sua rotina de estudo, Ana adapta seu horários de estudo para o período da manhã e de noite, já que suas aulas acontecem no período da tarde. A aluna não deixa de priorizar as pausas periódicas a cada 45 minutos de estudo, e aos finais de semana, ela ainda pratica provas de anos anteriores.

No ENEM, Ana sente grande dificuldade com ciências da natureza, área que, na opinião dela, está sendo cobrada de maneira muito específica.

“Eu acho que o Enem está ficando cada vez mais complicado e conteudista, se parecendo cada vez mais com os outros vestibulares. Outro fator que dificulta ainda mais a realização do exame é a extensão da prova; os textos são muito longos, o que faz com o que o cansaço seja um fator muito importante para definir quem passa e quem não passa. Uma verdadeira prova de resistência”, conta Ana.

Para se preparar, Ana faz simulados ao longo do ano para se adaptar aos textos longos, contudo, o nervosismo não deixa de correr atrás da menina, sem contar o cansaço, que também pode atrapalhar na hora da prova. Para lidar com isso, a aluna tenta sempre começar o ENEM pelas matérias que tem mais facilidade.

E se já não bastassem as perguntas de múltipla escolha, o ENEM ainda conta com um redação que deixa muitos candidatos de cabelo em pé!

Ana conta que tem muita facilidade na escrita e tira de letra na redação do ENEM. A aluna ainda tenta chutar qual o tema para esse ano:

“Se eu fosse apostar em algum seria ‘O regresso de doenças’, não acho que o tema desse ano será com a temática social”.

A aluna de cursinho também dá dicas para quem ainda vai prestar o ENEM:
“Na minha opinião o mais importante é acreditar na sua aprovação, eu vejo muitos estudantes desistirem antes mesmo de prestar o vestibular. O rendimento nos estudos depende principalmente de qual é o seu objetivo, então ter um propósito bem estabelecido e acreditar que este pode ser alcançado (quanto ao curso e universidade) é a melhor dica que eu posso passar. Não desistam e saibam o por que vocês estudam”.

Além de Ana, Giovanna Justino Lopes também é vestibulanda e está em seu primeiro ano de cursinho. A aluna pretende prestar Biologia ou Biomedicina e irá prestar o ENEM agora em novembro.

Giovanna estuda para a prova todos os dias, e além do cursinho e das aula no ensino médio, ela disponibiliza uma rotina de duas horas de estudo, e a cada dia ela prioriza uma matéria diferente, com redações ao longo do mês.

Sobre a prova, Giovana comenta:

“Eu acredito que por ser extensa ela seja cansativa, isso acaba tornando a prova complicada”.

Para mandar bem na prova, a aluna primeira lê as perguntas e depois lê o texto, grifa o que é mais importante e volta para as perguntas. Sobre a redação, Giovana dá um chute: feminicídio ou a questão do aumento de carros nas ruas.

“Não se desesperem, descanse bastante um dia antes e vão tranquilo”, Giovana dá a dica.

Nas palavras de quem ensina

O nervosismo para o ENEM não é exclusivo só do aluno, ele também é visto pelos professores, que tenta ao máximo acalmar e ajudar os vestibulandos nesses 45 do segundo tempo.

Giovana Gomes é professora de literatura no Cursinho Principia da Unesp, e ela conta que dá pra notar bastante o cansaço dos alunos nesse período, tão perto do ENEM.

“Essa época do ano, a partir de julho/agosto, costuma ser a mais exaustiva e ao mesmo tempo a mais decisiva, que é quando o aluno precisa colocar na balança o que ele já estudou até aqui e o que ele ainda possui dificuldades e precisa dar mais atenção, então não é fácil lidar com tanta pressão interna e externa”, ela conta.

Para ajudar os alunos, Giovana sempre tenta destacar o que mais cai na prova do ENEM, pois, para ela, quando o aluno sabe o que deve-se priorizar, o nervosismo diminui e o foco aumenta.

Hanna Queiroz também é professora de cursinho, e dá aulas de redação e literatura no Ferradura, da Unesp. Nas suas aulas, ela também busca ajudar ao máximo os vestibulandos.
“A gente tem uma estratégia de dar algumas dicas sobre o vestibular nas aulas: o que levar no dia, que caneta usar – muitos não sabem -, como preencher o gabarito, coisas assim”.

Para ela, a maior dificuldade do ENEM é a extensão da prova, que a deixa muito cansativa com todos os textos para serem interpretados.

As duas professoras dão dicas para as pessoas que vão prestar o ENEM em novembro e nos anos seguintes:

“A principal dica é respirar fundo, manter a calma na medida do possível e acreditar no seu próprio potencial. É muito importante que o aluno se lembre que nenhuma prova define sua capacidade e seu conhecimento de fato, e isso vale com o enem também, afinal de contas é um processo muito esgotante e até mesmo injusto”, explica Giovana.

E completa:

“O aluno tem que ter consciência de que se ele aprendeu o conteúdo e fez o melhor que ele pôde no contexto tão complicado que é o período do vestibular, conseguindo chegar até o momento da prova, ele já é um vitorioso e já pode ter orgulho de si mesmo. Digo isso pois a confiança é um fator muito significativo e faz toda a diferença. Além disso, o aluno não pode esquecer de ter uma boa noite de sono antes da prova e uma alimentação correta durante esse período de pré-prova!”.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Carne Doce faz show gratuito nesta quarta (05) no Sesc Bauru

O projeto Autorias desta quarta-feira, 05 de dezembro, apresenta show da banda Carne Doce.…