Você já ouviu falar em eSocial? O Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) foi instituído pelo decreto nº 8373/2014. Por meio desse sistema, os empregadores passaram a comunicar ao Governo, de forma unificada, as informações relativas aos trabalhadores, como vínculos, contribuições previdenciárias, folha de pagamento, comunicações de acidente de trabalho, aviso prévio, escriturações fiscais e informações sobre o FGTS.

Para as micro e pequenas empresas – que são aquelas com faturamento anual de até R$ 4,8 milhões – e Microempreendedores Individuais (MEI), a obrigatoriedade de ingressar no eSocial terá início em novembro deste ano. Com relação às demais empresas privadas do País – que possuam faturamento anual inferior a R$ 78 milhões – o eSocial tornou-se obrigatório em 16 de julho.

O projeto eSocial é uma ação conjunta dos seguintes órgãos e entidades do governo federal: Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB), Caixa Econômica Federal, Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e Ministério do Trabalho.

Todas as informações coletadas pelas empresas vão compor um banco de dados único, administrado pelo Governo Federal, que abrangerá mais de 40 milhões de trabalhadores e contará com a participação de mais de 8 milhões de empresas, além de 80 mil escritórios de contabilidade.

Na prática, as empresas terão que enviar periodicamente, em meio digital, as informações para a plataforma do eSocial.

5 vantagens do eSocial
Confira as cinco vantagens que separamos sobre a utilização do eSocial:

– Simplificação da prestação das informações referentes às obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas, de forma a reduzir a burocracia para as empresas.

– Para os trabalhadores, dará maior garantia em relação à efetivação de seus direitos trabalhistas e previdenciários.

-Mais transparência no repasse dos dados para a administração federal resultará na redução dos índices de sonegação.

– Para o Governo Federal, o benefício maior é a agilidade e facilidade na fiscalização das informações.

– O eSocial representará a substituição de 15 prestações de informações ao governo – como a Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP), e Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte (DIRF) – por apenas uma.

Chame o contador!
Um aliado das empresas neste momento de transição digital é o contador. “Quem envia a obrigação acessória para os órgãos públicos, obrigatoriamente, é um contador através de sua assinatura eletrônica”, explica o coordenador do curso de Ciências Contábeis das Faculdades Integradas de Bauru (FIB), professor Adilson Leandro Esnolde. “Precisamos orientar nossos clientes tendo em vista esse processo de automatização dos processos contábeis e também atender a todas as solicitações eletrônicas disponíveis no eSocial”, analisa o coordenador.

O profissional contábil possui o conhecimento necessário sobre assuntos econômicos, financeiros, tributários, organizacionais e comportamentais para direcionar as conclusões da lógica contábil, sempre respaldado por princípios e normas técnicas. Por isso, a atuação do contador é fundamental no processo de implantação do eSocial nas empresas.

Graduação em Ciências Contábeis na FIB
Diante do cenário de transformação da área, o curso de Ciências Contábeis da FIB tem preparado seus alunos para enfrentar os novos desafios do mercado de trabalho. “Sabemos que o Brasil vive um momento de grandes transformações, e isso requer versatilidade e abrangência nas interpretações”, afirma o professor Esnolde. “Por isso, temos trabalhado essas novidades de forma teórica e ensinado nossos alunos a trabalhar no ambiente virtual”, destaca o docente.

A graduação em Ciências Contábeis da FIB tem duração de quatro e é oferecida no período noturno. O curso conta com professores altamente qualificados e aulas 100% presenciais.

A instituição está com inscrições abertas para o vestibular 2019. A prova será realizada no dia 20 de outubro. Como forma de facilitar o acesso dos candidatos, a FIB oferece a opção de um parcelamento de até 70% do valor da mensalidade. Neste caso, o aluno pagaria 30% do valor da mensalidade e os 70% restantes após o término do curso. O Parcelamento Estudantil FIB (PEF) é realizado diretamente na faculdade.

Além disso, disponibiliza bolsas pelo Programa Universidade Para Todos (Prouni), Programa Escola da Família e conta com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O candidato classificado no vestibular poderá efetivar a matrícula na instituição mediante o pagamento de R$100,00. O restante da 1ª mensalidade poderá ser parcelado em até 3 vezes.

Outras informações sobre o vestibular da FIB estão disponíveis no site da instituição ou pelos telefones (14) 2109 62 06 ou (14) 9 99822-3829 (WhatsApp).

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Joalheria no centro de Bauru guarda história de família há 40 anos no ramo

Algumas histórias de Bauru não começam aqui. A da Amily Joalheria e Ótica, por exemplo, co…