Fazer exercícios físicos é ótimo para nossa saúde, e não importa qual a idade! Seja criança, adultos ou idosos, o fundamental é se exercitar!

Contudo, não dá para negar que com o passar dos anos nossos corpos não são mais os mesmos, e algumas precauções têm que ser levadas em consideração para que os exercícios não causem consequências negativas.

Para falar sobre o assunto, conversamos com professores de educação física e preparadores de corrida, esporte que tem abrangido todas as faixas etárias atualmente. Estes profissionais deram dicas para quem já passou dos 50 anos, mas não abre mão da saúde.

De olho na saúde

Conforme envelhecemos nossa pressão arterial tende a aumentar, os músculos enfraquecem, as articulações ficam mais doloridas e a frequência cardíaca diminui, porque, deve-se sempre fazer avaliações médicas antes de começar qualquer prática esportiva.

O preparador de corridas Walter Moura recomenda os check-ups médicos a cada seis meses ou um ano, além de buscar orientação com profissionais da educação física para realizar os treinos. Além disso, uma alimentação equilibrada e o respeito com nossos limites corporais tem que ser levados em conta.

“A verdade é que quanto mais velhos ficamos, mais a qualidade do treinamento deve ser priorizada!”, ele afirma.

Ainda que a corrida seja um ótimo exercício para quem já passou dos 50, os professores Alex Sandro e Thiago Azambuja da equipe esportiva Invictos, ainda recomendam outras atividades como bicicleta, natação, pilates e musculação.

Só coisa boa!

Para as pessoas com mais idade, o esporte feito de forma consciente só traz vantagens! É o que explica a professora de educação física da USC (Universidade do Sagrado Coração) Marcela Gomez Alves da Silva:

“Conforme envelhecemos, perdemos massa óssea, e a corrida aumenta a densidade óssea em até 5%. Outro benefício é a melhora do funcionamento cardíaco, estabilização da pressão arterial e da glicemia, visto que a hipertensão e a diabetes são doenças comuns em idosos. Além da vantagem de poder praticar uma atividade física ao ar livre e conhecer pessoas novas, socializar”, ela explica.

Xô, preguiça!

Quer começar a praticar esporte, mas acha que isso é “coisa de gente jovem”? Calma, lá! Não é bem assim! As corridas têm categorias de idades variadas, então, é só levantar da cadeira e deixar de lado a preguiça!

“Hoje existem bastantes projetos que estimulam a participação de idosos em diferentes práticas de atividades físicas. Acredito que o estímulo também deva vir da família, muitos acham que por serem mais velhos, devem evitar movimentos, esportes, atividades em geral, mas não! Pelo contrário, é extremamente necessário que as pessoas se movimentem sempre, busquem estimular a prática de atividades não só para o corpo saudável, mas para uma mente saudável, em todas as idades!”, conclui a professora Marcela.

Exemplos a serem seguidos!

Se você ainda não se convenceu que a corrida é um ótimo esporte para quem já passou dos 50, então confere só a história desse pessoal que não se abalou pela idade e entrou de cabeça nos esportes.

Com 63 anos, Robinson Pinheiro pratica esportes desde criança, mas foi em 1970 que ele entrou em contato com as corridas; a partir daí, não parou mais e já participou de mais de 260 competições! Apesar de ser natural de Ibitinga, é em Bauru que ele participa de quase todas as corridas. Para a nossa equipe, ele contou o motivo que o levou a começar a correr:

“Em 2005, trabalhando no Banco do Brasil, tive um problema de saúde ocasionado pelo estresse da profissão, o que me levou a uma depressão e síndrome do pânico. Além de medicamentos, o médico me recomendou praticar esportes, o que já fazia a vida inteira. Foi aí então que me decidi pela corrida de rua e busquei o sonho de correr a minha primeira São Silvestre, que para mim foi uma grande aventura e se transformou num marco de minha vida no atletismo”.

Tá achando que é só isso? Não!

Para incentivar você a pegar o tênis e correr, também temos as histórias de Arlita Buss, que corre há dois anos e meio e começou após o convite de amigos. Para nós, ela contou que gostou tanto que pratica até hoje; Ana Slompo, que também pratica corridas há dois anos e meio por indicações médicas, para ajudar na redução da perda de memória; e Maria Aparecida, que há dois anos viu na corrida a chance de dar um fim na solidão que sentia quando ficava em casa.

Correr faz bem!

Esses corredores têm mais de 50 anos e com as corridas sentiram muitas melhoras em sua vida. Arlita Buss ainda completa:

“Eu sinto mais disposição, agilidade, acabaram as alergias, zerou a minha osteoporose no quadril e na lombar. Até o sono melhorou! E aquelas coisas inconvenientes da menopausa não tenho mais e nem engordo! (risos)”.

Ana Slompo também começou a sentir o corpo mais leve após as corridas, além de uma melhora na memória e no humor! “Seja sempre persistente, pois a recompensa é grande!”

Para Robinson, as corridas foram uma forma de salvar a vida, pois o ajudaram com a depressão e síndrome do pânico.

“As corridas trazem uma melhor qualidade de vida e uma rotina sã. Você passa a cuidar melhor do seu corpo, de sua alimentação, dos seus hábitos e a ter uma nova visão do mundo!”

E se ainda assim, você não se convenceu, a corredora Maria Aparecida tem algo para lhe falar:

“Não tem hora nem lugar, pintou problemas, vista um tênis e corra! Você volta renovado! Corra e não pare nunca mais, seu corpo sua alma vão agradecer!’.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Saúde e Esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Curiosidades sobre a doação de sangue para os bauruenses perderem o medo da agulha!

No corpo humano, o volume de sangue corresponde a até 8% do nosso peso corporal. Esse comp…