Com um novo ano chegando, lá vem as previsões – mas calma aí que dessa vez fizemos algumas diferentes! Nossa equipe perguntou para quatro pessoas ligadas à moda de Bauru para saber o que será tendência na moda em 2019. Vem ver o que Mirella Cabaz, jornalista de moda; Tamylin Silva e Mayra Ferraz, proprietárias do BD Fashinista; e Mariana Almeida, coordenadora do curso Design de Moda da Universidade do Sagrado Coração (USC) falaram sobre cores, estampas, modelos e muito mais!

Em relação às cores, quais estarão mais em alta no ano que vem?

Foto: Pinterest
Tendências de cores para 2019
Mirella Cabaz: A Pantone acaba de eleger o coral como a cor de 2019!!! Ele é alegre, vibrante e traz com ele toda uma cartela de cores nesse mood. As suas variações, que vão de vermelho, laranja e rosa vão bombar também! Os tons de verde estão cada vez mais democráticos e os tons terrosos, como caqui, palha, marrom são clássicos, sim, mas seguem em evidência no cenário fashion.
Mayra Ferraz e Tamylin Silva: As cores são tendências muito relativas, porque sempre tem as atemporais que todo ano bombam em suas respectivas estações e tem as que são apostas para as coleções de 2019. Estivemos recentemente em São Paulo no evento Casa Moda e as cores que mais vimos foram verde esmeralda e bandeira, além dessas duas variações, ainda teremos o roxo puro e a variação dele no lavanda. O amarelo mostarda que já é uma tendência que vem desde o inverno, mas ainda não emplacou no Brasil, mas talvez a versão neon faça mais sucesso no verão. Além disso, tem também a cor eleita como a cor do ano pela Pantone que é a Living Coral, que nada mais é que um tom do próprio Coral já conhecido por todos. Acredito que essa aposta vai de encontro à tendência das cores neon que é mais um Trickle Across, ou seja, um movimento que acontece e se difunde como uma febre coletiva e acaba se tornando uma tendência que vai desde a moda das ruas, blogueiras até as fast fashions.
Mariana: Para o verão 2018/19, de acordo com a Pantone, a cor que definirá a estação é a Lavanda, bem como os tons pastéis seguidos pela cor Lavanda, o que deixará o verão com tons suaves. Esses aspectos refletirão também sobre os tons terrosos, que predominarão por causa do tecido Linho, que é um tecido leve e as cores que este tecido recebe são vermelhos, verdes, marrons e os off white. Em contra posição a esta cartela de cores, os tons em neon serão observados no estilo streetwear, sofrendo influências dos anos 80. As combinações de rosas, amarelos e verdes poderão ser vistas em biquínis, bodys, croppeds e jaquetas.

 

Modelos de calças?

Mirella: Calças mais soltinhas e com comprimento mais curto seguem em alta! A mom jeans, a Pantacourt, a clássica calça de corte reto e cintura tanto alta quanto média. Pantalonas com tecidos fluidos e também as peças em alfaiataria.
Mayra e Tamylin: A gente já tem percebido nas últimas tendências que o conforto é a palavra de ordem, então acreditamos que as calças não serão muito diferentes disso. Como a Mirella disse, o mom jeans, que é uma tendência resgatada dos anos 70/80, voltam com tudo trazendo o jeans na versão mais confortável. A calça jogger e o moletom são as tendências comfy e sport que também vão conquistar todos os estilos podendo ser combinada desde produções mais esportivas até mais elaboradas.
Mariana: Nas calças neste verão poderemos observar que dois modelos das estações anteriores ainda serão bem quistos, que são as calças jeans destroyed e as pantacourt. As calças destroyed já utilizada pelos adolescentes, com aspectos de rasgados e desgastado podem conquistar o gosto das demais faixas-etárias; a pantacourt, que foi uma dúvida no verão de 2017/18, teve uma aceitação maior, por ser um modelo que auxilia a suportar o calor, sem a necessidade de utilizar calças compridas, para atividades profissionais ou que exigem mais elementos clássicos. Veremos também pantalonas feitas em linho e em cores mais claras, as clochards que apresentaram em formatos estampados e em tecidos leves e por último as calças alfaiataria que são modelos atemporais, que ganham versões em xadrez e listras.

 

Modelos de saias?

Mirella: o comprimento midi segue como o queridinho! Calças, saias e vestidos nesse comprimento estão cada vez mais no gosto das pessoas. Mas claro que os clássicos mini e longo têm seus espaços, afinal, a moda nunca esteve tão democrática. Peças fluidas, com recortes, sobreposiçōes, assimetria chegam sempre pra dar uma cara moderninha.
Mariana: As saias desta temporada são mais fluidas com tecidos leves; aparecem em modelos transparentes, que foi uma aposta no inverno e prossegue no verão com tons claros e rosados; as saias midi, curtas e longas em linho – tecido realmente é um dos que predominarão por ser um tecido leve, muito adequado as nossas temperaturas elevadas, além de ser muito clássico. As saias clochards, assim como as calças, serão usadas com as blusas cropped e bodys. Os comprimentos mais curtos se apresentam estruturados, com aspectos mais minimalistas.

 

Vestidos?

Mayra e Tamylin: Vestidos e saias mais geométricas nos modelos e com acabamentos numa pegada natural, botões de madeira, pespontos, costuras aparentes, porém, sem ser muito handmade (feito à mão), é como se os materiais e as formas se assumissem.
Mariana: Os vestidos estão muito presentes em longos, com tecidos fluídos e leves, e se apresentam com fendas, babados, transparências e decotes profundos ou em aberturas na cintura. Alguns virão com mangas amplas ou alças finas com vários transpasses. Os vestidos de médio comprimento apresentam leves, porém mais estruturados, com cores terrosas, em linha A ou retos.

 

Estampas?

Foto: Pinterest
Mirella: estampas geométricas, orgânicas, e também aquelas referindo-se à natureza, principalmente folhagens e ligadas à astrologia, cosmos, universo, já estamos cada vez mais buscando expandir.
Mayra e Tamylin: As estampas floridas ganham inspirações em novas flores e tomam formas diferentes. O Xadrez Vichy, que já é um clássico, vai estar mais aparente e popular. O vichy também ganha novas cores que vão além do preto e branco. As estampas no estilo artsy, mais artísticas, também prometem colorir o verão 2019.
Mariana: Nesta estação, teremos a presença das listras que vão além das que são em preto e branco, como as multicoloridas, presentes em vestidos e saias, nas mais variadas espessuras de listra; as estampas florais, em proporções maiores combinados com frutas e figuras de animais. As estampas irreverentes permanecerão nas camisetas, pois, trata-se de mercado que cresceu exponencialmente e adquiriu públicos dos mais variados.

 

Este ano, a moda esteve ainda mais democrática. Você acredita que o ano que vem também estará?

Mirella: Sem dúvidas! A moda nunca esteve tão democrática e esse movimento veio pra ficar. A multi faceta de comportamentos, estilos, sociedades e interações, com esse imediatismo da internet se traduz nessa pluralidade de se vestir.
Mariana: Sim, eu acredito que a moda está mudando, seja por parte de quem usa, como de quem a faz; tornou-se mais consciente de que temos que atender a todos tipos de pessoas, independente da sua forma física ou proporção em estatura, o mais importante é que os indivíduos estão conseguindo se libertar de certas regras que foram impostas há anos, que não cabe mais serem ditadas, inclusão é a palavra primordial neste momento, não há uma maioria quando falamos de moda brasileira, somos diversificados, as pessoas devem vestir o que expressa seu estilo e seus gostos.

 

Mayra e Tamylin, vocês trabalham como moda sustentável aqui em Bauru. Vocês acreditam que isso estará ainda mais em alta no ano que vem?

Tamylin: Eu aposto que sim! As pessoas estão se conscientizando de que não é preciso gastar muito para se vestir bem e de que o consumo consciente vale mais do que o consumo desenfreado que causa um dano significativo no planeta. Inclusive, um estudo feito pela WGSN e que vai de encontro com o que nós também estudamos é que o consumidor valoriza cada vez mais o seu tempo e dinheiro, priorizando marcas e produtos que tenham propósitos e valores parecidos com o que ele acredita. O minimalismo faz jus a tendência. A ideia é viver com cada vez menos, mas com mais propósito e com experiências mais valiosas. Marcas sustentáveis, orgânicas e que se preocupam cada vez mais com ações ambientais e sociais entram nessa categoria agregando valor aos seus produtos e conseguem conquistar compradores que não estão preocupados com o valor que irá pagar, mas sim, com a experiência que terão ao comprar o seu produto.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Amanda Araújo
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Festival de Inverno do Villa Rondon em Bauru terá atrações como Léo & Raphael, Bruno Araújo e Dj Elieser

Nem só de Arraiá vivem os bauruenses! Mas, sertanejo nunca é demais, por isso, o Villa Ron…