Não é de hoje que sabemos que medicina é um dos cursos mais concorridos nos vestibulares brasileiros. Com milhares de estudantes disputando uma vaga, a prova pode parecer um verdadeiro bicho de sete cabeças.

Entretanto, com muito empenho, esses estudantes de Bauru mostraram que dá, sim, para encarar a prova de frente e ainda conseguir uma boa colocação!

No topo

Thiago Baisch, Carolina Zanoni e Livia Rodrigues são alunos do Anglo Vestibulares e passaram no vestibular de medicina da USP de Bauru. Achou pouco? Além de tudo isso, Thiago passou em primeiro na lista de ampla concorrência, na Unifesp e UFPR; e Livia em segundo na lista de escola pública, junto com a Unesp, que passou em 10º.

Aprovado em 2017, o curso de Medicina da USP de Bauru teve sua primeira turma em 2018. Com disponibilidade de 60 vagas, a média de candidatos por vaga foi de 105,9 no primeiro ano.

Quando viram seus nomes na lista de aprovação, os três alunos não acreditaram que aquilo estava realmente acontecendo!

“De primeira, eu não acreditei! Eu olhei aquela lista imensa com nomes pequenos e fiquei lendo umas mil vezes para ver se aquele era mesmo o meu nome. Minha mãe fala que a minha reação foi muito engraçada, mas na minha cabeça eu não lembro, porque fiquei bem anestesiada e ainda não caiu a ficha”, comenta Carolina.

Agora, vendo os aprovados com um sorriso no rosto, não dá para imaginar o que enfrentaram até aqui.

Estudos com muito equilíbrio

Assistir filmes, maratonar séries e jogar videogames, tudo isso fazia parte da rotina desses alunos. Contudo, no último ano, tudo isso ficou de lado e os estudos se tornaram prioridades.

“Eu abri mão de tudo que eu fazia. O que eu mais fazia era jogar videogame, jogava quase a nível profissional e eu apaguei todos os jogos, para não me distrair”, afirma Thiago.

Ele ainda conta que passou por duas rotinas de estudo. Na primeira metade do ano, ele estudava de forma mais leve, fazendo os exercícios mínimos. Após agosto, a rotina ficou mais dura, acordando cedo para estudar e refazer as provas dos anos anteriores.

Para Carolina, os estudos também eram diários, mas sempre respeitando o limite do seu corpo e do cansaço.

“Eu nunca fui de fazer as rotinas de estudo malucas e de dormir três horas por noite. Eu realmente fui mais light, porque acredito que se a gente respeitar o nosso limite, conseguimos absorver melhor”, pontua ela.

A hora que a ansiedade bate

Fazer um vestibular não é só saber muitas coisas, mas entender seu corpo e controlar a ansiedade.

Toda prova é como um tripé, em que os alunos devem saber equilibrar o conhecimento, a saúde física e a mental. Foi assim que Carolina conseguiu controlar seu nervosismo!

“Eu comecei a descobrir um pouco sobre meditação e comecei a respeitar meu limite, o que ajudou a melhorar meu rendimento”, revela a aluna.

Thiago também tinha suas estratégias na hora de se jogar de cabeça nas provas. O aluno sempre tinha em mente o que precisava fazer no vestibular, o peso das questões e por qual começar.

“Eu sou muito ansioso, mas, para as provas, eu não sei porque, eu tinha uma mentalidade de não ficar ansioso, eu ia para as provas com a ideia de destruir!”, Thiago conta.

Apoio do início ao fim

Tanto Thiago quanto Carolina também tiveram uma outra ajuda: a escola e seus familiares. Ambos com familiares na área biológica, os alunos tiveram todo o apoio.

“A minha mãe é farmacêutica e a minha tia é bióloga, quando eu era criança eu queria ser cientista para trabalhar em laboratório, para fazer experimentos. Minha mãe e minha tia sabendo disso elas sempre me deram uma base”, relembra Carolina.

Para Thiago, o Anglo também deu todo o suporte, tanto na hora de oferecer material extra, quanto na hora de tirar dúvidas de conteúdo.

Eles já pensaram em desistir? Thiago sim, Carolina não. Mas no final, o gosto pela medicina e a vontade de poder ajudar as pessoas trouxeram resultados.

publieditorial

Serviço
Anglo Vestibulares

Endereço: Rua Rio Branco 25-30
Telefone: (14) 3104-4700
Horário: de segunda à sexta, das 8h às 18h
Facebook: www.facebook.com/anglobauru

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Sete atividades para fazer em sete dias em Bauru

Bauru também é conhecida como a cidade sem limites. E o apelido não é à toa, já que a cida…