Essa matéria é para os pais de primeira viagem! O bebê vai nascer e, com isso, nascem também os medos e as dúvidas. Por isso, preparamos essa matéria para ajudar as mamães e papais a cuidarem de seus bebês recém-nascidos!

Para falar mais sobre o assunto, convidamos a enfermeira e especialista em Obstetrícia e Neonatologia, Ana Kelly Poli. Ela é docente do curso de enfermagem da FIB, trabalha com partos humanizados e com consultoria de aleitamento materno.

A profissional irá dar dicas e ensinar o passo a passo de como dar banho, a melhor posição para o bebê dormir, entre outros assuntos. Acompanhe!

1 – Partiu banheira!

O primeiro banho do bebê é um desafio para os pais, mas calma, nada é impossível.

Em primeiro lugar, Ana explica que o ideal é que tudo esteja organizado antes do banho: os produtos, a roupinha que o bebê irá vestir, a fralda, o algodão e o cotonete.

O ambiente para dar banho e trocar deve ser o mesmo, assim evita a mudança de temperatura. Além disso, janelas e portas devem estar fechadas.

A enfermeira ainda esclarece que o banho deve ser dado antes do bebê mamar, para evitar que ele regurgite.

A quantidade de água da banheira é importante, se tiver pouca água, ela esfriará rapidamente. Se você colocar muita água, a falta de habilidade pode fazer a criança engolir. A medida correta é que a água bata no umbigo do bebê.

Nesse sentido, a temperatura da água é outro ponto fundamental! Se você não tiver termômetro, use a parte inferior do antebraço para sentir a temperatura. Em resumo, a temperatura deve variar em torno dos 36 graus.

Hora do banho:

  • Retire a roupa do recém-nascido, deixando-o só de fralda;
  • Envolva-o em uma toalha, prendendo delicadamente os bracinhos;
  • Incline a cabeça dele sobre a banheira e inicialmente lave o rosto do bebê utilizando algodão úmido;
  • Depois, lave a cabeça sem colocá-lo dentro da água limpa. Finalize secando o rosto e o cabelo;
  • Retire a fralda antes de colocar na banheira e limpe bem o bumbum com algodão umedecido;
  • Coloque o bebê na banheira, inicialmente de frente, e comece a limpar, com água e sabão neutro, o peito, a barriga, o umbigo, os braços e pernas. Depois de ensaboar, jogue pequenas porções de água para enxaguar;
  • Deixe o órgão genital por último. Vire a criança de costas e repita o mesmo processo na parte de trás.

Depois de fazer todo esse processo é hora de secar! Ainda assim a dica é: deixar a toalha próxima e secar o bebê sem esfregar a pele. Depois que estiver seco é só trocar.

2 – Qual a melhor posição para o bebê dormir?

Segundo a enfermeira Ana, é recomendado pela Sociedade Brasileira de Pediatria que o bebê durma de barriga para cima.

Essa posição reduz em até 70% o risco de morte súbita por asfixia. Embora o bebê seja sensível, Ana aponta que não se deve agasalhar demais!

Além disso é necessário tomar cuidados com decorações, almofadas e travesseiros que possam dificultar a respiração.

3 – Cuidando da higiene

A higiene está nos cuidados diários! A troca de fralda deve acontecer após cada mamada, de seis a oito vezes por dia.

“A higiene deve ser feita com algodão úmido, sempre limpando de cima para baixo. Passe cada chumaço de algodão apenas uma vez e depois jogue fora, para evitar contaminar a genitália com fezes”, explica Ana Kelly.

As orelhas devem ser limpas com cotonete nas dobras e na parte de trás.

Outro cuidado importante é com o coto umbilical. Ana explica que primeiro deve-se segurar o coto e passar, com um cotonete molhado de álcool 70%, limpando toda a extensão até a base.

Limpe sem medo, pois não dói. Não tampe o umbigo do bebê com faixas e nem coloque moeda. O umbigo deve ficar fora da fralda, evitando o contato das fezes”, completa.

4 – Sobre as cólicas!

Os pais do recém-nascido identificam o choro de cólica mais agudo e sofrido em que o bebê sente dor e desconforto.

Mas isso não é motivo de desespero! As cólicas são contrações musculares abdominais naturais e fazem parte do desenvolvimento da criança.

É um período de adaptação onde o corpo do bebê está aprendendo a lidar com o volume de alimento e gases.

O ideal é tentar estratégias para tranquilizar o bebê nesse período tão desafiador: bolsa de água morna; movimentos de bicicleta com as perninhas; massagear a barriga com delicadeza para estimular a evacuação”, enumera Ana.

5 – E se engasgar?

Uma preocupação é se o bebê engasgar, nessa hora, manter a calma é essencial! A profissionl ensina como desengasgar a criança:

  • Coloque o bebê de barriga para baixo apoiado-o no antebraço com a cabeça mais baixa que o corpo e apoiada na mão;
  • Com a outra mão, dê cinco palmadas firmes com a base da mão nas costas;
  • Logo após, vire o bebê e observe se ele já está respirando. Se continuar engasgado, realize o mesmo processo três vezes.

“Mesmo que o bebê desengasgue e se recupere, é importante que seja avaliado por um pediatra”, completa Ana.

6 – Visitando o pediatra

Segundo a enfermeira, as idas ao pediatra variam de acordo com a saúde e bem-estar da criança. A primeira consulta deve ser feita entre os sete e, no máximo, 15 dias de vida do bebê.

Assim sendo, a segunda visita é após um mês até o sexto mês. Bem como, dos seis aos 18 meses, as consultas podem ser trimestrais.

A partir daí, as visitas ao pediatra podem acontecer a cada seis meses até completar dois anos.

7 – A polêmica: visitar o recém-nascido

A chegada de um bebê ao mundo é sinônimo de felicidade para a família. Com isso, acontecem as visitas que, em algumas vezes, acabam sendo inconvenientes.

Se caso você conhece alguém que ganhou bebê há pouco tempo, vá visitá-lo, mas fique de olho nessas regrinhas básicas separadas pela Ana:

  • Agende a visita;
  • Jamais apareça sem avisar;
  • Não demore muito, o ideal é que não passe de uma hora, tempo suficiente para conhecer o novo membro da família;
  • Preserve o bebê e não vá pegando a criança. Lembre-se que ela não tem sistema imunológico desenvolvido e algumas doenças são transmitidas pelo contato;
  • Claro, se estiver doente, não vá;
  • Higienização das mãos com água e sabão e até o uso do álcool em gel devem ser oferecidos;
  • Cuidado com os odores excessivos como o cheiro do cigarro e de perfumes;
  • Jamais beije a mão e o rosto do recém-nascido. A mão está o tempo todo em contato com a boca;

As visitas serão, sim, bem-vindas, mas dê tempo para que isso ocorra em dias oportunos”, diz. A profissional ainda completa: “Bebês são frágeis e precisam de cuidados, principalmente, nos primeiros meses de vida. Cabe aos pais protegerem o filho mesmo quando o perigo está no afeto daqueles que convivem com a família. Tudo tem o seu tempo!”, finaliza!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Big Day Mori Motors será neste sábado (24) com feirão de veículos 0km

Acontece no dia 24 de agosto (sábado), o primeiro Big Day Mori Motors. O feirão acontece d…