Tudo começou com três músicos: Flavio Aielo, Filipe Okano e Edinho Oliveira, que têm em particular a paixão pelo contrabaixo.

Bastou marcar uma reunião para esses três músicos verem a oportunidade de um novo negócio – o Bass Day. Talvez você ainda não conheça, então vou te apresentar!

O Bass Day foi uma criação dos três músicos citados acima, onde são divulgadas informações e curiosidades sobre o contrabaixo. Além disso, é um projeto que reúne os músicos para ensaios.

Reuniões musicais!

As primeiras reuniões começaram com três, depois aumentou para quatro, seis músicos… E não parou mais! “Nosso recorde são nove! No começo foi em casa e depois começamos a nos reunir em estúdios”, comenta Filipe.

O grupo faz reuniões a cada 15 dias, reunindo grandes baixistas de Bauru e região para criarem o som! Isso mesmo, criarem! Eles adaptam todas as músicas para o som do contrabaixo.

“Todo arranjo de metais, guitarra, violão e voz é passado para o contrabaixo, aí registramos em vídeos para fazer uma síntese dessa reunião! Começamos com o Facebook e Instagram e agora estamos com um canal no Youtube”, explica Filipe.

Edinho comenta que os encontros são um momento de descontração, que acabam durando até seis horas, apesar de já terem batido o recorde de oito horas seguidas tocando!

Mulheres presentes

Vale lembrar que o Bass Day é um projeto que envolve homens e mulheres! Afinal força feminina está presente em todas as partes, inclusive na música.

Um exemplo é a edição especial de gravação feita pelo grupo em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres. Contudo, nove mulheres participaram, entre cantora, contrabaixista, baterista e um quarteto de cordas!

Além dos encontros feitos pelos contrabaixistas, eles veem no futuro a oportunidade de tocar em eventos culturais.

Está surgindo convite para tocarmos em um projeto cultural e estamos trabalhando nisso ainda. Então temos que ensaiar e fazer uma apresentação, mas também entra a questão das agendas, que são bem apertadas”, explica Filipe.

De olho no futuro!

Quem cria um projeto, espera que ele tenha vida longa! Esse é um dos desejos dos músicos.

Já conversamos sobre fazer música própria, é um diferencial. Saímos de um quarto e já estamos em um estúdio. A gente nem sabia que ia chegar nisso tudo”, comenta Edinho!

Flavio ainda diz que, no início, eles pensavam nas reuniões para descontrair e para trocar experiências. “Em um grupo do Whatsapp, temos baixistas de Bauru e região. Trocamos ideia e aprendemos um com o outro. Assim, todo mundo ganha, se precisar de baixista em alguma banda, vender de instrumentos!”, finaliza o músico.

Filipe comenta o feedback que o Bass Day está recebendo nas redes sociais. “Na internet recebemos muito apoio de uma galera que está começando a tocar e falam que estamos servindo de inspiração. Às vezes é difícil ver essa união, a maioria está disputando um com o outro!”, finaliza.

Se você é músico, se interessou e quer se juntar ao Bass Day, basta entrar em contato pelo perfil do grupo no Facebook ou Instagram. Assim, Edinho comenta que são feitos convites a músicos de toda a região e os interessados sempre são bem-vindos!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

São Paulo, Santos, Palmeiras e Corinthians: a paixão de quatro bauruenses!

Brasil, sil, sil, sil… Somos conhecidos como o país do futebol e levamos essa ‘brinc…