Quando falamos em gastronomia, a confeitaria se torna a ‘cereja do bolo’! Uma parte essencial que torna tudo mais doce. Já que estamos falando de doce vamos entender melhor sobre esse assunto?

Antigamente, as pessoas não costumavam produzir pratos somente doces e nem confeitá-los. Somente após anos, esse método de cozinhar doces e decorar ganhou espaço na sociedade.

Depois dos anos 50, aconteceu um aumento em estabelecimentos que produziam doces finos e elaborados. A partir daí, a demanda foi aumentando e as produções não pararam mais! Ainda bem!

Essa paixão pelos doces e por produzi-los cresceu tanto que hoje em dia é profissão. O profissional que é formado em gastronomia pode se especializar na área da confeitaria.

Viva o doce!

É o caso dos bauruenses Maria Thereza Alves (Tetê) e do Irwing Ivankio, formados em gastronomia e com especialização nos doces. A confeitaria não é complexa somente na história, mas também, na sua produção.

Além do doce exigir mais técnica para um bom resultado, existem outros fatores que interferem na produção como a temperatura e o humor de quem está fazendo.

Para o doce, a temperatura influencia na preparação final, um exemplo, é o macarron, na época de umidade fica mais mole. Em época mais seca, fica mais consistente”, explica Tetê.

Foto: Facebook Confeitaria Tetê

Como é possível combinar ingredientes e ao final, formar deliciosos sabores? A resposta está na experiência de cada um! Tetê conta que, antes de acertar, o confeiteiro vai errar muito.

Quando eu era mais nova, não tinha muita noção. Eu lia as receitas, mas não sabia fazer. Agora, com mais prática, e lendo as receitas percebo cada detalhe”, conta.

Inspiração na cozinha

A inspiração faz qualquer profissional se destacar. Para Tetê, as inspirações vêm através da arquitetura e do design, coisas que estão fora da confeitaria!

Quem também se inspira fora da cozinha é o chefe Irwing Ivankio. “Acho que todos os chefes de cozinha têm que ir a muitos lugares e experimentar muita gastronomia e comidas diferentes para ter uma base”, comenta.

Irwing é especializado na confeitaria alemã, isso por conta das suas origens, que sempre foram a vivência de base gastronômica do chefe.

Alemanha X Brasil

Aproveitando o chefe meio alemão, meio brasileiro, perguntamos sobre a diferença na confeitaria. Ele explicou que as diferenças entre a gastronomia alemã e a brasileira são os temperos e insumos, já que são lugares diferentes com produtos específicos.

A gastronomia alemã, assim como uma parte da Europa, é um pouco de cozinha de sobrevivência. Em épocas do ano que é muito frio, é preciso trabalhar muito com conservas e compotas para ter Vitamina C no inverno. Então a culinária Alemã e de certa parte da Europa é de sobrevivência”, finaliza.

Bauru forma confeiteiros!

Desde 2016, o Instituto IGA chegou em Bauru oferecendo cursos profissionalizantes na área de Gastronomia e Confeitaria. Os cursos são orientados para todos tipos de pessoas, inclusive, para pessoas que nunca mexeram com alimentos.

No curso de confeitaria, os alunos se especializam com conhecimentos teóricos e práticos para realizar com sucesso trabalhos em eventos, restaurantes ou para gerir sua própria empresa.

O coordenador da IGA de Bauru, Mariano José Bucci, explicou que o aluno formado poderá trabalhar como padeiro ou confeiteiro, utilizando diversas técnicas e combinações em apresentações.

Para Mariano, a cozinha é arte! “Além do ensino de técnicas e procedimentos, os alunos têm muita liberdade de criar, decorar e desenhar seus acabamentos em todas as aulas”, comenta.

Coma o doce antes do salgado!

É costume deixar a sobremesa para depois, mas por que não comer antes? A chefe Iza Borges explicou que o doce é o Grand Finale, todo mundo espera e a tradição de comer por último gera mais expectativa para quem vai comer.

Essa é pra você que vive reclamando que seus doces não dão certo. Sabe o que falta? Uma pitada de persistência!

Foto: Izabela Borges

Não dá pra desistir porque errou três vezes a mesma receita! É dedicação, não pode desistir por cansaço! Temos compromisso e responsabilidade com cliente”, finaliza Iza.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Gastronomia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Com dez meses em Bauru, O Artesão abre segunda unidade no Boulevard Shopping

A primeira loja da gelateria “O Artesão” em Bauru abriu suas portas no dia 7 de dezembro d…