Em meio ao caos dos horários de ‘pico’, é possível ver pessoas que estão ali, tentando tirar um sorriso de quem apenas quer chegar em casa logo.

Sabe quem são essas pessoas? Os artistas de rua! Atualmente, é comum vê-los nos semáforos da cidade, seja trabalhando ou só mostrando sua arte. Muitas vezes, eles são desprezados pela sociedade que enxerga apenas um sinal vermelho em sua frente.

Robson Messias é artista de rua desde 2017 e tudo começou quando um amigo lhe apresentou o malabares.

Depois de um tempo treinando, decidi ir viajar pelo Brasil com esse mesmo amigo e sobreviver de arte, pois já tinha contato com meios artísticos”, explica.

Robson, que faz da arte seu meio de sobrevivência, está fazendo um curso pela Divisão de Ensino as Artes (DEA), que atende, atualmente, 1100 alunos por semestre, nas áreas de Dança, Música, Teatro e Artes Plásticas.

Não tem hora e nem lugar para fazer arte!

Buscar sorrisos… Esse é o primeiro passo que Robson busca quando sai às ruas. “Dentre todas as apresentações que faço, seja no semáforo, praça, eventos ou teatro, procuro fazer com que as pessoas se sintam bem e felizes”, diz.

Para ele não adianta o artista simplesmente ser técnico, ele precisa ter interação com o público e trazer algo além de uma simples apresentação.

Eu me sinto bem, como nas ocasiões que as pessoas estão de cara fechada e após a apresentação, ao olhar para essas mesmas pessoas, elas estão sorrindo”, comenta.

Se colocar no lugar do outro

Você já parou para pensar que a pessoa do outro lado está ali para conseguir sustento? A empatia é o que falta nas ruas. Aliás, em todos os lugares.

Há os momentos ruins, quando as pessoas viram o rosto, fecham os vidros dos carros ou me criticam por estar ali, achando que tem a obrigação de dar dinheiro, sendo que as únicas coisas que preciso é respeito e educação!”, explica Robson.

Bom dia, boa tarde ou boa noite é suficiente. Abaixe o vidro e cumprimente! Como é o caso do Robson, os artistas só querem fazer vocês, parados no sinal, sorrirem.

É mais que um malabarismo, para o artista, receber sorrisos é uma meta batida. Robson comenta que isso traz felicidade, “assim, sei que em um determinado momento do dia ela sorriu”, finaliza.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Natal ecológico: Prefeitura cria decorações em 5 pontos de Bauru

Vamos decorar a cidade para o Natal? A Prefeitura Municipal de Bauru está realizando o Nat…