Pode parecer loucura, mas o momento de escolher a poltrona do cinema é crucial para uma experiência completa com o filme. Quando uma pessoa falar que faz questão de sentar em um determinado lugar da sala do cinema, não ache que ela é louca, pois existe, sim, a poltrona ideal!

A engenharia por trás das salas de cinema

Os cinemas com som surround – grande parte das salas do Brasil – dividem o áudio por alto-falantes ao redor da sala inteira. Esse esquema é para tornar o filme mais realista, deixando os sons ao nosso redor vindo de vários lugares.

Mas tem um probleminha aí. Devido a essa divisão, dependendo de onde a pessoa estiver na sala, ela vai perceber o som de uma forma diferente. Aquele auto-falante mais perto de você sempre vai ter um impacto maior nos seus ouvidos.

O aluno de Rádio e TV da Unesp, Gabriel Oliveira, explica que a disposição de imagem e som existe em graus de totalidade.

“O objetivo é sentar em um lugar em que dê para ver tudo o que há em cena e ouvir todo o diálogo e os efeitos sonoros. Em suma, não perder nada do que acontece”, ele explica.

O oásis cinematográfico

Como Gabriel já explicou, o ideal é sempre procurar um local que equilibre boa visão e bom áudio. Por isso, as poltronas nas bordas da sala podem ser desclassificadas logo de cara. Além disso, as poltronas das primeiras fileiras também não são recomendadas para o seu pescoço, por ter que sempre ficar olhando para cima.

Mas claro que não seria tão óbvio se a escolha fosse a do meio. Ficar no centro da tela ainda não é 100%. O melhor é sentar-se cerca de dois terço da tela.

É nesse local que os engenheiros de som e técnicos de luz fazem os testes de qualidade. Além disso, você consegue ver a tela sem distrações laterias e é o ponto onde fica o chamado “microfone principal”.

“Pensando dessa maneira, a poltrona ideal se encontra nem muito perto e nem muito distante da tela. Também fica separada das escadas por pelo menos algumas outras poltronas, já que a luz dos degraus podem te distrair enquanto você vê o filme, mas também não muito longe para ficar mais prático de sair”, comenta Gabriel.

Ao gosto do cliente

Claro que apesar de toda essa matemática e engenharia das salas (insira aqui a Nazaré confusa), a poltrona ideal também é aquela que você acha melhor. Cada pessoa tem sua experiência diferente.

Laura Kerche é aluna de Bauru e uma verdadeira cinéfila. Quando vai ao cinema, ela leva algumas coisas em consideração: “Levo em conta, geralmente, a visibilidade. Prefiro as mais do alto, porque a visão da tela é melhor e não tem que inclinar muito o pescoço”.

Cada um tem seus critérios, mas se quiser tentar o método da poltrona ideal, conta para a gente se deu certo!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Sem roteiro, dá para esperar tudo do podcast bauruense “Programa de Indie”

Dois jornalistas + uma ideia = Programa de Indie! Foi isso que aconteceu entre Felipe Tell…