O universo é grande, mas não tanto quanto nossa curiosidade. Por isso, anotamos algumas dúvidas sobre astronomia bem interessantes e buscamos as respostas com um especialista no assunto.

Quem respondeu foi o Prof. Dr. Rodolfo Langhi,  responsável pelo Departamento de Física da Faculdade de Ciências da UNESP-Bauru.

Diante das dúvidas, ele vai nos ajudar a entender mais sobre o sol, a lua, os planetas e muito mais. Confira abaixo e pasmem!

1. Como uma estrela queima?

Essa estrela que estamos falando é o sol, mas, segundo o professor, elas não possuem fogo comum, como estamos acostumados aqui na Terra.

Trata-se de fusões termonucleares que ocorrem no interior do Sol e das estrelas, onde matéria é convertida em energia. “No caso da estrela Sol, a cada segundo, cerca de quatro milhões de toneladas de matéria são convertidas em energia!”, conta Rodolfo.

2. Como funciona a velocidade da luz?

A luz viaja no vácuo a uma velocidade de cerca de 300 mil quilômetros por segundo. A lua está a cerca de 384 mil quilômetros da Terra, então, isto significa que a luz dela leva um pouquinho mais do que um segundo para chegar até os nossos olhos.

Já o Sol está, em média, a uma distância de 150 milhões de quilômetro da Terra. Portanto, a luz emitida pelo Sol leva um mais do que oito minutos para viajar toda essa distância e chegar no seu olho!

Se você viajasse na velocidade da luz, você poderia dar cerca de sete voltas em torno da Terra em apenas um segundo. Uma viagem de São Paulo a Nova York duraria 0,03 segundos, isso quer dizer que estaríamos em outro país antes mesmo de piscar os olhos.

3. Vemos estrelas mortas?

A luz da estrela mais próxima do Sol, chamada de Alfa Centauri, leva um pouco mais de quatro anos para chegar até nossos olhos! Porém, as estrelas têm um ciclo de vida (explicamos abaixo), dessa forma, elas ‘nascem’, vivem e depois tem um fim.

Ainda usando a questão do ‘ano-luz’, vemos sim, estrelas mortas! Quando olhamos para uma estrela próxima da Terra, não estamos olhando para ela atualmente e, sim, para ela no passado.

Isso acontece, porque a luz dela demora alguns anos para chegar até nós! Ela pode se encontrar a alguns anos-luz da Terra. Existem estrelas a cem anos-luz, a mil anos-luz e outras que já não existem mais.

Vale lembrar que há galáxias a milhões e a bilhões de anos-luz de distância de nós.

4. Qual o ciclo de vida de uma estrela?

Segundo o Professor Rodolfo, uma estrela “nasce” a partir de enormes nuvens de gases e poeiras no espaço.

Partes de nebulosas se juntam devido, principalmente, à força da gravidade e este material acaba se comprimindo tanto que, no interior, a pressão e a temperatura vão a milhões de graus, dando origem às fusões termonucleares, ou seja, fusões de matéria, transformando o Hidrogênio em Hélio.

Nesta transformação, muuuuita energia é liberada: uma estrela nasce! Quando o Hidrogênio vai terminando, a estrela muda de comportamento e precisa produzir energia para continuar se mantendo em equilíbrio, pois a força da gravidade quer puxar tudo para o núcleo.

“Então, ela passa a fundir Hélio em outros elementos mais pesados. Mas, cada estrela poderá ter um caminho diferente, dependendo da quantidade de massa que ela possui. Se possuir muita massa ela vira um buraco negro”, explica.

Se possui uma massa menor, ela vira uma estrela de nêutrons. Se a massa for menor ainda, ela vira uma gigante vermelha e depois uma anã branca (é o caso do Sol).

5. Mas, o que é um buraco negro?

Basicamente, o buraco negro seria o resultado de uma estrela morta. Ele se forma quando uma estrela de grande massa (muito maior que a do Sol) termina seu período de fusões termonucleares, sendo vencida pela gravidade, cuja força puxou toda a matéria para um objeto de diâmetro tendendo a zero.

Portanto, a densidade do buraco negro tende a infinito. Por causa disso, a velocidade de escape nas proximidades deste corpo é maior do que a velocidade da luz. Assim, nem ela consegue escapar. Isto explica o nome deste objeto celeste.

6. É errado chamar de estrela cadente?

Sim! É errado! O nome certo é Meteoro. São rochas provenientes do espaço e que são atraídas pela gravidade da Terra. Ao caírem na atmosfera da Terra, ocorre um atrito violento com o ar, fazendo-os aquecer a milhares de graus e produzindo o brilho característico.

Rodolfo explica que tudo isso leva cerca de um segundo. Se estas rochas são maiores, podem brilhar por mais tempo e até mesmo caírem no solo.

“A maior parte dos meteoros são pulverizados na entrada da atmosfera. Quando caem em solo e são encontrados, recebem o nome de meteoritos”, completa.

7. Como é a cor do céu vista de outros planetas?

Cada planeta tem uma atmosfera diferente da Terra. “Alguns planetas nem tem atmosfera ou é bem rarefeita. Outros possuem uma atmosfera bem espessa”, explica o professor.

Um exemplo é Marte, que tem uma atmosfera composta principalmente de gás carbônico, que torna o céu com uma aparência rosada e alaranjada e, em vez de o pôr do sol ser avermelhado, lá, o horizonte fica azulado.

Outro exemplo é a atmosfera de Vênus, que também é composta principalmente de gás carbônico, mas é tão espessa que o efeito estufa de lá é bem intenso. Assim, o calor fica preso e a temperatura pode chegar a atingir quase 400 graus!

8. O que falta para morarmos em marte?

“Falta a capacidade de seres humanos conviverem em paz dentro de ambientes pequenos”, responde o físico.

9. Tem um planeta que chove diamante?

Rodolfo explica que segundo estudos isto pode acontecer nos planetas gigantes gasosos como: Júpiter, Saturno, Urano e Netuno.

10. Por falar em planeta gasoso, qual a diferença dele para um planeta rochoso?

“Um planeta gasoso não é uma bola de gás, como o nome parece sugerir. Dentro dele existe um núcleo rochoso pequeno. Devido à força da gravidade, os gases são atraídos para o centro do planeta e, como se trata de uma quantidade muito grande de gases, então o planeta formado é grande”, esclarece Rodolfo.

Mas, à medida que mergulhamos no planeta, a pressão aumenta. Então, a certa altitude, o gás muda para o estado líquido e, mais fundo ainda, para o sólido. Portanto, o que um planeta gasoso menos possui é gás!

Os planetas rochosos, são como a Terra, com solo firme para pisar. São eles: Mercúrio, Vênus e Marte.

11. A gravidade da Lua interfere na Terra?

Sim, interfere, para notarmos isso, basta vermos as marés oceânicas, que fazem os níveis da água do mar subirem e descerem, dependendo da posição que a Lua ocupa no céu ao longo do dia.

“Além de grandes massas de água, a Lua também desloca os continentes alguns centímetros. Mas, a Terra exerce mais efeito de maré sobre a Lua do que o inverso, pois ela tem mais massa”, completa Rodolfo.

12. Por que só vemos um lado da Lua?

“Justamente por causa do efeito maré que a Terra exerceu sobre a Lua por eras”. Segundo Rodolfo, aos poucos, as forças de maré foram atrasando a rotação da Lua em torno do seu próprio eixo até que, hoje, ela gira em torno da Terra dentro do mesmo período que ela leva para girar em torno de si mesma.

13. Do que é feito o núcleo da Terra?

Acredita-se que seja feito principalmente de Ferro e Níquel em alta temperatura.

14. De onde surgiu a Lua?

A teoria mais aceita é que ela tenha surgido durante a formação dos planetas do Sistema Solar, quando um objeto do tamanho de Marte colidiu com o que seria a futura Terra e arrancou um pedaço dela.

“Os destroços começaram a girar em torno da Terra devido à gravidade e foram se juntando até formar o que hoje conhecemos por Lua. Isto explica porque a Lua tem a mesma composição rochosa da Terra e está cheia de crateras”, completa Rodolfo.

15. De que são feitos os anéis dos planetas?

Basicamente de poeira de rochas e gelo.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Você sabe o que os seus sonhos significam? Psicólogos de Bauru comentam sobre o assunto

Passamos cerca de 1h20 sonhando por noite e, durante esse período, muitas coisas podem aco…