A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora. Com arranjos originais, o grupo está, cada vez mais, marcando presença no cenário musical de Bauru e região.

Formada por cinco mulheres, a banda conta com Marina Stecca e Ciça Bayer nos vocais, Dani Righetti no baixo, Samantha Ciuffa na guitarra e Marília Galletti na bateria. 

A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora
As músicas começaram com o projeto da Gum Pop devido à influência do estilo musical em suas vidas e também por conta de tratamentos machistas no meio musical  (Foto: Carla Goes)

Com essa formação, as garotas mostram que mulheres podem e devem se jogar na música. Inclusive em instrumentos que, preconceituosamente, não são considerados “de menina”.  

A formação da banda

Antes da formação atual, as garotas apostaram na formação de um grupo de rock e também em uma banda de funk soul, com influências de Aretha Franklin e Amy Winehouse. O que realmente as levou a optar pelo pop foi a influência do estilo musical durante o desenvolvimento de todas as integrantes.  

“Todo mundo era rockeiro, mas teve influências pop durante a adolescência. Só nunca tínhamos tocado”, afirmou Marina. 

Estreando em Marília, em dezembro de 2016, o grupo escolheu grandes sucessos do pop para performar. Em seu repertório, estão sempre presentes divas como Lady Gaga, Madonna, Beyoncé, Britney Spears e Spice Girls. 

A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora
(Foto: Divulgação)

A empreitada também foi fruto de muita *encheção de saco*. De acordo com Marina, a formação da banda foi resultado da insatisfação com os tratamentos machistas no meio musical. “Nós não conseguíamos levar muitas coisas para frente porque não éramos ouvidas naquele espaço”, afirma.

Inicialmente sem Samantha na formação, as garotas contrariadas com os acontecimentos, tomaram à frente e criaram seu próprio projeto musical. E assim surgiu a Gum Pop, focada em dar voz às garotas, sem quaisquer silenciamentos por parte de homens. 

Trajetória 

Ainda que com a intenção de darem um basta nas atitudes machistas, a banda inicialmente contava com um homem. “O Marcelo foi o primeiro cara que nos tratou de forma horizontal. Na verdade, ele era muito menos ativo nas decisões, porque o que curtia mesmo era fazer um som, então nunca rolou um sexismo com ele”, pontua Marina.  

Após a saída dele, as integrantes encerraram suas faculdades e assim o projeto tornou-se prioridade para todas. Além disso, com o passar do tempo, elas foram se profissionalizando em suas práticas. Marina até comenta que no início a banda era bem enxuta, e o projeto era bem mais simples. “Hoje em dia não é mais assim, mudamos bastante a proposta”, afirma. 

Marina analisa, inclusive, a dificuldade que o grupo enfrentou com essa simplificação do som, “Foi ficando um pouco difícil, porque o pop é muito performático. Então a voz, o som, as danças, tudo precisa ser muito focado para um show completo”

A partir disso, surgiu o convite para Samantha integrar a banda como guitarrista. Ao mesmo tempo, as garotas também investiram em complementos musicais, para tornar a apresentação mais completa. Elas optaram pelo uso de VS (Virtual Studios), um artifício para automação do som. 

O VS nada mais é que o áudio dos instrumentos previamente gravados, mas que não estão sendo efetivamente tocados num determinado show. Marina discorre que apesar de seus benefícios, essa ferramenta acaba limitando o grupo em sua criação. “É difícil se expressar durante a música com uma mídia que não te acompanha”, afirma. 

Samantha também comenta sobre o uso do dispositivo: “Ao mesmo tempo que isso traz qualidade para o show, também reduz nossa presença. Então ajuda, mas limita.”

Identidade 

O nome do grupo não poderia surgir de outra forma que não sob influência de um hit do pop. “Gum Pop” faz referência à música de Ariana Grande com Nicki Minaj, Side to Side – “Gun pop, and I make my gum pop!”. 

Dessa forma, as garotas reuniram o conceito de música chiclete (gum), à sensação de ser atingido pelo estilo musica, na tradução literal de “gun” (arma, em inglês). 

Com muito glitter, glamour e atitude, remetendo ao melhor da cultura pop, a banda dá um show de cores nos palcos. Sempre com figurinos e maquiagens muito marcantes, as garotas se montam em todos as apresentações. 

A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora
Com figurinos de cores vibrantes e maquiagens bem marcadas, a banda sempre sobe no palco caracterizando o que o pop tem de melhor: a originalidade. (Foto: Divulgação)

“Se montar é muito presente no pop, e temos muita vontade de trazer isso como símbolo. Porque a maquiagem é um símbolo de prisão para algumas meninas que buscam esconder defeitos que não existem, e acaba virando algo ruim. Nós queremos trazer um conceito contrário, onde a gente se diverte com isso, principalmente no momento pré-show”, afirma Marina. 

Samantha também coloca que a produção é uma forma de empoderar outras mulheres. “Nós mostramos que fazemos tudo o que fazemos em cima de um salto, com maquiagem, tênis brilhante, glitter, etc.”

Além da questão do empoderamento, essa também é uma forma das garotas profissionalizarem ainda mais o trabalho. “O visual faz parte do nosso show. Por ser showbusiness, nós temos o foco na música mas também pensamos em outras coisas. Tudo o que incrementa o show, a gente agrega”, comenta Marina.  

As garotas ainda ressaltam que estão investindo constantemente no projeto. Seja aprimorando a decoração do palco, apostando em projeções no ambiente, ou selecionando um repertório cada vez mais atualizado e descontraído. Com isso elas objetivam criar uma identidade divertida e também se destacar no mercado fonográfico.

Representatividade

O grupo destaca que, assim como a maioria das mulheres, fica suscetível a ofensas machistas em sua rotina. Elas comentam que presenciam desde coisas pequenas, como na montagem do show homens recusarem-se a “receber ordem de mulheres”, até comentários mais incisivos como “você até que toca bem para uma mulher”.  

“O feminismo está em uma crescente e as mulheres estão tentando ocupar espaços. Esse é o momento certo, tanto de fazer parte da causa como correr atrás dela”, discorre Marina sobre o assunto. 

Samantha também lembra da representatividade que cinco mulheres tocando instrumentos pode ilustrar para garotas mais novas. “Enquanto pequenininha, eu nunca gostei muito de coisas de menina. Um dia ao assistir o filme ‘Escola de Rock’, e ver uma das personagens tocando baixo eu falei ‘quero fazer isso’, porque vi uma outra menina fazendo. Acho que é um pouco disso também, inspirar outras meninas a fazerem o elas que quiserem”, comenta a guitarrista da banda. 

A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora
As músicas são um exemplo de representatividade e inspiram outras mulheres a apostarem em instrumentos que, preconceituosamente, não são considerados de “meninas”. (Foto: Marcos Piva)

Além da pauta feminista, o grupo também apoia o movimento LGBT. “É uma causa muito importante, que inclusive está presente na banda” comenta Marina. O grupo ainda afirma que conforme forem crescendo, querem abraçar e apoiar cada vez mais a causa.

Presença em Bauru 

Apesar do grupo ter sido formado em Marília, as músicas estão em Bauru desde 2013 para cursarem suas faculdades. Assim, elas já estão familiarizadas há algum tempo com a cena musical da cidade. 

Inicialmente, elas começaram as apresentações no L’Oppen, onde hoje são residentes e realizam show mensais. De lá para cá, já tocaram em grandes eventos da cidade, como o Encontro da Diversidade de Bauru. 

Projetos futuros

Entre os principais planos da banda está o lançamento de uma música autoral, que já está em produção. “A ideia é que seja lançada ainda neste ano, mas não tem data ainda” pontua Marina.

Samantha também afirma que a banda já está em contato com alguns produtores de São Paulo, para que possam entrar de forma sólida no mercado. “Estamos focadas na música autoral, em uma estratégia de lançamento legal, inclusive com videoclipe. A partir disso, iremos trabalhando a banda, porque queremos realmente chegar numa projeção nacional”, discorre.

O Show 

Com um show meeega animado, as cinco garotas colocam todo mundo para dançar com grandes sucessos do pop. Dica: para quem nasceu em meados dos anos 90 e cresceu ouvindo tanto pop, quanto rock, irá amar! 

A banda Gum Pop, de estilo próprio e único, destaca-se cantando grandes sucessos do pop de uma forma inovadora
(Foto: Divulgação)

Isso porque o grupo uniu algumas de suas influências do passado no momento de montar os arranjos. Então a apresentação tem um quê de show de rock que faz todo mundo tirar o pé do chão e cantar todas as letras das maiores divas do pop.  

E aí, ficou curioso? Fique de olho nas próximas apresentações da banda em Bauru: 

  • 10 de agosto no Solidary Rock 
  • 17 de agosto no L’Oppen
  • 22 de agosto – Villa do Chopp (Villagio Mall) 

Serviço

Banda Gum Pop
Telefone: (14) 99745-5361
Facebook: www.facebook.com/bandagumpop
Instagram: www.instagram.com/bandagumpop
Site: gumpop.com.br

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Zoo e Jardim Botânico de Bauru oferecem curso de férias para crianças e adolescentes

As férias estão chegando e nada melhor do que incentivar as crianças a brincarem muito. E …