A cidade de Bauru é considerada mais segura, quando comparada a outras de portes semelhantes. Nem por isso o trânsito bauruense é considerável agradável; pelo contrário, muita gente reclama recorrentemente das práticas cotidianas nas ruas da cidade.

Se você quiser um trânsito mais cordato, humano e seguro, o comportamento de seus usuários deve sofrer uma reengenharia, a começar por cada um de nós. Neste sentido, urge que os motoristas mudem radicalmente as suas maneiras de dirigir: devem prestar mais atenção às regras de trânsito e à civilidade, respeitando-as intransigentemente.

Vale sempre a regra de ouro: fazer aos outros aquilo que gostarias que fosse feito a si. Muitos incidentes e mesmo acidentes são consequência da falta de atenção, descumprimento de algum item da legislação de trânsito ou da falta de bom senso. Os resultados são constantes conflitos entre pedestres e condutores. Além dos recorrentes dissabores pessoais oriundos dos conflitos, os acidentes produzem um custo social anual de R$ 50 bilhões, segundo o IPEA. No entanto, se todos adotarem boas práticas para um trânsito seguro e mais saudável, consegue-se melhorar a qualidade de vida da sociedade.

Para um trânsito mais seguro, a prática de direção defensiva é uma das medidas mais eficazes e que ajudam a evitar a ocorrência de acidentes motivados por falhas humanas. Essas informações, em geral, são transmitidas no processo de formação dos condutores e que, via de regra, acabam por serem negligenciadas ao longo do tempo.

Uma postura mais proativa requer atenção à sinalização de trânsito, composto pelos sinais e placas, que são informações importantes para um bom funcionamento do sistema de circulação. Elas estão implantadas por toda a cidade, justamente para evitar acidentes e tornar o trânsito mais seguro e fluido. Ainda assim, muitos optam por ignorá-las, sejam elas de indicação, de advertência ou de regulamentação. Prestem muita atenção naquelas que
estiverem em seu trajeto.

O uso do cinto de segurança não é mera formalidade para evitar multas. Neste sentido, o uso do cinto é aplicável a todos os ocupantes do veículo, não apenas para os motoristas. Não se esqueça da cadeirinha para as crianças, pois dispor a elas equipamentos de segurança é um ato de amor e um direito que elas têm. Para vivenciar um trânsito seguro é necessário edificar gradativamente uma cultura de segurança.

Cuidados com o corpo e mente são fundamentais. Conduzir em estado de sonolência, sob efeito de bebidas alcoólicas ou de drogas (lícitas ou não) pode ser fatal para você, seus familiares e outras pessoas no trânsito.

Falar ao celular enquanto dirige, nem pensar, pode ser fatal. Esta é uma das infrações mais recorrentes e perigosas cometidas em nossos dias. Quando dirigir, esqueça o celular. Isto faz bem para a vida.

A distância que você adota em relação ao veículo que trafega à sua frente pode gerar situações perigosas. Buscar um trânsito seguro, implica em manter-se seguramente distante, propiciando espaço de tempo compatível para agir/reagir em situações de risco e inesperadas.

Por fim, realizar a manutenção periódica em seu veículo é vital para assegurar que a máquina irá responder aos seus comandos no momento certo e da forma apropriada. Em se tratando de preservar a saúde e a vida, não se pode transigir neste quesito. Por não se preocupar com esta prática, muitos motoristas são surpreendidos com falhas no momento de executarem uma frenagem, uma curva ou uma manobra evasiva.

É preciso pensar e agir com segurança no trânsito. Prevenção, bom senso, cordialidade e respeito, são palavras de ordem quando o foco é trânsito seguro, mais agradável e humano.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Archimedes Azevedo Raia Jr
Carregar mais em Colunistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Coluna Isabela Gaspar: #você #sabe #usar #as #hashtags?

Olá, sou a Isa e esta é a minha 12ª coluna para o Social Bauru. Por aqui, você encontra te…