Imagine chegar em casa e se deparar com uma verdadeira cena de filme de terror: seu quarto aos pedaços e seu colchão completamente comido. O vilão? Chico, um cachorro sem raça definida com apenas oito meses e que destrói as coisas por hobbie.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Chico e Luke (@chico_and_luke) em


Essa cena foi vivida por Patricia Rodrigues Barros. Os momentos de desespero por parte da bauruense e de completo deboche por parte do cão viralizaram na internet. Hoje, Chico é famoso nas redes sociais, participou de programas de televisão e virou até garoto propaganda.

Mas como era a vida do Chico “antes da fama”? E o que aconteceu naquela noite fatídica? Conheça a história desse cachorro malandro.

Uma noite muito louca

Hoje, Patricia se lembra da noite entre risos, contudo, confessa que foi um misto de reações. “A hora que eu entrei no quarto eu não tinha reação, não sabia se chorava ou ria”, conta.

Tudo começou quando Patricia e o filho foram ao cinema, assistir a estréia do filme “Homem Aranha – Longe de Casa”, no dia 5 de julho.

Com tempo de chuva, a dona do Chico achou melhor deixar os dois cachorros, Luke e o meliante, dentro de casa, para que não molhassem.

Quando voltaram, Daniel, o filho de Patricia, viu pela janela do quarto (que estava aberta), algo fora do comum. Já imaginando que Luke e Chico tinham aprontado, ela ligou o celular, para registrar mais uma arte dos cachorros. Muito acostumados a destruírem travesseiros e almofadas, a dona não se surpreendeu logo de cara.

Mas quando entrou no quarto, tudo mudou.

“O Chico estava lá com aquela cara de lazarento em cima da minha cama! Parecia que jogaram uma dinamite no colchão, porque tinham pedaços espalhados no quarto inteiro”, lembra Patricia.

Após o susto, o que restou à dona do Chico foi juntar os pedaços do colchão e dormir em cima da cena do crime. Isso mesmo! Patricia dormiu por mais de uma noite no colchão destruído. Hoje, ainda serve de prova daquela noite e fica na parte da frente da casa.

Cachorro viral

Na época do incidente, o Instagram @chico_and_luke não tinha mais do que 200 seguidores. Foi criado por Patricia para deixar a filha, que mora em São Paulo, informada sobre o dia a dia dos cachorros.

Primeiramente, o vídeo daquela noite não foi publicado, apenas fotos.

“Eu não postei o vídeo, apenas mandei para um grupo de família e amigos. Só fui saber que viralizou, quando as pessoas me marcaram no Instagram do Padre Fábio de Melo”, relembra Patricia.

Em pouco dias, o vídeo já estava em sites e perfis de jornais, revistas e famosos. Chico apareceu em perfis do Hugo Gloss, Carioca, participou do programa do Danilo Gentili, do “Hoje em Dia” e muito mais. Já virou até garoto propaganda de colchão!

Atualmente, o perfil dos cachorros da bauruense já conta com 277 mil seguidores e até virou um perfil verificado do Instagram!

Chico e Luke

Enquanto Luke, um Lhasa apso, já está com sete anos, Chico ainda tem oito meses. Adotado quando ainda tinha 45 dias, o cão famoso foi encontrado na rua com a mãe e outros filhotes.

chico
Chico e Luke. Foto: Instagram

A dona conta que o cachorro nunca gostou de passear e sempre se escondia. Quando saíam, tinham que levá-lo no colo, pois estava sempre assustado.

Depois do vídeo viralizar, muitos criticaram Patricia por supostos maus tratos ao Chico. Contudo, Diogo Fontes, responsável pelo adestramento do cachorro, comenta que o comportamento do vídeo é mais comum do que imaginamos.

“O que acontece no caso do Chico e de outro animais é o excesso de carinho e de humanização. O Chico não é um cachorro estressado, ele é um cachorro que não teve limites. Por isso, sempre comia as roupas da Patricia e subia em mesas”, explica o adestrador.

Hoje, o Chico já passou por adestramento e aproveita sua fama nas redes sociais, sem deixar de lado seu jeito malandro de ser.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Gabriela Gomes
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

A primeira impressão é a que fica, os bauruenses são receptivos com os gringos?

Sempre damos mais valor à opinião dos outros do que às nossas, né? Pensando nisso, pergunt…