Bauru precisa de mais árvores. Aliás, o mundo precisa de mais árvores! Mas quer uma notícia boa? Na nossa cidade existe um grupo que realiza, mensalmente, plantio de árvores frutíferas em espaços urbanos coletivos.

Esse é o Fruto Urbano! Projeto independente, voluntário e sem fins lucrativos que foi criado em 2014 com o objetivo de lutar por cidades. Assim, moradores de determinadas regiões podem ter acesso a parques, bosques e pomares públicos.

A iniciativa veio do Miguel Axcar e seu irmão, Khalil Axcar, que começaram a sentir falta de árvores frutíferas na cidade, o Fruto Urbano nascia aí! “Começamos fazendo mudas em casa e plantando sozinhos, de bicicleta, e fomos convidando amigos. Decidimos criar um evento nas redes sociais e cresceu tanto que já chegamos a reunir 500 pessoas em um plantio coletivo”, conta Miguel.

O projeto deu tão certo que hoje o Fruto Urbano atua em vários municípios da região. Eles realizam o plantio coletivo em cada cidade pelo menos uma vez por mês.

Foto: Divulgação

Plantando esperança

O Fruto Urbano leva como inspiração melhorar a vida das pessoas ajudando a transformar as cidades em lugares com mais parques, bosques e principalmente pomares públicos. A busca é por uma cidade onde o componente prioritário é a natureza.

Dessa forma, a natureza no contexto urbano favorece a melhoria da qualidade vida, diminuição do estresse, redução da poluição. Além de servir para usos como lazer e realização de exercícios físicos ao ar livre.

Os encontros do projeto acontecem mensalmente e, depois de definir qual será a área de plantio, o grupo alinha com o poder público e convida os voluntários. Buscando facilitar a ação, a prefeitura oferece mudas e locais para plantar, como escolas.

Foto: Divulgação

Fruto Urbano por toda a parte!

Além das movimentações para plantar árvores, o Fruto Urbano promove palestras sobre o meio ambiente, workshops, atividades que tratam sobre sustentabilidade, educação ambiental e distribuem mudas.

Ainda assim o grupo viu a necessidade de criar outra ação, para ajudar comunidades em situação de vulnerabilidade social. Então, nasceu o Fruto Solidário, que arrecada roupas, cestas básicas, itens materiais e ainda serve refeições para população carente.

Já atendemos milhares de pessoas e servimos milhares de marmitas! Neste momento, o Fruto Solidário é um grupo autônomo, não mais controlado pelo Fruto Urbano. As pessoas já tocam sozinhas, sem relação conosco, mas investimos recursos financeiros, humanos e gerenciais na fundação desse grupo”, comenta Miguel.

Foto: Divulgação

Venha dar uma “mãozinha”!

Pensando no futuro, o Fruto Urbano pretende oferecer educação ambiental a pessoas que não tem conhecimento sobre o assunto. Dessa forma, o projeto disponibiliza metodologia, experiência operacional e de plantio, ferramentas, mudas e mídia de mobilização. Além disso, esse conteúdo pode chegar a pessoas de todo Brasil que queiram arborizar suas cidades.

Até hoje, estima-se que tenham sido plantada, em média, 25 mil árvores e esse número vai continuar crescendo, porque as ações não param! O Fruto Urbano trabalha em um núcleo com 20 pessoas, mas, em dias de plantio, são mobilizadas de 200 a 300 voluntários.

Além dos voluntários, o grupo também precisa de apoiadores, pois o Fruto Urbano corre risco de parar as atividades por falta de recursos. Dessa forma, o projeto busca empresas parceiras.

Para participar das ações, basta acessar o Facebook do projeto e procurar o plantio mais perto de você. Já para ser voluntário, é só encaminhar uma mensagem para o e-mail  [email protected]. E para quem quiser entrar nessa missão, é só acessar o site do Fruto Urbano frutourbano.org.br/quero-participar/.

Foto: Divulgação

Serviço
Fruto Urbano
Site: frutourbano.org.br
Facebook: www.facebook.com/frutourbano
Instagram: @frutourbano

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Vivian Messias
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Você sabe o que os seus sonhos significam? Psicólogos de Bauru comentam sobre o assunto

Passamos cerca de 1h20 sonhando por noite e, durante esse período, muitas coisas podem aco…