Passamos cerca de 1h20 sonhando por noite e, durante esse período, muitas coisas podem acontecer.

Situações bizarras, lembranças de acontecimentos já vividos de uma forma diferente, projeção de experiências que desejamos e até pesadelos.

Mas você sabe o que são sonhos e por que sonhamos?

Segundo a psicóloga clínica e docente de Psicologia na FIB, Mônica Perri Kohl Greghi, os sonhos são, na perspectiva Junguiana, uma manifestação do inconsciente e têm a função de auto regulação da psique.

José Ricardo Lopes, psicólogo clínico e docente do UNISAGRADO, completa:

Os sonhos são formados por um conjunto de imagens, significados e valores que na psicanálise chamamos de representações, que vamos desenvolvendo no inconsciente ao longo de toda nossa vida, cuja a manifestação ocorre quando estamos dormindo, e que podemos ter algumas lembranças delas quando acordamos. Essas representações psíquicas nós desenvolvemos ao longo de nossas experiências cotidianas, desde a infância e por toda a vida”.

Sonhos parecidos, significados distintos

O mais curioso em relação aos sonhos é que, muitas vezes, podemos sonhar com coisas iguais ou parecidas com outras pessoas.

Alguns casos comuns são sonhar que o dente está mole, que você está em queda livre ou que tem alguma prova muito importante que tinha esquecido e não estudou.

A psicologia explica que é normal que alguns temas de sonho sejam mais comuns do que outros. Isso acontece porque existe algo chamado pelos psicólogos de inconsciente coletivo.

Alguns sonhos são realmente mais comuns que outros. Dentro da perspectiva da psicologia analítica, temos um inconsciente coletivo que une imagens que todos nós podemos sonhar. Assim, é comum sonharmos que estamos voando, que estamos subindo uma montanha alta, etc. Há conteúdos pessoais e conteúdos coletivos”, ressalta Mônica.

Mas não se engane, viu? Não é porque você sonhou a mesma coisa que alguém que o significado é necessariamente igual.

José Ricardo explica que os significados dependem da subjetividade.

Os significados em si vão depender de cada pessoa, da história de cada um. Tenho reservas de pensar que existem predominância de significados universais para se compreender o conteúdo dos sonhos, se existem são poucos, e que só podem ser compreendidos na análise junto a pessoa que viveu o sonho”, comenta o psicólogo.

A importância de sonhar

Para alguns, os sonhos podem ser apenas um conjunto de imagens aleatórias que aparecem em nosso cérebro durante a noite. Entretanto, eles possuem uma importância científica comprovada.

Além de poderem ser utilizados pela psicologia analítica Junguiana para ajudar a analisar aspectos psicológicos sobre os pacientes, os sonhos podem nos auxiliar a superar traumas, assimilar conhecimentos, lembrar acontecimentos, entre outras coisas.

O sonho conta com registros que podem nos auxiliar na tomada de alguma decisão importante, na superação de algum evento traumático, ou até mesmo na compreensão de diversas barreiras, sintomas ou angústias que nos deparamos ao longo de nossa vida, conteúdos esses que não temos consciência, mas que interfere bastante nos destinos de nossa vida”, salienta José Ricardo.

Outra função importante que pode ser atribuída aos sonhos é a de refletir percepções inconscientes sobre nosso próprio corpo. Portanto, se percebemos que algo não vai bem em nossa saúde, os nossos sonhos podem trazer um alerta sobre isso.

Interpretando com consciência

Como a curiosidade sobre o significado dos sonhos é recorrente, muitas pessoas acabam indo atrás de respostas sobre o assunto na internet.

Mas nem sempre esse é o modo mais recomendado para procurar por uma significação, já que o acompanhamento de um profissional é sempre o mais recomendado.

A interpretação dos conteúdos inconscientes, como no caso o sonho, exige que tenhamos um contato humano, em que uma pessoa possa se envolver numa escuta que seja qualificada para isso. Os diversos sites que se propõe a fazer esse papel ficarão no mínimo com uma interpretação muito rudimentar de elementos genéricos de sonhos já registrados na literatura, ou no imaginário das pessoas que tentam usar esse instrumento para interpretar, não realizando com isso a compreensão humana que essa experiência exige”, explica José Ricardo.

Portanto, a busca de um profissional pode ser essencial para entender sonhos que possam ser recorrentes ou incômodos.

Consultoria:
Profª. Dra. Mônica Perri Kohl Greghi (CRP 06/23784)
Prof. Dr. José Ricardo Lopes Garcia (CRP 06/50.568-1)

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Natal ecológico: Prefeitura cria decorações em 5 pontos de Bauru

Vamos decorar a cidade para o Natal? A Prefeitura Municipal de Bauru está realizando o Nat…