Esse texto é minha cara! Ou a cara de algumas de nós né! Quem já não ouviu de algumas pessoas frases do tipo: nossa como você fala alto! Cuidado com o que podem pensar de você… Mulher não fala palavrões hein! Etc, etc…

Puro julgamento com uma pitada de censura. Talvez essas pessoas queriam ser do jeito que você é, mas não tem coragem! Aliás, eu sou desse jeitinho e admiro também quem fala alto, ri alto, chora sem medo, encara e mostra as verdades, enfrenta as derrotas, dá uma “xingada” pra extrapolar, enfim, somos humanos e todos temos nossos defeitos e qualidades.

O importante é ser você verdadeira com as “suas verdades”. Ou seja, ser REAL, ser o que você sente, ser a sua essência. Quem é assim, pode ter certeza, às vezes é criticado ou julgado. Mas, não importa o que dizem, somente você tem o poder de se fazer feliz.

O Padre Fábio de Melo tem um livro muito bacana que nos abre os olhos sobre o “sequestro” da subjetividade e o desafio de sermos nós mesmos. O livro é de 2008, “Quem me roubou de mim”, da Editora Canção Nova. Essa leitura eu recomendo pra todos! Vale muito a pena. O escritor mostra que há situações e pessoas que nos “roubam” de nós mesmos. Muitas vezes, segundo Fábio de Melo, a gente vira refém de algo ou de alguém e nada pode nos privar de sermos quem somos no fio dessa vida.

Então, seja sempre você, aceite suas inconstâncias sem medo do que os outros vão pensar ou falar. Aliás, a opinião é do “outro”, aí voltamos lá no comecinho do texto: julgamento!

Graças a Deus, a gente vai aprendendo muita coisa, escrevendo cada página no livro da vida. Uma delas é que “menos é mais”. Então, sofra menos, preocupe-se menos, fale menos das pessoas e mais sobre ideias. Parece fácil falar né! Mas, tente porque é garantido que para fazer também não é tão complicado assim. Deixe sua luz brilhar!

É isso pessoal, a gente volta em breve. Um beijo pra vocês!
Tchau!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
  • Juiz do tempo

    Em um dos giros que esse mundo dá, percebi que já não adianta mais tanta pressa, pular eta…
  • Nascer de novo para o novo

    Durante a atual pandemia, muita coisa mudou em nossas vidas. Nós mudamos! Uns para melhor,…
  • 2020: o ano em que nos reinventamos

    O ano de 2021 começa a invadir a nossa casa! E o que falar de 2020? O que realmente aprend…
Carregar mais por Rosana Poli
  • O meu silêncio

    Eu estou bem. Isso não significa que minha saúde mental não está comprometida. Só me permi…
  • Juiz do tempo

    Em um dos giros que esse mundo dá, percebi que já não adianta mais tanta pressa, pular eta…
  • Sobre Pix, Bitcoins e Blockchains: quero!

    No início de 2020, antes do rolo compressor que nos atropelou ter iniciado sua marcha, fui…
Carregar mais em Colunistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

O meu silêncio

Eu estou bem. Isso não significa que minha saúde mental não está comprometida. Só me permi…