Atualmente usamos a internet para tantas tarefas que se tornou difícil abrirmos mão desse item que passou a ser tão essencial em nossas vidas!

Segundo um estudo realizado em uma parceria entre Hootsuite e We Are Social, o Brasil é o segundo país do mundo em que as pessoas ficam mais tempo conectadas, acessando a Web por cerca de 9 horas e 29 minutos diariamente.

Um tempo consideravelmente grande se pararmos para pensar que corresponde a quase 40% do nosso dia, não é?

Apesar de trazer diversos benefícios, como facilitar a comunicação entre pessoas e difundir mais rapidamente notícias mundiais, por exemplo, o uso descuidado da internet também pode trazer consequências negativas e pôr em risco nossa segurança.

Mas calma! Não precisa ficar assustado e parar de se conectar. Seguindo apenas alguns passos e medidas, navegar na Web fica bem mais seguro e você pode se utilizá-la sem medo.

Principais riscos

Para saber como se precaver e ficar mais seguro na Web, primeiro, é preciso ter uma noção das ameaças.

Um dos maiores riscos na internet são golpes que envolvem roubo de dados. Sabe aquele cadastro de loja ou de aplicativo que você fez que pediu várias informações suas? Então, é aí que pode morar o perigo.

Isso, porque pessoas mal intencionadas podem acessar esses dados e usá-los para te prejudicar de alguma forma.

O Prof. Me. José Rafael Pilan, coordenador do curso de Ciência da Computação do UNISAGRADO, alerta para as estatísticas desse tipo de ataque cibernético no Brasil:

Em 2019, a empresa de segurança Fortinet realizou um levantamento de tentativas de ataques realizados no Brasil, o resultado é alarmante, foram 15 bilhões de ataques em somente três meses”.

De acordo com o professor, entre os tipos mais comuns de golpe estão:

  • Vírus para celulares – após infectar o aparelho, ele rouba senhas e dados bancários.
  • Aplicativos modificados – programas alterados que oferecem para o usuário um aplicativo completo sem precisar pagar pelo mesmo ou com recursos desbloqueados. Esses apps também são usados para roubo de dados.
  • Sites falsos – muitas vezes são idênticos aos sites verdadeiros, contudo produtos comprados nesses sites nunca são entregues aos consumidores.
  • Phishing – é uma prática que engana o usuário para que ele forneça dados pessoais. Essa técnica geralmente é aplicada em sites com dizeres informando que a pessoa ganhou algum prêmio, mas essa prática está evoluindo e atualmente podemos vê-la sendo praticada através de mensagens de SMS ou mesmo WhatsApp.

O perigo escondido nas redes sociais

Além do golpe do roubo de dados, expor a vida na internet também pode trazer problemas. Segundo Ivan Leal Morales, Prof. Me. de Ciência da Computação da FIB, embora seja compreensível o fato de gostarmos de compartilhar nossa vida com os amigos nas redes sociais, a exposição em demasia pode ser arriscada.

Se a pessoa se expõe em excesso, traz o perigo de divulgar particularidades de sua família e sua vida íntima. Sem perceber que estas informações podem ser utilizadas por terceiros a fim de causar malefícios ou obter vantagem por ter tido acesso a informações que falamos ser sensíveis (privadas, pessoais)”, salienta o professor.

Por exemplo, se você compartilha que está viajando com a família, pessoas mal intencionadas podem pressupor que sua casa está vazia, ou seja, um alvo fácil para possíveis roubos.

Não obstante, essas informações também podem favorecer stalkers (perseguidores), que tem a possibilidade de usá-las para importunar sua vítima ou planejar algo contra ela.

Nos tempos de redes sociais, com informação vasta sobre todos, basta algumas consultas nos perfis para ter acesso a dados da pessoa e planejar algum ato. Se isto ocorrer, é preciso, com urgência envolver as Delegacias de Crimes na Internet, para que estes entrem no assunto e façam um planejamento conjunto para resolver o problema”, aconselha o professor.

Dicas para se proteger

Além de evitar se expor demais nas redes sociais ou fornecer dados para sites de procedência desconhecida, ainda há várias dicas para diminuir os riscos online.

1- Evite links suspeitos

Links de notícias sensacionalistas ou provenientes de mensagens pedindo a realização de uma ação como, por exemplo, “clique aqui para ganhar dinheiro”, podem ser sinônimo de problema.

Isso, porque quando clicado, há o risco do link gerar o download de um arquivo com vírus que pode ser utilizado para golpes.

2- Perfis de Facebook

Evite adicionar pessoas que você não conhece e tome cuidado com perfis fakes (falsos) que utilizam dados reais.
Para checar se o perfil que está adicionando é verdadeiro, basta dar uma olhada na quantidade de publicações e amigos em comum existentes.

3- Fique atento com as senhas

Coloque senhas fortes diferentes em seu smartphone, computador e redes sociais e troque-as regularmente, assim as chances de que alguém as descubra se tornam menores.

4- Sempre utilize softwares originais

Segundo o professor Ivan, programas provenientes da pirataria burlam a segurança do seu computador e podem trazer surpresas desagradáveis.

Quando usamos algo pirata, um software chamado cracker começa a rodar. Ele quebra o sistema de segurança do software, a fim de ativá-lo. Além da quebra da segurança, rotinas de monitoramento podem ser incluídas. O famoso Cavalo de Troia: você recebe de presente a ativação do produto, mas outras rotinas são incorporadas. Com isto, tem-se acesso a dados diretamente do seu computador e, sem que você perceba, está sendo monitorado”, explica.

Nesse caso, nem o antivírus resolverá o problema, já que ao instalar um programa pirata o procedimento envolve entrar em uma área de configuração e marcar o crack como exceção, ou seja, o antivírus não vai considerá-lo como ameaça.

5- Promoções milagrosas

Desconfie de promoções muito fora do normal. Nesses casos, abra o site da loja fora de sua rede social para investigar ou entre em contato com o estabelecimento por telefone para verificar a existência da promoção.

6- Atente-se ao seu celular

Suspeite de SMS recebidos falando que seu aplicativo do banco precisa ser atualizado, porque se houver realmente a necessidade de atualização isso será notificado pelo próprio aplicativo e não via mensagem.

Se estiver disponível no seu aparelho, deixe ligada a opção de rastreamento, pois caso seu smartphone seja roubado, você consegue acessá-lo para realizar o bloqueio e apagar seus dados.

A última dica é instalar um antivírus no celular para se proteger de malwares e hackers.

Ufa! Bastante coisa, não é? Mas agora que você já tem consciência dos riscos e sabe como se prevenir pode navegar mais tranquilo na internet!

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Uso indiscriminado da Cloroquina e Azitromicina levantam debate sobre a automedicação

Nos últimos dias, o assunto do uso de remédios sem prescrição e orientação tem se tornado …