Os sintomas da doença causada pelo novo coronavírus, a COVID-19, são similares ao de uma gripe (nós esclarecemos as diferenças aqui). Entretanto, apenas algumas pessoas se encaixam como suspeitos infectados e, para isso, existem duas situações.

A primeira é o fator viagem: pessoas que viajaram para qualquer país e que apresente febre e um sintoma respiratório que pode ser tosse, dor de garganta, coriza ou falta de ar. Já a segunda situação é ter tido contado com um caso suspeito e/ou confirmado e apresentar febre e um dos sintomas respiratórios apresentados acima. Nestes casos, há a suspeita de infecção pelo coronavírus.

Assim, a primeira medida é ficar em isolamento social. Caso seja necessário ter contato com as pessoas, é preciso usar máscara e procurar um serviço de saúde – já utilizando a máscara. “Se a pessoas teve contato com alguém que viajou ou que veio de algum outro país e não tem febre e sintoma respiratório, não é caso suspeito. Para ser suspeito a pessoa que viajou ou que veio do exterior tem que ter os sintomas indicados acima e ser notificado pela vigilância”, acrescenta o Secretário de Saúde de Bauru, Sérgio Henrique Antonio.

Portanto, o ideal, ao sentir sintomas leves, é procurar uma UBS (Unidade Básica de Saúde) e, apenas em casos de falta de ar, vá à UPA (Unidade de Pronto Atendimento). Para os casos graves, segundo o Secretário da Saúde, será solicitada uma vaga com o direcionamento do local de internação via o sistema CROSS (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde).

Casos suspeitos em Bauru

Até o momento, a cidade não apresenta nenhum caso confirmado para a COVID-19, sendo que sete casos foram descartados e 60 aguardam resultado de exames. A cidade está há 14 dias sem novos resultados.

Mas por que a demora nos resultados que comprovam a infecção pelo coronavírus? O fato é que todos os exames são enviados para o Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, que acumula demanda de diversos lugares do estado. Em entrevista coletiva, o Prefeito de Bauru, Clodoaldo Gazzeta, afirma que vai comprar exames.

“O protocolo do Instituto é de 72 horas para o resultado, mas a fila é grande e vai aumentar. Então conversei com o prefeito Pradinho, de Botucatu, para adquirirmos exames do setor privado em conjunto. Também conversei com a direção local do Adolfo Lutz para que nós possamos antecipar esses exames na cidade e na região. A Prefeitura vai usar de todas as formas para fazer a compra desse exame se assim for necessário”, declara Gazzetta.

Dr. Marcos Cabello, Prefeito Clodoaldo Gazzetta, Secretário da Saúde Sérgio Henrique Antonio e vice-prefeito Toninho Gimenes

Outra medida é o direcionamento de R$2,5 milhões para a compra ou locação de equipamento de tomografia, que oferece um diagnóstico preciso da COVID-19. O prefeito ainda ressalta que a informação, caso for comprovada a suspeita de COVID-19 na cidade, será anunciada apenas por ele ou pelo Secretário da Saúde.

Neste cenário, a Faculdade de Odontologia (FOB) da Universidades de São Paulo (USP) em Bauru se dispôs a realizar os exames que testam a infecção por coronavírus. Além o campus na cidade, outros 16 laboratórios da universidade serão habilitados para fazer parte da rede que aumentará o número para 2 mil testes por dia. O serviço terá apoio de profissionais do Instituto Butantan. Medida foi anunciada pelo Governador João Dória na última segunda-feira (23).

Governados do Estado de São Paulo, João Dória, em entrevista coletiva nesta terça (24) (Foto: GOVESP/ FotosPublicas) 

Coronavírus

Ainda que sem casos confirmados, o decreto de emergência divulgado pela Prefeitura na última sexta-feira (20) foi uma medida de prevenção. Assim é possível garantir que as chances de disseminação do novo coronavírus diminuam. Ainda vale ressaltar que esta é uma nova situação, portanto, é necessário aderir aos cuidados recomendados.

Então quem puder, fique em casa – principalmente os idosos – e evite aglomerações. Deixe as máscaras para o paciente suspeito ou confirmado e para os profissionais de saúde. Lave as mãos com água e sabão ou álcool em gel e higienize superfícies e objetos com álcool 70%. Vá ao supermercado apenas quando necessário e siga as dicas que publicamos aqui.

“A importância que queremos segurar a entrada do vírus, ele vai entrar, mas quanto mais demorar melhor, pois se ele chegar a exemplo do que ocorreu na Itália contaminando todo mundo ao mesmo tempo teremos muitos pacientes graves ao mesmo tempo precisando de UTI e ai o sistema de saúde não dará conta e muitos morrerão por falta de assistência”, finaliza o secretário da saúde de Bauru.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Saúde e Esportes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Dia do Desafio, inciativa de combate ao sedentarismo, será realizado em novos moldes este ano

A pandemia do novo coronavírus apresentou um desafio extra aos participantes do Dia do Des…