“Oi isso é sobre o isolamento social” é o título do projeto fotográfico de Matheus Boletti. A ideia do bauruense foi criar uma série para mostrar os sentimentos durante a quarentena com fotografias tiradas dentro da própria casa. Para isso, ele contou com a vizinha, Ana Cláudia Lima (Nina), como modelo.

Segundo o fotógrafo, o processo criativo para o ensaio incluiu um questionário com pessoas para saber o que elas estava sentindo nesse período. Além de vincular a moda ao assunto, o que garantiu ao fotógrafo uma publicação na Vogue Itália.

“Eu não queria mostrar apenas o que eu estava sentindo, mas o que as outras pessoas estavam passando também. O objetivo sempre foi a proposta do isolamento, mas com olhar muito artístico, algo que as pessoas vejam e se sintam tocadas, que elas interpretassem. Além de ser um editorial de moda dentro da proposta”, explica Matheus.

O estudante de Design conta que o interesse pela fotografia surgiu ainda na infância, quando começou sua coleção de máquinas fotográficas antigas. Entretanto, a ideia de trabalhar com a arte aflorou apenas na faculdade. Conversamos com Matheus para saber mais sobre o ensaio e sua carreira, confira:

– Você disse que teve aulas de fotografia na faculdade, certo? Qual curso você faz?

Eu curso Design, comecei a faculdade em 2017, consegui cursar um ano, mas estava difícil para pagar (eu que pagava minha faculdade) e tive que trancar. Mas prestei ENEM e consegui 100% de bolsa pelo ProUni e voltei a estudar no Unisagrado em 2019 e atualmente estou no segundo ano do curso.

Fiz um curso de Photoshop – edição de imagens, continuei estudando e pesquisando por conta própria e o Youtube foi o meu maior aliado (risos). Também aprendi muito quando consegui um estágio de editor de fotos em uma empresa aqui de Bauru.

– O que achou do resultado do “Oi isso é sobre o isolamento social”?

Nessa pandemia eu tenho me desafiado com a fotografia, criando oportunidades dentro de casa, não só com esse projeto, mas com outros trabalhos que surgiu. Estou acostumado com a fotografia externa, a maioria dos meus trabalhos são ao ar livre. Então eu me surpreendi com o resultado, não imaginava, que conseguiria ser tão criativo fotografando dentro da minha casa. As ideias foram fluindo conforme íamos andando pelos cômodos – e também no quintal (risos) – e pensando nos sentimentos que queria transmitir.

– Com foi concretizar sentimentos em fotos?

Não foi fácil, eu sou uma pessoa muito ativa. Minha rotina era cansativa, mas eu amava, tinha dias que saía de casa 8h30 e chegava só 00h. Primeiro partiu de um momento de muita reflexão para entender o que estava acontecendo, aceitar tudo e procurar a melhor forma para lidar, então pensei em reverberar na fotografia.

Também exigiu muito da Nina. Na foto, por exemplo, do celular eu queria transmitir um olhar muito triste e distante. Sabe quando você não tem mais o que ver no celular e continua mexendo pra passar o tédio ou passar as horas? A maior parte disso é mérito da modelo, depois de direcionar na pose ou o que era pra ser feito, eu falava os sentimentos ou que estava pensando na hora e ela traduzia isso pro olhar. Uma vez estudando eu ouvi uma frase “Você não tira uma foto, você cria uma foto”, e nesse trabalho vivemos isso.

– De que forma você conseguiu agregar a moda ao tema?

Através das referências. Eu pesquiso muito, sou muito fuçado, então pensei em tudo, desde maquiagem até styling. Mesclamos roupas minhas com roupas dela e essa ideia de contar uma história através da foto vem muito da fotografia de moda.

– A foto na Vogue Itália já foi publicada?

Sim, já foi: www.vogue.it/en/photovogue/portfolio/?id=198301.

– Para um fotógrafo, qual a importância desse destaque em uma revista como a Vogue?

É o reconhecimento de que você tem um trabalho autêntico e profissional, um olhar diferenciado que merece ser reconhecido. É uma equipe muito experiente que julga o seu trabalho, então eu estou extremamente feliz com isso, foi um sonho realizado.

– Para o futuro na profissão, quais são seus planos?

Pretendo fazer uma especialização em São Paulo e trabalhar no mercado publicitário e de moda. Eu gosto muito de estar conectado com outros profissionais, onde se aprende muito fazendo. Eu já fotografei para algumas marcas e é uma troca maravilhosa, com certeza quero ter minha equipe, ajudar outras pessoas que são muito boas no que fazem também. É o meu objetivo.

Gostou? Então acompanhe o trabalho de Matheus Boletti: @phmatheusboletti.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bauruenses contam o que mais sentem falta de aproveitar na cidade durante a quarentena

Você sente saudade de aproveitar o quê na cidade? Provavelmente alguma resposta vem à tona…