A arte pode surgir dos momentos mais inesperados. Enquanto uma pandemia obriga a maioria a frear o ritmo, outros encontram nos movimentos uma forma de se expressar. E da necessidade de não ficarem parados, dez dançarinos do grupo Slim Concept foram unidos em um vídeo.

A ideia surgiu do bauruense João Marcos Chaves que juntou a vontade de editar vídeos à necessidade artística de dançar. “Comprei uma câmera nova e comecei a estudar edição de vídeo, então queria colocar em prática. Com o isolamento seria complicado e inviável juntar o elenco para gravar. Até que um dia ouvindo a música do vídeo me surgiu a ideia de dividi-la para cada um montar sua parte sozinho e encaixou perfeitamente”, conta o dançarino.

Devido ao distanciamento social, as gravações foram separadas e as coreografias criadas individualmente. Além de João, outros nove artistas participaram do projeto: Roddy Rodrigues, Murilo Sampaio, Luana Souza, Gabriel Paschoal, Julia D’abril, Fabiana Pontes, Guilherme Salina, Laura Ikegami e Manoela Paola.

O resultado foi um vídeo com muito movimento e arte de rua, pois, os grafites da cidade foram incorporados à produção como cenários. “O grafite está muito presente nas ruas de Bauru. E, sendo um dos elementos da cultura hip hop, achei que seria coerente usá-los como cenário. Além de deixar o nosso vídeo muito mais bonito esteticamente, foi uma forma também de divulgar esses artistas de Bauru”, esclarece João.

Confira a performance dos dançarinos:

Por fim, João revela que o vídeo foi uma forma de mostrar que, apesar do momento, a arte não para. Sendo assim, os artistas continuam trabalhando para entreter, inspirar e fazer o público sorrir. “O resultado superou nossas expectativas. A repercussão foi mais que satisfatório e o vídeo tomou boas proporções de divulgação. Ficamos muito felizes e animados para próximas produções. E, já estamos trabalhando nisso!”, diz o criador da ação.

Sobre o Slim Concept

O primeiro projeto como Slim surgiu em Bauru no ano de 2009. Entretanto, foi apenas em 2014 que o grupo concretizou o formato que segue até os dias de hoje. Fundado por Roddy Rodrigues, mais conhecido como “Chorão”, o Slim Concept surgiu com o propósito de estudar, desenvolver e inserir um formato específico de dança.

Hoje, a sede do projeto está na Sigma Escola de Dança e conta com onze bailarinos no elenco principal e oito no grupo de base, o Slim Project. João e Roddy estão à frente do grupo incentivando os integrantes a desenvolverem sua própria pesquisa e encontrarem seus caminhos como dançarinos.

“Buscamos trocar a maior quantidade de informação possível entre nós. Temos dois encontros semanais nos quais eu organizo os treinos e conversamos sobre projetos futuros”, aponta João.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Inscrições para participar de oficinas online gratuitas em gestão cultural e iluminação cênica vão até esta sexta (04)

Trabalhar no meio artístico, especialmente no teatro é algo que, assim como todas as profi…