Ponto cruz, ponto cheio, ponto atrás ou ponto pirulito. Se você sabe do que estamos falando, provavelmente trabalha com a arte ou cresceu com bordados por perto. Essa atividade tradicional por, muitas vezes, nos remete à infância, com toalhinhas e roupas bordadas, mas não está nem um pouco obsoleta. 

Muito pelo contrário. Devido à possibilidade de ser feito em inúmeras superfícies, e ser capaz de traduzir muitos sentimentos, o bordado tem ganhado cada vez mais espaço como um item de decoração. 

Isso tem ocorrido porque, além de dar um toque contemporâneo ao ambiente, a peça também pode ser uma lembrança afetiva feita de forma personalizada. 

Décor carregado de sentimentos 

Foi exatamente por isso que a advogada Mariana Azevedo Torezani optou pelo item em seu novo lar. Recém chegada em Bauru, e também recém-casada, a capixaba viu no bordado a melhor forma de ilustrar o começo de sua história aqui.

“Nós acabamos de nos mudar e nossa casa estava vazia, era como uma tela em branco. Começamos a construir nosso lar do zero, e não tinha nada que nos remetesse à nossa história juntos e nem mesmo às nossas origens lá do interior do Espírito Santo. Então, a escolha do bordado foi justamente para trazer para nossa casa um pedacinho da nossa história”, conta. 

Para isso, escolheu que o bordado ilustrasse seu pedido de casamento, realizado em outubro do ano passado. Além de conter esse momento tão especial, o pedido foi feito em um local que o casal frequentava desde o começo do relacionamento. Por isso, a peça ficou ainda mais significativa

“Exatamente por materializar no bordado parte da nossa história que essa peça é muito mais que decoração. É um objeto que nos passa afeto, traz esses sentimentos bons e especiais, traduzindo nossos laços com nossa cidade de origem também”, pontua Mariana.  

Além de Mariana, a maquiadora bauruense, Jô Araújo, também optou pela peça para completar sua decoração. No seu caso, o pedido envolvia um bordado que traduzisse seu jeito fofo sem deixar de lado sua feminilidade forte. 

“Eu tenho um estilo mais retrô e aprecio demais todos os tipos de arte. Então, quando vi uma amiga próxima começando [a bordar], me senti à vontade para arriscar e pedir um específico para iniciar a decoração de quadrinhos da parede do meu quarto”, relembra sobre a escolha do elemento. 

E logo com a primeira peça teve suas expectativas superadas, tanto que nem titubeou ao encomendar a segunda para representar seu signo. “Tenho até uma tatuagem da constelação! Quando vi que minha amiga estava fazendo uma coleção de bordados com signos, corri pedir o meu! Amo signos e me identifico demais com o meu”, explica. 

Bordado é tendência na arquitetura

De acordo com a arquiteta bauruense, Bruna Prado, o bordado já era utilizado como item decorativo na Inglaterra, durante os séculos XVII e XVIII. A profissional pontua que observou o retorno da tendência em 2017, em uma mostra de arquitetura de interiores, a Casa Cor. 

Assim, Bruna considera que o regresso do bordado como parte da decoração ocorreu porque o artesanato, de forma geral, traz significados, memórias e histórias. Esses são itens peculiares na criação da identidade do ambiente decorado de acordo com a personalidade do cliente. 

“A utilização desses tipos de peças para decoração, bem como souvenirs de viagens ou peças que foram presente de alguém importante ou, ainda, heranças de família possibilitam uma decoração com memória afetiva. As pessoas buscam aconchego por meio dos objetos que fazem parte do seu dia a dia, para relembrar de suas histórias e ter sensação de pertencimento naquele espaço”, afirma a arquiteta. 

No entanto, ela pontua que para a construção de um ambiente com bordados é necessário ter atenção ao contexto das cores, texturas, tecidos, objetos, tapetes e mobiliário do ambiente. Dessa forma, o bordado consegue ficar em harmonia com toda a decoração. 

Portanto, para quem deseja utilizar essa peça para decorar a casa, Bruna recomenda: 

“Aproveite essa época que estamos mais tempo dentro de casa e tire do armário aquelas caixas de recordações, souvenirs, fotos, coleções e comece a compor as peças. Coloque para ser visto tudo aquilo que conta sua história como pessoa. Fotos mais significativas podem virar bordados de silhuetas lindos, o tema da sua coleção também, se você é do tipo mais astrológico, também existem bordados de signos. Aposto que com essa caixa de memórias na mão, não vai faltar tema para um bordado compor sua decoração. Divirta-se!”, sugere

Herança afetiva

Além de quem se apaixonou pelo bordado na decoração, muitas pessoas também têm se aventurado na construção de suas próprias peças. Foi assim, que Juliana Oba, jornalista de formação, começou o Obastidor

O projeto pessoal de bordados se iniciou neste ano, no entanto, a relação com a arte já é antiga. “Eu sempre tive contato com o bordado desde criança, porque minha mãe bordava minhas toalhinhas para levar para a escola com meu nome”, relembra. 

Apesar disso, foi apenas na faculdade que considerou essa forma de artesanato, que viria a ser uma ocupação durante a quarentena. Após publicar em sua página pessoal no Instagram o resultado de seu primeiro bordado, recebeu diversos elogios e até encomendas. 

“Algumas amigas começaram a perguntar se eu fazia pra vender, e no começo eu não vendia, apenas pedia ajuda com o valor do material. Porém, o número de pedidos foi aumentando e pessoas que eu nem conhecia começaram a me pedir, foi quando tive a ideia de fazer um Instagram só para isso”, comenta.

Desde então, ela já realizou mais de 30 bordados diferentes, inclusive em um tênis e um marcador de páginas. Sobre o que mais gosta nessa forma de arte, Juliana é pontual: a possibilidade de personalizar a peça. 

“Você é livre pra colocar ali o que você gosta e representar o que te faz bem, já que é algo que você vai estar sempre olhando. Então, pode ser algo que remeta a boas lembranças ou traga sentimentos felizes. Eu sempre falo que é um objeto afetivo por conta disso mesmo, você pode colocar ali algo que só você entenda, que só representa algo pra você, faz sentido pra você”, finaliza.

Consultoria 

Arquiteta Bruna Prado: CAU – A175408-4

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Black Friday segura: dicas para fazer compras online sem cair em pegadinhas

Está chegando o dia cheio de descontos que todo consumidor ama: a famosa Black Friday irá …