Dizem, mas não provam, que a roupa original do Papai Noel era azul e quando lhe  deram a missão de ir a Bauru, uma grande cidade do interior de São Paulo, avisaram-no de que ele teria que viajar com outra vestimenta.

Pasmado, o bom velhinho perguntou a seus assessores e leitores de cartas e selecionadores de renas e trenós por que não poderia ir com seu tradicional traje cor do céu. Todos, uníssonos, disseram-lhe que o azul era a cor do Marília Atlético Clube, equipe de embates e combates futebolísticos com o maior time da cidade Sem Limites, o Esporte Clube Noroeste !

O originário ancião de São Nicolau ficou a pensar em como ele ficaria todo de vermelho, chamá-lo-iam de comunista, de partidário da Estrela Vermelha, mas quando lhe contaram que vivia em Bauru outro bom velhinho torcedor do Norusca e gente boa, um tal e único, Luciano dias Pires, Papai Noel resignou-se e entusiasmou-se!

Seus asseclas começaram a planejar a roupa que homenagearia Bauru e seu mais famoso time, o Norusca! No entanto, antes, começaram a ler as cartas oriundas da cidade de Edson Celulari, ator famoso, cria de Paulo Neves!

A leitura das cartinhas começou a preocupar a equipe do bonachão velhinho, a primeira era de uma mulher que pedia água em seu bairro, ela queria tomar banho, sentia-se suja diante da sujeira de muitos governantes! Pedia que o Batalha voltasse a transbordar, pois o rio de Janeiro a Janeiro não continuava lindo!

Mais uma carta, essa pedia que houvesse mais atos culturais em Bauru, mais música, mais Circo dos Objetos de Marisa Basso, mais peças de Thiago e Talita Neves, mais Teatrin do SESC! Outra carta falava do desejo de mais música, mais shows com Os Últimos Escolhidos do Futebol, com Preto Básico, com Cardápio Brasileiro, com Gaby
Guimarães, com Lucalli e Sinuhe LP.

Papai Noel já estava acostumado a tantos pedidos, mas estranhava não serem brinquedos, fantasias, e sim desejos que não saíram do papel por culpa de quem não os leu em décadas passadas! Um dos seus ajudantes leu mais uma carta, essa falava de esporte, que houvesse mais projetos elaborados na cidade. Mais competições nos bairros.
Mais bolsas para estudos para os atletas!

Cada vez mais o homem das longas barbas brancas queria conhecer a Terra do Sanduíche! Outra carta, um pedido que sensibilizou o Bom Velhinho, a abertura permanente do Hospital das Clínicas, agora uma cartinha com mal traçadas linhas pede que não haja mais pessoas na rua em estado de fome ou desamparo!

Papai Noel estava ficando cansado, mas pediu à sua trupe que lesse mais uma carta vinda de Bauru, essa dizia que queria de presente uma prefeita perfeita, que resolvesse todos os problemas da cidade, que governasse, amando a cidade mais do que a si mesma, que dissesse não aos erros e sim às urgências! Essa missiva terminou com um P.S (
Post Scriptum) “Meu caro Papai Noel o que mais quero é que não exista nunca mais racismo!”

O incrível é que a maioria das cartas era anônima, talvez como se sentissem seus remetentes, ninguém diante de todos! O Bom Velhinho separou sua nova roupa vermelha Noroeste, seu trenó último tipo , alimentou as renas e agendou no GPS, destino : Bauru!

Papai Noel , a qualquer momento em uma Bauru perto de você! Professor Sinuhe , colocando os sapatinhos na janela na esperança de novas portas!

Confira mais textos do colunista: www.socialbauru.com.br/author/professor-sinuhe.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Professor Sinuhe
  • Vida e viagem seguem as mesmas regras

    Há mais de um ano podemos dizer que vivemos “um novo normal”. O distanciamento…
  • Em nome da pedra

    Navegar foi preciso para o meu aprendizado conquistar porto seguro. No histórico Ciclo das…
  • A Cesar o que é de Cesar

    O ano de 2021 é particularmente especial para Bauru, apesar da pandemia. Mas, como devemos…
Carregar mais em Colunistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Vida e viagem seguem as mesmas regras

Há mais de um ano podemos dizer que vivemos “um novo normal”. O distanciamento…