Naturalmente, o período de vestibulares é responsável por deixar os alunos um tanto aflitos. Porém, em um ano de pandemia, as preocupações podem se agravar, ainda mais com as mudanças de datas

Apesar do formato do ENEM permanecer o mesmo, agora, as provas impressas serão aplicadas nos dias 17 e 24 de janeiro de 2021. Ainda, a opção da versão digital será realizada entre os dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro.

Também haverá a possibilidade de reaplicação da prova, entre os dias 24 e 25 de fevereiro. Essa opção será possível para pessoas afetadas por eventuais problemas de estrutura ou que tenham sido diagnosticadas com Covid.

Essas últimas deverão anexar o laudo médico informando a condição de saúde na Página do Participante

Como forma de elucidar todas as novidades, conversamos com especialistas que tiram dúvidas sobre como se preparar para a prova que será tão atípica neste ano! Confira a seguir. 

De olho nos detalhes 

A prova, tradicionalmente extensa, tem dois dias de duração, com 180 questões a serem resolvidas no total. Portanto, a dica da professora Maria Ester Cacchi, fundadora do cursinho ZEC Vestibulares, é atenção redobrada aos detalhes! 

“ENEM é uma prova de leitura e, por incrível que pareça, de resistência física, pois costuma ser longa e cansativa. Dessa forma, ler cada alternativa com atenção, faz toda diferença. O mesmo vale para a redação. Inclusive para entender o tema proposto e adequá-lo às cinco competências analisadas”, destaca.  

Dicas para se acalmar 

Ainda, o docente e coordenador no UNISAGRADO, que atua no Ensino Médio há oito anos, Thiago Pignatti de Freitas, pontua que por conta dos imprevistos do ano, é normal sentir-se tenso, porém, é necessário foco. 

“É preciso, antes de mais nada, entender que vivemos um ano atípico e que tudo isso logo logo vai passar! E que não podemos ficar parados, esperando passar, para vivermos o nosso momento!”, acrescenta. 

Portanto, em momentos de tensão, o especialista recomenda:

  • Diminuir a cobrança em relação a si mesmo e dar passos de estudo diante daquilo que são suas possibilidades. Desafiar-se! Mas, também, respeitar-se;
  • Participar de revisões, momentos em que relembrem alguns conceitos já estudados anteriormente;
  • Ter a presença da família e/ou amigos ajuda muito. Saber que podemos contar com as pessoas e que elas permanecem conosco não pelo o que oferecemos, mas por quem somos; 
  • Às pessoas que possuem uma religião, um contato com isso ajuda muito a manter o foco e a esperança;
  • Fazer atividades físicas, praticar algum hobby, dar um volta para aliviar a tensão;
  • Além do mais, a prática do mindfulness (atenção plena) ajuda bastante. Prestando atenção ao que está vivendo no momento conectará ação e pensamento, aumentando seu foco.

Antes da prova

Nas semanas que antecedem a prova, pode ser difícil tentar conter a ansiedade. Porém, Maria Ester pontua que é importante não se desesperar em relação ao conteúdo aprendido até o momento. 

“Tentar fazer neste último mês o que não foi feito durante o ano todo apenas desgasta e não melhora o rendimento”, ressalta

Além disso, hábitos saudáveis – não só antes da prova – também são essenciais. Thiago destaca que a criação de uma rotina, especialmente com o horário de dormir, para que consiga descansar realmente, é uma grande aliada. 

“Quanto mais mantiver uma vida de equilíbrio, prestando atenção às necessidades de seu corpo, melhor será”, acrescenta

Ainda, separar a documentação, acordar e estar pronto com antecedência também podem ajudar a tranquilizar os vestibulandos. 

Cuidados na hora H

Com cinco horas disponíveis para responder as questões, Thiago indica a importância de hidratar-se e levar lanches que deem energia. Além disso, é necessário estar atento ao tempo durante a prova, levando em consideração o preenchimento do gabarito. 

Também é importante ressaltar que ainda vivemos uma pandemia. Portanto, o uso de máscara é obrigatório do começo ao fim do exame – caso se recuse, o candidato poderá ser eliminado. 

Ainda, a previsão é que haja apenas 50% de ocupação das salas para evitar a propagação do coronavírus, e salas especiais para os grupos de risco. O Inep também disponibilizará álcool em gel nos locais de provas.

Por fim, Maria Ester faz um balanço da prova mais importante do país: “Fica o desejo de que a educação seja mais que uma prova, impressa ou digital. Em tempos de pandemia, entendemos o quanto os professores estão dispostos a se reinventar. Que isso traga uma reflexão em nossa sociedade para além de resultados rankeados no ENEM”, finaliza Maria Ester.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Paula Borim
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Equipe de Aerodesign da Unesp-Bauru chega ao pódio em competição nacional

A equipe Canarinho Aerodesign, da Unesp-Bauru, foi criada em 2001 com o objetivo de planej…