Na próxima sexta-feira, dia 8 de janeiro, estreia o curta-metragem produzido pela Embraer ‘O voo do impossível’.

A produção tem como objetivo comemorar o aniversário do engenheiro bauruense Ozires Silva, um dos maiores ícones da indústria aeronáutica brasileira, que completará 90 anos de vida na data de exibição.

Com duração de 14 minutos, a animação retrata a trajetória de vida de Ozires desde a infância, ao lado de seu inseparável amigo Zico, até a carreira de oficial da aeronáutica, quando viu o sonho de poder fabricar aviões se tornar realidade.

A animação 3D unida com conceitos de cinema clássico na estética do audiovisual foram a forma escolhida para contar esta história real com uma abordagem divertida e atraente.

Desse modo, o curta mostra personagens e cenários modelados com texturas e cores pesquisadas e capturadas de registros da época, criando uma atmosfera realista e humanizada.

‘O voo do impossível’ será exibido nas mídias sociais e canais oficiais da Embraer. A veiculação conta com a parceria do Canal “Aviões e Músicas”, com Lito Sousa.

Além disso, a direção técnica fica sob a responsabilidade do jornalista Claudio Lucchesi, autor do livro “Voo do Impossível”, que conta a história do avião Bandeirante.

O sonho de produzir aviões no Brasil

No início da década de 1940, Ozires e Zico se reuniam em um banco de praça, na cidade de Bauru, para conversar sobre aviação e tentavam entender por que o país de Santos-Dumont não produzia seus próprios aviões.

Para reverter essa situação, os dois planejaram estudar para se tornarem primeiro pilotos e depois procurar uma escola de engenharia aeronáutica.

Quem é Ozires Silva?

Ozires Silva nasceu em 8 de janeiro de 1931, em Bauru, interior de São Paulo. Em 1948 entrou para a escola preparatória da Força Aérea Brasileira (FAB), no Rio de Janeiro, onde recebeu sua licença de piloto militar quatro anos depois.

Posteriormente, mudou-se para São José dos Campos para ingressar no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) em 1959 e graduou-se em Engenharia Aeronáutica em 1962. Depois disso, passou a liderar o Departamento de Aeronaves do então Centro Técnico de Aeronáutica (CTA).

Em 1965 iniciou o projeto IPD-6504, que se tornaria depois o avião Bandeirante. Ozires Silva também foi responsável, ao lado de um grupo de visionários, pela criação da Embraer em 1969 e foi diretor-superintendente da companhia até 1986, quando aceitou a ser presidente da Petrobras.

Após dois anos como Ministro da Infraestrutura e Comunicações do governo Collor, Ozires Silva retornou para a Embraer em 1992 e presidiu a companhia até sua privatização em dezembro de 1994.

Ozires Silva assumiu a presidência da Varig em 2000, permanecendo no cargo por dois anos. Em 2003, criou a Pele Nova Biotecnologia, cuja missão estava focada no desenvolvimento de inovações terapêuticas e dermocosméticas a partir da biodiversidade do Brasil.

Nas últimas décadas, Ozires se tornou uma voz ativa no país em prol da educação, escrevendo diversos livros e artigos sobre o tema. É hoje presidente do Conselho de Inovação da Ânima Educação, em São Paulo.

Sinopse – O voo do impossível

A história de vida de um menino que sonhava fabricar aviões no Brasil na década de 1940 é o fio condutor desse curta-metragem com duração de 14 minutos. Baseado em fatos reais, a animação revela detalhes da vida do engenheiro Ozires Silva, o oficial da aeronáutica que dedicou sua vida a um ideal de infância e liderou a criação da Embraer, um dos maiores fabricantes de aeronaves do mundo.

No filme são relatadas a cumplicidade de uma amizade; a surpresa ao saber que o Brasil teria uma escola de engenharia aeronáutica; e o papel de um francês que o ajudou a idealizar a máquina voadora mais adequada para levar o desenvolvimento às regiões mais remotas.

Repleto de mensagens sobre ousadia, perseverança e entusiasmo, a produção em computação gráfica 3D envolve o público de todas as idades pela narrativa lúdica de que sempre vale a pena perseguir os nossos sonhos.

Curta-metragem: O voo do impossível
Gênero: Animação
Direção: João Marcos Massote
Roteiro: João Marcos Massote, Bruno D’Angelo e Isa Siano
Produção executiva: Bruno Mask / Mono animação e Bruno D’Angelo / WIP
Direção de animação: Eduardo Nakamura
Diretor técnico-histórico: Claudio Lucchesi
Estreia: 8 de janeiro nas mídias sociais e canais oficiais da Embraer

Fonte: Paulo Paes

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Caligraffiti: conheça a arte que está preenchendo os muros de Bauru

Mesmo que você nunca tenha ouvido falar sobre caligraffiti, provavelmente já deve ter vist…