A bauruense Helena Ferreira Carreira, graduanda em Licenciatura em Física pela Unesp-Bauru, participou ano passado de uma palestra em que foi explicado o funcionamento do International Astronomic Search Collaboration (IASC), um programa coordenado pela NASA.

O IASC, um dos projetos de ciência cidadã da agência espacial estadunidense, propicia a colaboração internacional entre cientistas e voluntários interessados em Astronomia.

Qualquer pessoa pode fazer parte dos programas! Eles oferecem todo o tipo de apoio e instruções para que até quem não tem base em Astronomia consiga participar. Ao meu ver isso incentiva demais as pessoas que têm interesse, mas não sabem nem por onde começar”, conta a bauruense.

Desse modo, empolgada com a ideia de participar da iniciativa, Helena criou o grupo Astroscopy como projeto de iniciação científica aqui na Unesp de Bauru.

Assim, com o objetivo de fazer descobertas científicas para a NASA, foram selecionados, para o grupo, alunos de ensino médio de diferentes escolas interessados em Astronomia.

Descobrindo novos asteroides

Com a orientação do Prof. Dr. Rodolfo Langhi, coordenador do Observatório de Astronomia da Unesp, a graduanda inscreveu o grupo para receber imagens telescópicas para análise.

Depois do treinamento e orientação de Helena, os alunos passaram a utilizar um software para analisar as imagens do telescópio Pan-STARRS, equipamento com quase 2 metros de diâmetro, localizado no alto de um vulcão inativo no Hawai.

A partir dessas imagens, duas alunas do grupo, Micaele Gomes e Laura dos Santos Dias, descobriram asteroides que nunca haviam sido identificados, nomeados temporariamente como P11bEV1 e P11bNcu.

Colocados na lista de descobertas do IASC, os asteroides serão analisados por astrônomos profissionais, que calcularão com precisão sua órbita. Posteriormente, serão catalogados pelo Minor Planet Center (Harvard) e receberão os nomes escolhidos pelas alunas que os descobriram.

Importância do incentivo na ciência

Tanto Laura como Micaele estudam em escolas estaduais, uma em São Paulo e a outra em São José dos Campos.
Mesmo estando em lugares diferentes, as alunas tiveram sua paixão pela Astronomia incentivada pelo grupo criado por Helena.

Isso demonstra a importância do incentivo da ciência na vida de jovens estudantes, que muitas vezes gostam do assunto mas não sabem por onde começar.

Grupos assim são importantes para os alunos que gostam, irem se envolvendo cada vez mais cedo com essa ciência. Vemos que tem muita gente que gosta do assunto (principalmente adolescentes), mas não são incentivados, nem pelos pais e, muitas vezes, nem pelos professores. Então, eles também não vão atrás, porque não sabem como. Essa é a diferença que eu quero fazer. Tornar mais acessível esses tipos de projetos, levar cada vez mais a astronomia para o público”, explica Helena.

Como resultado desse estímulo, as alunas do ensino médio já tem uma série de planos para o futuro.

Laura pretende se especializar em Astronomia e realizar um intercâmbio para aprofundar seu conhecimento. E Micaele planeja continuar incentivando meninas a ingressarem na ciência dando aulas de Astronomia em um projeto social e seguindo na pesquisa científica na carreira de astrofísica e engenheira aeroespacial.


Laura Dias e Micaele Gomes, respectivamente. Foto: Arquivo pessoal
Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Anne Hernandes
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bauruense participa de quadro “The Wall” no Caldeirão do Huck que vai ao ar neste sábado (27)

Conhecido como “The Wall“, o quadro do programa Caldeirão do Huck, da TV Globo…