Foto, vídeo, stories, reunião online! Nos últimos tempos estamos a todo momento lidando com a nossa imagem estampada para os outros e para nós mesmos. Com frequência observamos mais os nossos próprios detalhes e as críticas começam a aparecer, afinal o que já gostávamos continua ali, mas o que não era tão apreciado parece ganhar um valor ainda maior e que precisa ser alterado.

Uma das partes que mais ganhou visibilidade foi o nariz e com ela a rinoplastia, que é a cirurgia plástica nasal. O médico otorrinolaringologista Dr. Cristiano Tonello, acredita que as pessoas estão tendo mais tempo para reparar no próprio corpo durante a pandemia e as reuniões de vídeo têm feito com que elas observem o que as incomoda, ainda mais o nariz que é tão evidente.

Cada vez mais as pessoas fazem selfie a todo momento, elas se veem nas redes sociais, se fotografam, e isso de certa forma começa a gerar algum incômodo. Ou o que já existia e era pequeno passa a ser maior pela exposição”, pontua.

A maior parte das pessoas que procuram a rinoplastia é pela estética, mas o especialista em cirurgia da face relata que é impossível para um profissional fazer um nariz bonito, sem pensar em um nariz funcional.

“Quando nós realizamos uma cirurgia de nariz nós queremos que ele fique bonito, mas também que ele funcione bem, porque a causa de obstrução nasal de pessoas que respiram mal é muito grande. Ter um nariz que respire bem, mas que ao mesmo fique harmonioso com a face é o ponto mais importante. As pessoas ficam muito satisfeitas com o resultado”, conta.

Expectativas

A intenção da cirurgia plástica nasal é que as pessoas vejam um nariz harmônico com a face e por consequência achem bonito, mas que elas não percebam que seja resultado de cirurgia. A ideia é que seja algo natural.

A rinoplastia perfeita é aquela em que o cirurgião entende a expectativa do paciente. É juntar a expectativa do paciente com o resultado que o especialista pode oferecer para existir o real, o que realmente vai acontecer”, esclarece.

O otorrinolaringologista conta que, muitas vezes, pacientes levam seus desejos até o consultório como fotos de pessoas com o nariz que acham bonito, mas nem sempre é compatível com o seu rosto e ele alerta que aquele nariz é bonito naquela face.

“A rinoplastia não é um procedimento trivial, ela altera uma estrutura que nos dá identidade. Exige uma avaliação da expectativa e análise facial do paciente. As influências étnicas e genéticas também devem ser consideradas”.

Já outros pacientes relatam o medo de perder a identidade ou mudar demais o rosto. E isso é um dos cuidados que o médico precisa ter. “Os pacientes ainda falam ‘Eu não quero o nariz do Michael Jackson’. Porque se estigmatizou muito o nariz como algo que você padroniza e que alguém te vê e sabe que você fez a cirurgia. Por isso a rinoplastia perfeita é que o paciente fica satisfeito com o resultado que ele estava esperando”, conclui.

A rinoplastia é mais comum entre mulheres de 20 a 40 anos, mas mesmo assim o público tem cada vez mais se diversificado. Por isso é preciso avaliar a saúde de acordo com a idade do paciente. Se for adolescente, é preciso avaliar se a face já concluiu o crescimento, o que acontece entre 16 e 18 anos. Já nos idosos, cabe à saúde “deixar” que o paciente possa se submeter a uma cirurgia.

Pré e pós-operatório

Antes de chegar até a mesa de cirurgia, são feitos vários exames prévios como: avaliação da função nasal, exame físico do paciente, exames para detectar hipertensão ou outras alterações que possam justificar um cuidado maior do que todos que já são tomados.

“Com alguma frequência fazemos uma tomografia da face para avaliar melhor a estrutura interna do nariz, endoscopia nasal, eletrocardiograma, exames de sangue, avaliação do médico anestesiologista. Isso é uma cirurgia eletiva, que pode ser a qualquer momento, não tem porque descobrir uma arritmia no momento da cirurgia. Por isso, é cada vez mais raro ter intercorrências em cirurgias como essas, porque existe uma avaliação”, explica o médico.

O especialista também esclarece que quando há alterações de função no nariz como o desvio de septo ou aumento das conchas nasais, esse procedimento é realizado ao mesmo tempo em que a rinoplastia.

O processo é controlado porque o paciente passa por uma avaliação médica com um cirurgião que vai indicar quais são os riscos, quais as limitações das técnicas e o que é melhor em cada caso. Seja a rinoplastia estruturada, em que a estrutura nasal é toda refeita, e que às vezes é necessário o uso de enxertos, ou a rinoplastia preservadora, em que se tenta preservar o máximo da estrutura nasal.

O médico adverte que é comum a região do nariz e dos olhos ficarem roxos nos primeiros dias após a cirurgia, porque a face é uma das regiões mais vascularizadas do corpo. “Nós temos muitas estruturas nobres na face. Por isso somos muito cuidadosos com o pós-operatório e é necessário repouso de 7 a 10 dias”, relata.

O inchaço e os hematomas são transitórios, mas são necessários cuidados como não praticar atividades físicas ou fazer esforço por um mês. Além disso, é necessário um ano para o nariz ficar completamente cicatrizado. “O inchaço por completo demora um ano para passar, mas nos primeiros dois meses 90% do inchaço já diminuiu”, aponta o médico.

Cirurgia facial

A rinoplastia é uma cirurgia de detalhe, por isso exige um especialista como otorrinolaringologistas ou cirurgiões plásticos. Na maioria dos casos, a busca pelo procedimento é por estética, mas há pacientes que precisam do procedimento após um trauma causado por um acidente, queda, fratura ou situações congênitas.

Há 10 anos como especialista em cirurgias da face, Dr. Cristiano Tonello tem experiência em diferentes tipos de procedimentos cirúrgicos como reconstruções nasais, otoplastia (estética e reconstrutora da orelha), cirurgia reconstrutora de face em pacientes com fissura labiopalatina. Inclusive, um dos casos que ficou famoso na região foi a operação do menino Gabriel Elias, portador da Síndrome de Treacher Collins, que ficou conhecido como a síndrome relatada no filme Extraordinário.

“Eu trabalho no Centrinho há 10 anos, já fiz várias cirurgias de face e isso me dá credibilidade para operar o nariz. No caso do Gabriel, ele tem um tipo de síndrome bem específica, que precisava de cirurgias no lábio, na pálpebra e na mandíbula. Foram várias cirurgias. O que eu fico feliz é que ele é um menino totalmente reabilitado, perdeu totalmente os estigmas da síndrome. Tinha a face inteira comprometida e ele está ótimo”, comemora.

publieditorial

Serviço
Dr Cristiano Tonello (CRM 140.858)
Formação: Especialista no tratamento funcional e estético da face. Experiência em rinoplastia, fissuras labiopalatinas, síndromes craniofaciais e distúrbios respiratórios.
Clínica: IOB – Instituto de Olhos e Otorrino de Bauru
Endereço: Rua Rio Branco, 27-27, Jardim Paulista
Telefone: (14) 3104-2727 / (14) 99852-2727
Facebook: Dr Cristiano Tonello 
Instagram: @drcristianotonello 
Site: www.cristianotonello.com.br

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Renata Marconi
Carregar mais em Geral

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

No Dia da Biblioteca, saiba a importância dos acervos de Bauru

O que nos vem à mente quando pensamos em uma biblioteca? Um espaço cheio de livros. Para a…