Estamos em constante contato com a fotografia, principalmente agora com as redes sociais. Com a vasta quantidade de imagens passando por nossos olhares, muitas deixaram de chamar tanta atenção. No entanto, as fotos ainda são um tipo de arte com linguagem universal.

No momento da pandemia, a fotografia tem se destacado como importante ferramenta de conexão. É por meio dela que a ONG ImageMagica aproxima as pessoas dentro do ambiente hospitalar. Com um celular em mãos, os educadores do projeto convidam os colaboradores do hospital para serem fotografados sem os equipamentos.

O registro dos sorrisos, escondidos pelas máscaras, são impressos em um grande crachá, que também inclui informações pessoais e uma mensagem positiva. Dessa maneira, os pacientes identificam seus cuidadores por trás de todo o aparato de proteção, e o processo se torna mais humano. Além disso, os crachás são plastificados para serem higienizados individualmente.

Sorrisos no Hospital Estadual

Entre os 18 mil profissionais de saúde que já participaram do projeto, estão os do Hospital Estadual de Bauru. O projeto “Conexões do Cuidar” foi realizado entre os dias 17 e 28 de maio com o apoio da Rede Confiança Supermercados.

Para o enfermeiro assistente da UTI Covid, Jefferson Barela, que trabalha no HE há 18 anos, o projeto só traz recompensas. É muito satisfatório, nessa fase de pandemia, poder dar apoio ao paciente. Essa ação é importante porque conseguimos transmitir para o paciente aquele conforto e esperança, de que ele tem uma chance de sair com uma boa sobrevida daqui”, aponta.

Jefferson ainda revela a sensação ao ser fotografado pela ONG: “Eu achei maravilhoso, porque além de ser um trabalho legal, é uma valorização do profissional. Muitas vezes nós ficamos trancados dentro dessa UTI e ninguém sabe que estamos por aqui. E lembrar da gente nesse momento é muito satisfatório pra nós, é muito recompensador.”

Momentos marcantes em Bauru

A chegada do projeto no Hospital Estadual de Bauru trouxe benefícios para a equipe de saúde como um todo. Isso porque esses momentos promovem conversas e trocas de experiências, desde o preparo para a foto até a escolha da frase que vai no crachá.

“Isso já gera uma interação, um contato mais próximo, um momento do desabafo e troca de vivências entre eles. Além da foto já produzida, que traz o benefício ao paciente em poder ver o rosto desse profissional e diferenciar, por meio da fisionomia, cada um dos profissionais de quem ele está recebendo os cuidados”, esclarece Beatriz Hoffmann, educadora da ONG.

Sobretudo, durante os dias em que esteve em Bauru, Beatriz destaca que vivenciou diversos momentos marcantes. “Uma vez fomos fazer as fotos e uma profissional viu a outra colega de longe. Ela disse que era a primeira vez que estava vendo o rosto dessa colega, que foi contratada durante a pandemia. Portanto ela sempre usou máscara e nunca tinha tido a oportunidade de ver o rosto da colega”, relembra.

ONG ImageMagica

Fundada pelo fotógrafo e empreendedor social André François, a ImageMagica tem como missão promover o desenvolvimento humano por meio da fotografia. Com a convicção de que a transformação começa pelo olhar, a ONG desenvolve ações nas áreas de educação, saúde e cultura.

Dessa forma, estimula as pessoas a refletirem sobre o seu entorno e, assim, transformarem a si próprias e o ambiente onde vivem. Desde 1995, já foram mais de 400 mil olhares transformados com projetos realizados em 19 países. Saiba mais em: imm.ong.

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Juliana Oba
Carregar mais em Comportamento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Escola de Bauru abre inscrições para ‘Curso de Youtuber’ para as crianças durante as férias

Pergunte a uma criança qual profissão ela quer seguir no futuro. Existe uma boa chance da …