“Um cara dedicado à educação como poucos, apaixonado por sua profissão e que promoveu muitos alunos”. Essa é uma breve descrição dada pelo diretor Mamede Ghadban. Ele se refere a Adevaldo Colonize, professor de matemática responsável pela criação da Rede ADV.


Professor Adevaldo Colonize, fundador do Colégio ADV (Foto: Arquivo pessoal)

Adevaldo era tão apaixonado por ensinar que chegou a dar aulas gratuitamente para aprofundar suas matérias. Há cerca de 15 anos, ele sublocou o período noturno do colégio onde lecionava em Jaú para fazer um cursinho. Ali nascia a primeira unidade do ADV.

“Ele tinha um ideal muito forte. Ninguém brincava na escola dele; nem professor, nem aluno. Ele impôs um ritmo diferente para uma região que ainda não tinha esse ritmo, e também trouxe o material Poliedro que na época era uma surpresa”, comenta Mamede.

Depois de Jaú, Adevaldo abriu mais unidades da escola em Barra Bonita e Botucatu. Há cinco anos, surgiu a caçula da rede – a unidade de Bauru. Atualmente, são nove escolas presentes nas quatro cidades.

Em 2017, no meio da realização do seu sonho, Adevaldo teve a vida interrompida de forma precoce e cruel. Como não tinha filhos, seus irmãos e sobrinhos assumiram a responsabilidade de dar continuidade ao seu projeto.

Mamede conta que conheceu Adevaldo antes da abertura da Rede ADV, quando ambos trabalhavam em Garça. No fim de 2019, o diretor fez sua entrevista na escola de Bauru, onde pretendia voltar a trabalhar como professor de história.

“De início, eu não aceitei [o cargo de diretor]. Queria voltar para a minha história, para a minha sala e para os meus alunos”, lembra. Após um tempo de negociação com Igor Colonize Agone, o mantenedor da rede, e José Norberto Basso Júnior, diretor geral, Mamede assumiu a unidade, com o compromisso de abertura do ensino médio.

Aulas online/híbridas

Após alguns meses, a pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil. Mesmo diante das incertezas que o momento propiciou, o diretor destaca a qualidade das plataformas utilizadas para o ensino online.

“Eu costumo falar de sorte e competência. Não vamos dispensar a sorte, todo mundo foi pego de surpresa. Mas naquele momento nós unimos a plataforma do Poliedro com a plataforma Explica Mais e criamos um formato online que foi muito coerente, explica Mamede.

Os portais Edros e Explica Mais já existiam antes da pandemia e auxiliavam os alunos no andamento dos estudos. Com a necessidade das aulas online, o diretor destaca a melhora constante das plataformas. “Eles estão oferecendo um serviço cada vez melhor”, comenta.

Além disso, ele também fala sobre o aproveitamento dos alunos no ensino online. “Eles estão todos lá, frequentam muito e de forma adequada. Nós temos até plantões online/híbrido”.

Sala de aula em casa

Para melhorar ainda mais a qualidade das aulas virtuais, o ADV Bauru investiu em tecnologias que permitissem o melhor contato entre professores e alunos. Um dos exemplos é a câmera Poly, que capta os sons e os movimentos dos professores e os deixa livres para dar aula como se todos os alunos estivessem presentes.

“Nossa lousa tem nove metros. Se eu estou aqui no canto falando, eu não preciso regular a câmera – ela me acha. Ela vai andando comigo, e enquanto eu falo ela vai me captando. É realmente uma sala de aula transferida para casa”, explica Mamede.

Escola de Valores

Mesmo diante de um cenário atípico como a pandemia, o historiador também fala sobre acreditar nos valores do colégio.

“Eu penso na assertividade da juventude, de continuar lutando e estudando. Nessa rede, a situação vai além. Não é uma escola que só oferece conhecimento para passar no vestibular. O conhecimento vem aliado à cidadania”, diz.

Mamede destaca que, mesmo diante das questões financeiras e pedagógicas que surgiram com a pandemia, a escola sempre está ao lado dos alunos e professores. “Os mantenedores e a administração não deixaram nada para trás, e isso gerou uma confiança muito grande do público”, comenta.

O diretor destaca, também, a preocupação com a formação social dos alunos, dentro e fora das salas de aula. “A escola é uma instituição social. Não adianta colocar os alunos nas melhores universidades se eles não têm valores universais. São valores que vêm de casa e são mantidos e trabalhados na nossa unidade”, explica.

Há algumas semanas, Mamede comenta que o ADV realizou uma campanha de arrecadação de alimentos, e que esse é o tipo de ação que ele sempre busca trazer para a instituição. Foram arrecadados 120 kg de alimentos em uma semana. “Mostramos para o aluno que ele é um elemento transformador, ele é um agente social”, comenta.

Assim como o juramento de Hipócrates, dito pelos formandos do curso de Medicina, no ADV,  o diretor explica a brincadeira em que os futuros médicos egressos da instituição fazem o “juramento de ADV” quando entram na faculdade.

“Aqui, a gente brinca que eles fazem o Juramento de ADV, onde dizem que vão dedicar pelo menos uma parte do seu tempo para cuidar dos mais pobres e mais carentes quando se formarem”, explica.

Aprovado em Medicina no vestibular da UFPR (Universidade Federal do Paraná), o aluno Guilherme Said surpreendeu o diretor ao ser parabenizado. Em uma conversa ao telefone, Guilherme disse: “Eu tenho levado uma vida de privilégios desde que nasci, nunca me faltou nada. Eu só quero fazer medicina para cuidar de pessoas necessitadas”.

Material Poliedro

Mamede também destaca a pontualidade da equipe ADV com o calendário de conteúdos. Durante o ano, os alunos têm quatro apostilas e duas revisões para os vestibulares, além dos simulados e outras atividades pedagógicas.

“A aula é dada, a apostila é cumprida, as duas revisões são feitas. A gente é reloginho mesmo, não tem nenhum professor atrasado”, comenta.

Além das apostilas, o material online também é um aliado muito importante dos vestibulandos. O Sistema Poliedro oferece para os alunos a oportunidade de montar um roteiro de estudos personalizado que leva em consideração o tempo disponível para revisão e o resultado dos simulados.

“Se você tem 10 horas disponíveis na semana para estudar, ele vai juntar isso com o seu resultado do simulado. Por exemplo, 1h15 de Matemática, 45 min de Literatura, 35 min de Filosofia… o sistema equaliza. No próximo simulado, ele modifica seu roteiro”, explica.

Nos simulados do portal, os alunos podem ter acesso à resolução comentada das questões erradas, com um distrator. O sistema indica o ponto de defasagem e leva o vestibulando direto para a página da apostila/material onde estão as informações corretas.

Na plataforma, os estudantes também podem filtrar questões de vestibulares específicos, de universidades públicas ou privadas, de acordo com sua preferência.

Corpo docente

Atualmente, o ADV Vestibulares Bauru conta com 27 professores de todas as áreas do conhecimento.

“Todos foram selecionados a dedo. São mestres que sabem localizar os alunos nas faculdades onde estão as especialidades desejadas”, comenta o diretor Mamede.

No início de 2021, quando os casos da Covid-19 voltaram a preocupar o Brasil, os professores da Rede ADV realizaram um ciclo de aulas ao vivo. Foram duas semanas de aula, 72 lives no total, com 50 minutos cada.

Professores especialistas de todas as unidades participaram e o evento foi aberto ao público.

Mamede lembra que a professora de inglês da unidade de Bauru, Maria Gabriela Didoni, forneceu aos alunos um material que foi cobrado dias depois no vestibular da Unesp.

“Eu falei pra ela ‘dá sua aula, se diverte’. Ela deu para os alunos um texto sobre queimadas na Amazônia em inglês. O que caiu na Unesp? Um texto sobre queimadas na Amazônia e 13 questões interdisciplinares sobre o texto”, lembra.

Os docentes do ADV Bauru também oferecem plantões e a unidade também possui professores extras que ficam à disposição para tirar dúvidas. O próprio diretor se dispõe a lecionar e ajudar professores e alunos.

Acompanhamento além das aulas

No ADV Bauru, os alunos podem usufruir de programas especiais como a oficina de redação ministrada pelo professor Marcelo D’Áurea. Além de dar duas aulas de redação para cada turma (extensivo e medicina) e faz questão de corrigir cada um dos textos.

Na visão da instituição, isso é importante para que ele conheça cada um dos seus alunos e saiba qual é o ponto de dificuldade individual dos estudantes.

“Eu cansei de ver aluno chegar aqui com 700 na redação e pular pra 960, 980. A nossa média de redação no ENEM desse ano foi 920. Então ele realmente sabe o que faz, os alunos procuram por ele”, comenta o diretor.

Os simulados presenciais que acontecem na unidade são pensados especialmente para representar as provas oficiais. Todos os alunos precisam chegar pontualmente no horário de prova portando caneta esferográfica preta de tubo transparente e documento oficial com foto.

“O simulado precisa ser pleno. O último que nós fizemos foi o simulado do ENEM, as provas aconteceram em duas terças-feiras das 18h às 23h. E ninguém faltou na quarta-feira seguinte”, lembra Mamede.

Os vestibulandos também podem contar com o acompanhamento da psicóloga Mayara Croce Campos. Ela fica com as turmas uma vez por semana, dando palestras motivacionais sobre assuntos de interesse e também com o trabalho de orientação vocacional.

Quando necessário, Mayara também faz atendimentos individuais para ouvir e aconselhar os alunos.

O professor Marcos (Dida), de educação física, eventualmente fica em contato com os alunos do pré-vestibular, dando aulas de ginástica laboral para trabalhar o corpo durante esse período de estudos.

Mamede conta sobre seu diferencial como diretor do colégio. “Eu recebo os alunos todos os dias na calçada. Faço questão de dar e receber um bom dia, para que as pessoas saibam da existência do ADV e do que nós propiciamos para a sociedade”, explica.

Estrutura do ADV Vestibulares

O período de preparação para o vestibular pode ser muito intenso e estressante. Pensando nisso, o ADV Vestibulares procura proporcionar, também em sua estrutura física, uma forma de os alunos se sentirem confortáveis e acolhidos.

O prédio localizado na Rua Rio Branco, 27-87 tem salas de aula equipadas para as aulas online/híbridas, laboratório de química, sala de estudos e descanso, cantina, refeitório com geladeiras e micro-ondas, quadra poliesportiva, pátio arborizado e até mesmo armários pessoais para os alunos guardarem seus pertences.

Atualmente, o edifício comporta 90 alunos do curso pré-vestibular extensivo, 45 no curso preparatório de medicina e 45 também na sala de ensino médio, aberta em 2021.

Os planos da unidade para o futuro com relação à estrutura já estão em andamento.

Aprovações no vestibular

Guilherme Said, hoje estudante de Medicina da UFPR, é apenas um dos vários vestibulandos do ADV que carimbaram seus nomes nas listas de aprovados das universidades brasileiras em 2021. Após dois anos de pré-vestibular, em seu texto de agradecimento ao colégio, Guilherme escreve:

“As aulas foram muito completas, abordavam diversas possibilidades de questões de forma clara e didática, de tal modo que no vestibular era difícil ter alguma surpresa com relação ao conteúdo”.

Ariela Santos Lenharo levou à estadual FAMEMA (Faculdade de Medicina de Marília) o nome do ADV. “Tem uma fala da Ariela, que o que transformou a vida dela foi essa unidade, não só o conhecimento científico e acadêmico, mas o abraço, o carinho e o cuidado”, conta o diretor.

O ADV Bauru só neste ano soma aprovações em universidades como USP, Unicamp, Unesp, UFSCar, UFTM, UTFPR, UFU, entre outras públicas e particulares de todo o Brasil.

A aprovação, é claro, não depende apenas da instituição. Mamede salienta a importância do compromisso entre as duas partes.

“Eu sempre falo que 50% nós faremos e 50% o aluno fará. Quando ele chega aqui, nós servimos um banquete. Se ele não estiver com fome, eu não consigo alimentá-lo. Mas se ele estiver com fome e não souber como usar os talheres, eu tenho uma equipe fantástica para capacitá-lo, reforça.

Compromisso

De acordo com o diretor e os funcionários do colégio, o ponto forte da Rede ADV é o compromisso.

“Compromisso com a educação, com a cidadania, com os profissionais, com o meio ambiente e com a sociedade. Somos uma rede fantástica. Nada do que eu disser para um pai aqui chega perto do que nós oferecemos na prática. O ADV não é uma aposta, é um investimento”, explica.

O compromisso com Adevaldo Colonize também é lembrado até hoje. Quase quatro anos após sua morte, a unidade de Bauru ganhou sua primeira turma de ensino médio, que era uma expectativa do criador.

Matrículas

As matrículas para o curso pré-vestibular do ADV Bauru estão abertas. Os interessados podem procurar a unidade pelas redes sociais ou ir pessoalmente até a escola que fica no Jardim Paulista.

Os plantões e plataformas virtuais podem ajudar os novos alunos a acompanhar o ritmo da turma em andamento. As aulas acontecem de forma híbrida e o prédio é equipado seguindo os protocolos de contenção da Covid-19.

Antes de fazer a matrícula, os vestibulandos podem assistir a uma aula teste e passar o dia na unidade. Com a administração do cursinho é possível negociar formas e datas de pagamento.

Ainda que não seja possível que todos os alunos estejam presentes na unidade de uma vez, o diretor Mamede segue esperançoso com o futuro e satisfeito com o trabalho realizado até aqui. “Se nós temos uma pandemia que proíbe o contato físico, que o virtual seja o melhor possível”, finaliza.

publieditorial

Serviço
ADV Vestibulares Bauru
Endereço: Rua Rio Branco, 27-87 – Jardim Paulista
Contato: (14) 3208-2818
Site: colegioadv.com.br
Instagram: @oficialadv
Facebook: /advvestibularesbauru

Compartilhe!
Carregar mais artigos relacionados
Carregar mais por Letícia Pinho
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Empreendendo pela 1ª vez, farmacêutica de Bauru explica como medicamentos podem ser manipulados sob medida

O conceito de “farmácia” é consolidado como o lugar onde se compra remédios caso algo não …