A Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini agora também é a protagonista do novo lançamento d’Os Últimos Escolhidos do Futebol. Intitulado “Berrini”, o single traz a história do jovem que se muda do interior para a capital, experiência comum entre os integrantes da banda.

Mas entre tantas vias, por que Berrini? Para João Albino, autor da letra e vocalista d’Os Últimos, a avenida foi escolhida por representar tanto a efervescência profissional, quanto o cenário do happy hour.

“Berrini fica numa região que tem muita empresa. Acho que representa, pra quem está vindo do interior, talvez o local que você mais passa tempo em São Paulo, quando você começa a carreira. Também marca bastante um cenário de pós-trabalho, porque tem muitos bares ali perto. Quando você muda para São Paulo, você precisa saber dois endereços: o do lugar que você está ficando e do seu trabalho. Então ficou muito marcado por conta desse fator”, esclarece.

 

Ouça um trecho do single “Berrini”

Influências da banda

Se você escutar cada uma das oito músicas da banda bauruense, perceberá que influências não faltam. Os artistas passam por diversos ritmos do blues ao pagode. Em “Berrini”, especificamente, pode-se dizer que une jazz, indie e MPB, embora há a presença de outros estilos.

Nesse sentido, a gaita destaca-se como o primeiro tom da canção. Se as influências também incentivaram o uso do instrumento, o desafio de criar algo novo reafirmou tal escolha.

“[a gaita] Surgiu com a ideia de ser um instrumento diferente. É uma provocação que a gente sempre se fez como banda, de procurar algo que a gente ainda não explorou. Mas o porquê dela existir surgiu do que a gente estava escutando. Uma das músicas que influenciaram demais na construção foi Samurai, do Djavan, por exemplo, que tem a gaita de Steve Wonder”, destaca João.

Ficha técnica de ‘Berrini’

Voz e violão: João Albino
Guitarra: Léo Pacheco
Violão: Sinuhe LP
Baixo: Pedro Nunes
Bateria: Paulo Nunes
Gaita: Wilson Martello
Piano elétrico: Arthur Cape
Trombone: Thainan Augustinho
Trombonito: Ruan Augustinho
Saxofone: Lucas Rodrigues

Gravado em dezembro de 2020 no estúdio Motiv em Bauru (SP).

Concepção e direção artística: Os Últimos
Pré-produção musical: João Albino
Produção musical: Os Últimos e Lucas Dias
Arranjo de metais: Thainan Augustinho
Gravação: Lucas Dias
Mixagem: Thiago Baggio
Masterizado por Maurício Gargel na Maurício Gargel Audio Mastering (SP)
Foto de capa: Eric Solon
Pós-produção capa: Matheus Bianchi
Fotos de divulgação: Nina Leal

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

O lado profissional das dancinhas: instrutora de Bauru viraliza no TikTok com mais de 1 milhão de visualizações

Em 2020, o TikTok virou uma febre no Brasil. Eu, como uma boa brasileira isolada em casa, …