Não importa em qual momento do dia você estiver passando pela Av. Getúlio Vargas, a Goela te dá uma opção de prato. O local une padaria, confeitaria e cozinha quente em um grande ambiente.

“É um lugar para ir e aproveitar café da manhã, almoço e jantar”, resume Caio Zabeu, criador do espaço.

Dessa forma, a ideia dele é juntar a excelência nos três estilos de gastronomia em um único lugar. Isto é, o cardápio é a estrela da Goela, com opções das mais tradicionais receitas brasileiras a pratos típicos internacionais. 

Padaria e cozinha

A busca pela qualidade está em todos os âmbitos, a começar pelo pão francês, com fornadas ao longo do dia. 

“Para entregar o melhor pão, eu fiz um curso com o [Rogério] Shimura. Em seguida, contratei uma consultoria de panificação, que veio aqui e ficou quase dois meses treinando todo mundo”, conta.

Ainda na padaria, a Goela oferece pães de todos os tipos, inclusive uma linha de fermentação natural. Além disso, o local tem empanadas, coxinhas de frango, leitão e shimeji, tortas e quiches

A parte de confeitaria conta com tartelletes, cookies, bolo gelado (pistache é a dica da vez), cupcakes e éclairs.

Para quem quer uma refeição mais leve, o local conta ainda com sanduíches nos sabores pastrami, frango mediterrâneo e atum; tartines; saladas e seu famoso e queridinho ovos beneditinos.  

De segunda a sexta, das 11h às 14h, os almoços são tradicionais e brevemente entrarão no cardápio. 

Já aos finais de semana, os combos de café da manhã são opções para brunch.

Na cozinha quente, o destaque são os bowls, que compreendem uma refeição completa. Por exemplo, o Nasi Goreng, prato típico da Indonésia, de camarão ou cogumelos. Ainda nesse estilo, a Goela tem o frango com molho oriental (releitura do frango xadrez) e uma linha indiana, com opções de frango ou grão de bico.

O nome da padaria Goela

Provavelmente, umas das informações que você mais quer saber é de onde vem o nome, certo? E se você acha que tem alguma história por trás do nome… acertou! “Todo mundo pergunta, acha estranho, legal, esquisito ou divertido. No mínimo, causa algum sentimento”, brinca Caio.

A escolha aconteceu em um momento de reflexão. Caio tinha outro nome programado em mente e sem entender o  por que o nome Goela veio à tona em sua cabeça, foi pesquisar o significado e viu como se encaixava exatamente com o que estava vivendo.

Instalada na garganta. a goela não é apenas um canal de entrada de alimentos, mas pode ser também o canal onde existe a fala, ou seja, a expressão do que sentimos no nosso universo interior para o universo exterior. Bingo! “Não queria um nome comum que remetesse apenas a padaria, precisava de um nome jovem, descolado e com uma sonoridades agradável. Juntar tudo isso com um significado pessoal foi perfeito!”

Fundo da Goela

Nesse sentido, o lounge externo, chamado de ‘Fundo da Goela’, complementa a bela decoração no salão interno de lá. Do lado de fora, o espaço a céu aberto, a janela para retirar produtos (que em breve será lançada) e as long necks para happy hour criam um clima para relaxar. 

“O salão de dentro tem ar-condicionado, louças bonitas, plantinha na mesa, iluminação e tal. O Fundo da Goela já é uma coisa bem descontraída e casual. É para quem esta afim de um espaço mais despojado sem muitas firulas. Após uma caminhada na Getúlio ou até mesmo acompanhado de seu pet temos um cantinho para que todo mundo possa saborear nossos produtos em todos os estilos e ocasiões!”, comenta Caio.

Ainda na parte de trás, uma floricultura complementa o cenário. Caio, que é apaixonado por plantas, sentiu a necessidade de trazer um pouco de folhas e flores para seu espaço. Assim, nasceu a ideia de ter uma floricultura nos fundos da Goela. Caio lembrou instantaneamente de sua amiga Bruna Novelli que vivia postando stories em seu Instagram com “suas verdinhas”, então a encorajou a empreender no universo das plantas.

Dona da Odara Flora Urbana, ela diz que o espaço foca nas plantas com folhagens exuberantes como marantas, ficus, begônias e peperômias. Além de também trazer as flores tradicionais como o antúrio, lírio da paz, copo de leite e orquídeas.

Odara Flora Urbana

O convite foi para a pessoa certa. Bruna Novelli convive com uma família apaixonada por plantas, desde a avó. “Minha avó sempre foi a maníaca das plantas. Ela veio do sítio, então já cultivava bastante folhagens e flores por lá”, diz Bruna. “Minha mãe e minha tia foram criadas já gostando de planta, e depois eu e minha irmã fomos criadas do mesmo jeito”.

Portanto, Bruna aprendeu desde cedo a cuidar das plantas. Esse conhecimento foi somado à experiência como empresária no brechó Garimpo da Frida, hoje uma loja virtual. “Foi um período que me encorajou a abrir um segundo negócio, porque antes eu teria medo de dar a cara”, diz.

Além da Bruna, a floricultura é comandada pelos pais e irmã. “Quando o Caio me passou a ideia, já levei para a minha mãe e ela ficou super animada! Ela está perto da aposentadoria e viu na ideia uma forma de realizar um desejo de trabalhar com plantas. Ela é enfermeira há muito anos, e acredito que será quase um descanso para ela estar no meio das plantas”. 

Ademais, o nome Odara é uma homenagem à música de Caetano Veloso. “Estava ouvindo a música dele, gostei da palavra e fui ver o significado. É bem-estar e positividade. Na hora pensei: é isso!”, conta Bruna.

Juntas, fazem a seleção das plantas, somando experiências diferentes. “Eu tenho visão de quem mora em apartamento. Já a minha mãe mora em uma casa, com espaço grande no quintal. Então, nós conseguimos entrar em um consenso bacana. Ela traz as mais tradicionais e eu busco as novidades”, finaliza Bruna.

publieditorial

Serviço
Goela Padaria e Cozinha
Endereço: Av. Getúlio Vargas, 10-2
Horário de funcionamento: Todos os dias, das 7h às 21h
Instagram: @goelabauru

Floricultura Odara
Endereço: R. Abrahão Rahal, 3-50.
Contato: (14) 998230-1930
Instagram: @odarafloraurbana

Compartilhe!
Carregar mais em Gastronomia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Bartender de Bauru ganha competição nacional de coquetéis

O bauruense Raul Vital, bartender de 30 anos, recebeu o prêmio de “clássico da coquetelari…