Cantor, compositor e multi-instrumentista, o bauruense Marquinhos Amaral atua na capital como sideman (músico de apoio para bandas em shows) e já tocou ao lado de alguns nomes conhecidos, como o primo dele Rodriguinho, na banda Os Travessos, na qual atuou por 7 anos.

Além disso, Amaral tem o projeto solo Mixdgroove, definido como a banda de um homem só, no qual faz covers, mashups – juntando até Red Hot Chilli Peppers com Seu Jorge – e, desde abril deste ano, músicas autorais.

Nesta sexta-feira (23), em todas as plataformas digitais, Mixdgroove lança ‘Do Nada’, primeira música do álbum homônimo que será divulgado ao longo do ano. “Especificamente nessa música, conto com a participação de metais, o que remete às minhas influências dos anos 1980, com disco, funk, além de contar com um groove bem marcado”, comenta.

No total, o trabalho terá seis canções que mostram a formação cultural do músico. Além do pagode, Marquinhos já passou por grupos de rock’n’roll, MPB e samba e tem como principais influências Michael Jackson, Stevie Wonder, Tim Maia, Jorge Bem e Djavan. 

Nesse sentido, o álbum carrega a pluralidade de estilos. “Nessas músicas, tem um pouquinho de tudo que gosto. As pessoas poderão conhecer um pouco mais das minhas referências e influências. É um som alegre”, diz. 

O clipe da música ‘Do Nada’ será lançado em 30 de julho, no canal dele no YouTube.

Formação em Bauru

Nascido em Bauru e crescendo no Jardim Terra Branca, Mixdgroove percebeu aos 9 anos que a música faria parte de sua vida. Na época, entrou na banda da igreja Santa Rita de Cássia e começou a fazer aulas de guitarra.

Tocando música

Há 12 anos, foi morar em São Paulo para atuar como sideman. Entretanto, durante a pandemia, decidiu seguir novos caminhos e investir nas composições dele. O primeiro lançamento autoral foi ‘Aquele Som’, disponível no YouTube do cantor.

“Esse passo tem sido importante para mim”, conta o músico. “Foi uma válvula de escape e o momento certo para abraçar o autoral. Era uma vontade antiga e sempre ficava de lado, e agora consegui focar meu tempo nisso”.

As composições dele levam uma pitada de histórias reais ou de contos que ouviu por aí. “A música Do Nada, por exemplo, fala de uma troca de mensagens e fotos. Aquela sensação de quando você vê que a pessoa te mandou alguma coisa, a expectativa e felicidade de receber essa mensagem”, explica.

Ademais, as seis músicas do álbum foram produzidas pelo próprio cantor, em seu home studio. As melodias em todos os instrumentos são criadas por ele, e depois enviadas para outros músicos como guia. Cada faixa tem um time de músicos diferente.

Com informações da Assessoria de Imprensa

Música

Compartilhe!
Carregar mais em Cultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Aniversário de Bauru: veja 125 curiosidades sobre a cidade

Bauru completa 125 anos hoje (1°). Para celebrar a data, que tal uma lista? Preparamos um …