Especialista em eletroestimulação muscular, a academia Connect Pulse completa, em setembro, um ano em Bauru. Um primeiro aniversário para comemorar o quanto eles conseguiram difundir esse método aqui na cidade.

Para Davi Fabri, sócio da unidade local da marca, apresentar essa forma de atividade física era o objetivo inicial da academia. “É desafiador trabalhar com uma proposta nova, e é bem legal ver o resultado e acompanhar o crescimento de cada aluno”, diz, citando pessoas que começaram desconfiadas, mas depois aderiram à proposta.

“Nós temos um caso de um médico que só vinha acompanhar a esposa, mas não fazia os exercícios. Um dia ele veio com ela e resolveu fazer uma aula só para tirar a dúvida. Acabou fechando o pacote semestral. Hoje, os dois fazem e adoram”, relembra ele.

Equipe de eletroestimulação muscular

Para criar essa confiança, uma das condutas é ser transparente. Deixar claro que o trabalho realizado na academia “não é milagre”, e sim uma alternativa para quem quer praticar uma atividade física que demanda menos tempo e menos impacto nas articulações.

“Queremos mostrar de forma bem clara e sincera como funciona. Não é só vir aqui, colocar o equipamento e sair com a barriga ‘trincada’. Não! Tem que fazer exercícios que o professor passa e se esforçar nas aulas”, comenta Davi.

Além disso, outra tarefa da academia é usar todo o conhecimento adquirido desde antes da inauguração. Como preparação, os próprios professores fizeram atividades com o colete para conhecer o método na prática e tiveram treinamentos com Lincoln Cavalcante, professor carioca que já fez estudos com a UFRJ e hoje é especialista no método.

O que é eletroestimulação muscular?

Em resumo, a eletroestimulação muscular é uma forma de praticar exercícios em menos tempo e sem forçar demais as articulações.

Eletroestimulação muscular

Primeiramente, são sessões de apenas 20 minutos por dia – que equivalem a cerca de 1h30 de academia – em até três aulas por semana. Cada aula pode ser composta por qualquer tipo de atividade, como aeróbicos, HIIT e funcional, e usar esteiras, bikes, anilhas ou peso do corpo, dependendo do objetivo do aluno.

A única obrigação é fazer tudo usando um colete com eletrodos que ativam a musculatura durante todos os exercícios, tornando-os mais eficazes. Isso porque os impulsos elétricos recriam o movimento natural do sistema nervoso e potencializam os resultados dos treinos.

Eletroestimulação muscular

Ou seja, a eletroestimulação muscular oferece efetividade com menor impacto, pois os eletrodos encontram fibras musculares mais profundas. Na musculação, por exemplo, os exercícios são feitos com cargas, enquanto na Connect Pulse dá para “fazer o mesmo exercício com o mesmo estímulo, só que sem impactar as articulações”, explica Davi.

Nesse sentido, a eletroestimulação muscular é ideal para quem volta a fazer exercícios físicos após lesões, doenças ou outros problemas físicos ou quer evitar lesões.

De qualquer forma, é um método aberto a todos os objetivos, já que, nesses 20 minutos, é possível fazer qualquer atividade física e alcançar resultados como emagrecimento, definição, redução de celulite e flacidez, redução de dores e ganho de condicionamento físico.

Um ano de experiência

Além da preparação teórica, foi na experiência que Davi e o sócio Anderson Alarcon conheceram na prática os resultados da eletroestimulação muscular. Os depoimentos de alunos – como um de 76 anos com lesões no joelho e outro que fortaleceu o ombro para evitar cirurgia – deram ainda mais confiança à dupla.

Equipe de eletroestimulação muscular

Um deles foi um jogador do Bauru Basket, que fez as aulas antes de iniciar a temporada, para evitar lesões, melhorar o condicionamento físico e ganhar força física. “A gente chegou a ir no ginásio Panela de Pressão com ele para fazer treinamentos”, conta Fabri.

Dessa forma, o resultado dos alunos é a principal celebração do primeiro ano da academia. “Já nos três primeiros meses a gente começou a ver uma evolução. Gente que perdeu peso em pouco tempo, outros que apresentaram melhoras em exames médicos”, exemplifica Davi. 

Nesse tempo, também conseguiram aprimorar o atendimento individualizado, um dos principais diferenciais da Connect Pulse. “Um professor para um aluno”, como resume Davi. Ou seja, cada treino é montado exclusivamente para a necessidade e o objetivo do aluno.

Inclusive, um dos avanços do primeiro ano foi o desenvolvimento de novos protocolos de atendimento, baseado na experiência com os alunos. Por exemplo, duas pessoas que voltaram a praticar exercícios após terem Covid-19 e passaram por treinos exclusivos. 

“Foi um ano que nos deu a chance de mostrar que podemos trabalhar com diversos públicos, desde quem teve Covid, AVC, lesão e está voltado a praticar esportes até atletas de alto rendimento”, finaliza.

Agora em espaço maior

Outro hábito na Connect Pulse é ouvir a opinião e os pedidos dos alunos, que sugeriram trazer mais aparelhos. “Um comentário aqui, outro ali e a gente já corria para colocar em prática”, conta Davi.

Com isso, além de trazer novos equipamentos da I-Motion – marca espanhola de coletes para eletroestimulação muscular -, a academia ampliou o espaço, adicionando aparelhos para funcional, instalando barra fixa e corda naval e adquirindo mais pesos e anilhas.

A academia começou a fazer também atendimentos em domicílio. Hoje sem vagas para essa modalidade, a ideia é futuramente abrir novos horários.

Seguindo nessa perspectiva, a Connect Pulse ampliou a possibilidade de oferecer o colete para quem gosta de praticar esportes. “Temos uma aluna que jogou tênis usando o traje. Aí ela consegue fazer o que gosta, faz o cardio e tem um estímulo diferente”, comenta Davi, citando também outras atividades que eles fizeram, como corrida na rua e escadaria no Parque Vitória Régia.

Anderson Alarcon, 41 anos e um advogado “sem tempo” para malhar, em meio a escritórios em 7 Estados Brasileiros. De praticante da eletroestimulação à sócio empreendedor. (foto: Social Bauru)

Campeonato de prancha

Após completar um ano, o pensamento agora está nos próximos passos. Um deles é contribuir para o avanço da eletroestimulação muscular. A Connect Pulse fechou uma parceria com a Unesp para uma pesquisa que vai verificar, por meio de avaliações corporais, quais são os benefícios do método.

“Serão três meses de atividades com treinos duas vezes por semana e acompanhamento mensal com os pesquisadores”, explica Davi. Nesse período, a universidade vai oferecer o exame DEXA Scan para os participantes.

Ademais, a ideia é continuar com atividades fora das aulas de 20 minutos, que foram bem aceitas nesse primeiro ano. A Connect Pulse fez alguns treinamentos de funcional pela cidade.

Outros eventos que devem continuar são as competições de exercícios, como a de ‘prancha’, aquela posição em que os braços ficam apoiados no chão e o corpo esticado. Na primeira edição, o vencedor fez 10 minutos. Isso mesmo, 10 minutos.

Academia de eletroestimulação muscular

publieditorial

Serviço
Connect Pulse
Endereço: R. Ver. Joaquim da Silva Martha, 15-80
Horário de funcionamento: De segunda a sexta, das 6h às 22h. Sábados, das 7h às 13h
Contato: (14) 3245-5172
Site: www.connectpulse.com.br/bauru
Facebook: /connectpulsebauru
Instagram: @connectpulsebauru

Compartilhe!
Carregar mais em Negócios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

Brinquedoteca inaugurada no Bauru Shopping cuida das crianças enquanto pais passeiam

A pequena Alice se divertia na cama elástica quando chegamos para conhecer a Brinquedoteca…