Eu tenho certeza que a tarde da segunda-feira, dia 04/10, vai ficar marcada na vida do criador de conteúdo e gestor de redes sociais digitais. Até porque não tinha quem não comentasse sobre o “apagão” global, cujas redes do grupo Facebook.inc (Facebook, Instagram e WhatsApp) ficaram fora do ar por 7 horas.

Tenho certeza também que você se descabelou por um tempo e pensou: “como vou continuar vendendo ou divulgando meus produtos e serviços?”. E é aí quem vem a sacada!

Vi muitos posts de especialistas fidedignos (sem guruzeira kkk) no assunto e refleti sobre o tema para trazer esta reflexão a vocês.

A pergunta é: o que fazer quando não se tem como fazer?
Ah, será mesmo que não tem?

Pense que este tipo de coisa pode acontecer a qualquer momento, pois a plataforma não é sua e depende de terceiros para funcionar. Então você não está no controle, mas sim sempre se atualizando para explorar o melhor que há nelas.

Assim como Facebook, Instagram e WhatsApp, temos outras redes que podem ser exploradas para continuar o nosso serviço ou buscar referências, deixando estratégias já engatilhadas para quando tudo voltar ao normal.

Um exemplo super interessante e que achei válido foi o de uma cafeteria do local onde moro, que instalou o Telegram e avisou a todos os clientes que possuem o app de mensagens, que estava aceitando pedidos por lá. Massa, né?

A gente precisa entender que existe possibilidades além destas redes para serem exploradas, como o TikTok, que com inúmeras referências/trends, pode servir para a base do conteúdo inicial (eu mesma produzi por lá e depois adaptei no Reels).

Então, antes de se desesperar, entenda o momento e procure buscar o que e como criar.
Existem sim muitas alternativas!
Beijos e até a próxima.

Confira mais textos da colunista: www.socialbauru.com.br/author/isabelagaspar.

Compartilhe!
Carregar mais em Colunistas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também

A primeira vez, Bauru, que fui ao cinema

Sabe, Bauru, eu não lembro a primeira vez que fui ao cinema. Não lembro quantos anos eu ti…